Garrett Hardin

Garrett James Hardin (21 de Abril de 191514 de Setembro de 2003) foi um ecologista pioneiro no estudo dos impactos da população humana sobre a Terra. Seu artigo A Tragédia dos comuns, publicado em 1968 na revista norte americana Science[1], abordou a noção de que a miséria humana continuaria a crescer a não ser que fosse reconhecido que a quantidade de espaços aptos à sobrevivência humana na terra era limitada. Ele é listado pela Southern Poverty Law Center como um adepto do nacionalismo branco, com publicacações "francamente racistas e etnonacionalistas".[2]

Garrett Hardin
Conhecido(a) por Tragédia dos comuns
Nascimento 21 de abril de 1915
Dallas, Texas
Morte 14 de setembro de 2003
Campo(s) Ecologia

BiografiaEditar

Infância e InfluênciasEditar

Garrett James Hardin nasceu em 1915 em Dallas, Texas. Aos 4 anos de idade contraiu Poliomielite. Sua condição física debilitada o levou a focar sua atenção na vida acadêmica desde cedo. Juntamente com seu irmão mais velho, Garrett participou de um grupo de bairro durante sua infância. Na ocasião, o líder do grupo costumava cunhar novos nomes para os integrantes e objetos comuns. Garrett sempre foi fascinado pelas variações morfológicas da língua inglesa, pela forma como os falantes nativos da língua a modificavam e como tais modificações eram aceitas pela comunidade local. Essa fascinação criou em Garrett uma inclinação realizar neologismos para definir novos conceitos. Seu pai era um representante de vendas, o que levava a família a não ter residência fixa. A fazenda da família, localizada nas proximidades de Butler, Missouri foi o local onde Garrett passou os verões dos seus 10 aos 18 anos de idade. Entre as obrigações da fazenda, desde os 11 anos ele era responsável por alimentar alguns animais e matar outros para as refeições diárias. Essa experiência teve impacto em sua concepção de que a relação entre predador e presa era parte essencial da vida[3].

Vida Adulta e Principais TrabalhosEditar

Em 1936 formou-se Bacharel em Zoologia na Universidade de Chicago, mais tarde, em 1941 completou o Ph.D em Microbiologia na Universidade de Stanford. Garrett é mais conhecido pelo seu artigo de 1968 A Tragédia dos Comuns, recentemente republicado em mais de 100 antologias e é amplamente aceito como uma contribuição fundamental aos campos da ecologia, teoria populacional, economia e ciência política. O artigo também rendeu publicações de livros, entre eles, The Immigration Dilemma: Avoiding the Tragedy of the Commons (O dilema da imigração: Evitando a tragédia dos comuns - Tradução Livre-) [4], uma coleção de ensaios contendo, inclusive, o artigo "Tragédia dos Comuns" publicada em 1995 na qual o professor Hardin tece comentários e teorias sobre imigração e densidade populacional.

Garrett Hardin lecionou como professor da Universidade da Califórnia por mais de 30 anos, retirando-se das atividades do campus em 1978 dedicando-se às atividades de escrita e oratória[5].

Críticas à tragédia dos comunsEditar

As afirmações contidas no artigo A tragédia dos comuns foram alvo de várias críticas por parte de outros estudiosos da área da dinâmica populacional. O ambientalista Derrick Jensen afirma que o artigo é usado na defesa da propriedade privada [6]. Ele afirma que o conteúdo do artigo tem sido utilizado pelos políticos de direita para discriminar e isolar pessoas de países de terceiro mundo e povos indígenas por todo o mundo. Jensen afirma que em vez de tragédia dos comuns, o artigo deveria se chamar Tragedy of the Failure of the Commons (Tragédia da Falha dos Comuns - tradução livre). A cientísta política Elinor Ostrom, ganhadora do prêmio nobel em economia realizou uma revisão no trabalho de Hardin [7] classificando a tragédia dos comuns como predominante em várias partes do globo, afirmando também que soluções para o problema já haviam sido encontradas em várias comunidades locais. Uma vez que os comuns são tocados por não locais, as soluções encontradas não podem mais ser utilizadas.

Filosofia de Vida e Causa da MorteEditar

Garrett e sua esposa eram membros da organização sem fins lucrativos norte americana End-of-life choices que prega que os indivíduos têm a liberdade para escolher o momento de suas mortes. Ao fim da vida, com 88 anos, Garrett sofria de problemas cardíacos e acabou por suicidar-se em 14 de setembro de 2003, juntamente com sua esposa[8].

PublicaçõesEditar

Durante sua vida, Garrett publicou mais de 350 artigos e 27 livros. Em torno de 700.000 cópias de seus livros já foram vendidas.

Livros[9]Editar

  • 1949, Fatty Acid Antibacterials, 67 páginas, Carnegie Institution of Washington. ISBN 1258608847
  • 1949, Biology: Its Human Implications, 635 páginas, W.H. Freeman ISBN 0716706431
  • 1952, Biology: Its Human Implications. 2nd ed, 720 págias, W.H. Freeman
  • 1955, Laboratory Studies in Biology: Observations and Their Implications, 328 páginas, W.H. Freeman
  • 1959, Nature and Man's Fate Rinehart. ISBN 0-451-61170-5 ( Traduzido para A Natureza e o Destino do Homem pela

Companhia Editora Nacional em 1969)

  • 1962, Biology Its Principles and Implications, 682 páginas, W. H. Freeman
  • 1964, Population, Evolution & Birth Control, 341 páginas, W. H. Freeman (Traduzido para português pela Companhia Editora Nacional em 1967)
  • 1966, Biology- Its Principles and Implications. Second edition, 771 páginas, W. H. Freeman.
  • 1969, Step to Biology. Readings from Scientific American, with Introductions by Garrett

Hardin, 344 páginas, W.H. Freeman.

  • 1969, Population, Evolution & Birth Control. Second edition , 356 páginas, W.H. Freeman.
  • 1969, Science, Conflict and Society. Readings from Scientific American, with introductions by

Garrett Hardin, 344 páginas, W.H. Freeman (Traduzido para A Ciencia Social num Mundo em Crise pela Editora Perspectiva em 1973).

  • 1970, Birth Control, 142 páginas, Pegasus.
  • 1972, Exploring new ethics for survival: the voyage of the spaceship Beagle, 273 páginas, Viking Press. ISBN 0-670-30268-6
  • 1973, Stalking the Wild Taboo, 226 páginas, W. Kaufmann. ISBN 0-913232-03-3
  • 1974, Mandatory Motherhood: The True Meaning of 'Right to Life', 136 páginas, Beacon Press. ISBN 0-8070-2177-6
  • 1977, Managing the Commons, W. H. Freeman.
  • 1977, The Limits of Altruism: an Ecologist's view of Survival, 154 páginas, Indiana University Press. ISBN 0-253-33435-7
  • 1978, Biology Its Principles and Implications, 790 páginas, W. H. Freeman.
  • 1978, Stalking the Wild Taboo. Second edition, 244 páginas, Kaufmann.
  • 1980, Promethean Ethics Living with Death, Competition and Triage, 82 páginas, University of Washington Press. ISBN 0-295-95717-4
  • 1982, Naked Emperors: Essays of a Taboo-Stalker, 281 páginas, William Kaufmann, Inc. ISBN 0-86576-032-2
  • 1985, Filters Against Folly, How to Survive despite Economists, Ecologists, and the Merely Eloquent, 240 páginas, Viking Penguin. ISBN 0-670-80410-X
  • 1993, Living Within Limits: Ecology, Economics, and Population Taboos, 339 páginas, Oxford University Press. ISBN 0-19-509385-2
  • 1995, The Immigration Dilemma: Avoiding the Tragedy of the Commons 140 páginas, Federation for American Immigration Reform.
  • 1996, Stalking the Wild Taboo. Third edition, 376 páginas, The Social Contract Press.
  • 1999, The Ostrich Factor: Our Population Myopia, 169 páginas, Oxford University Press. ISBN 0-19-512274-7

Artigos CientíficosEditar

Referências

  1. Hardin, Garrett (13 de dezembro de 1968). «The Tragedy of the Commons». Science (em inglês). 162 (3859): 1243-1248. ISSN 0036-8075. PMID 17756331. doi:10.1126/science.162.3859.1243 
  2. «Garrett Hardin» (em inglês) 
  3. Craig Straub (26 de Agosto de 2003). «Childhood Influences on Garrett Hardin's Worldview». Consultado em 6 de junho de 2015 
  4. Hardin, Garrett (1995). The Immigration Dilemma. Avoiding the Tragedy of the Commons (em inglês). [S.l.]: Federation for American Immigration Reform. 140 páginas. ISBN 093577615X 
  5. «Garrett James Hardin Curriculum Vitae». 1 de Dezembro de 2003. Consultado em 6 de junho de 2015 
  6. Jensen, Derrick (2006). Endgame Vol1. The Problem Of Civilization (em inglês). [S.l.]: Seven Stories Press. 931 páginas. ISBN 158322730X 
  7. Ostrom, Elinor; Burger, Joanna; Field, Christopher B.; Norgaard, Richard B.; Policansky, David (1999). «Revisiting the Commons: Local Lessons, Global Challenges». Science. 284: 278–282. doi:10.1126/science.284.5412.278 
  8. Steepleton, Scott (19 de Setembro de 2003). «Pioneering professor, wife die in apparent double suicide». Santa Barbara News-Press. Consultado em 6 de junho de 2015 
  9. «Garrett Hardin Bibliography» (PDF). Setembro de 2001. Consultado em 31 de julho de 2015 

Ligações ExternasEditar