Gaston Glock

Engenheiro e CEO da empresa de armas de fogo Glock

Gaston Glock (19 de julho de 1929 Viena, Áustria — ), é um engenheiro austríaco fundador da empresa Glock Ges.m.b.H.

Gaston Glock
Conhecido(a) por Fundador da Glock Ges.m.b.H.
Nascimento 19 de julho de 1929
Viena, Áustria
Nacionalidade Austríaco
Cônjuge Helga Glock (c. 1958; div. 2011)
Kathrin Glock (c. 2011)
Filho(a)(s) Brigitte Glock
Gaston Glock, Jr
Robert Glock
Ocupação Engenheiro e Diretor executivo da Glock

ManufaturaEditar

Gaston Glock começou como fabricante de hastes para cortinas na década de 1960 e facas para os militares austríacos na década de 1970.[1] Ele não havia projetado ou fabricado uma arma de fogo até os 52 anos de idade. Ele já era um especialista em polímeros como resultado de seus empreendimentos comerciais anteriores. Em 1980, ele comprou uma máquina de moldagem por injeção para fabricar cabos e bainhas para as facas de campo/baionetas que estava fazendo para o exército austríaco em sua oficina. Seus primeiros funcionários eram da indústria de câmeras e eram especialistas na produção de componentes de polímero. Sua primeira pistola levou um ano para ser produzida, desde o estágio de design e conceito até a produção, e ele solicitou uma patente austríaca em abril de 1981 para a pistola conhecida como Glock 17.[2]

Vida pessoalEditar

Glock se casou com Helga Glock em 1958, e eles co-fundaram a empresa da família em 1963.[3] Eles se divorciaram em 2011 e estão em litígio desde então.[4] Um livro não autorizado sobre a vida de Gaston Glock e sua empresa, intitulado Glock: The Rise of America's Gun, foi publicado em 2012. Glock apoia várias instituições de caridade na Áustria, tendo doado mais de um milhão de euros. Ele também foi citado por doar fundos ao Partido da Liberdade da Áustria.[5][6][7][8]

Tentativa de assassinatoEditar

Em julho de 1999, o consultor fiscal de Glock, Charles Ewert, contratou um mercenário francês para assassinar Glock com um martelo em um estacionamento em uma aparente tentativa de encobrir o desfalque de milhões da empresa Glock.[9] Embora os ferimentos de Glock incluíssem sete ferimentos na cabeça e a perda de cerca de um litro de sangue, Glock foi capaz de se defender do ataque acertando o assassino duas vezes. O assassino contratado, Jacques Pêcheur, de 67 anos, foi condenado a 17 anos de prisão pelo ataque. Charles Ewert foi condenado a 20 anos como resultado do testemunho de Pêcheur.[10]

Referências

  1. Prince, Rosa (14 de outubro de 2014). «The Glock family feud has its roots in 1960s Austria». The Telegraph. ISSN 0307-1235. Consultado em 10 de agosto de 2019 
  2. Barrett, Paul M. (2013). Glock: The Rise of America's Gun. [S.l.]: Broadway Books. ISBN 978-0-307-71995-9 
  3. Hooper, Mark (13 de outubro de 2014). «Guns, money and misery: billionaire Gaston Glock's ex-wife sues for $500m» – via The Guardian 
  4. «Glock Defeats Ex-Wife's $500 Million 'Shotgun' Racketeering Suit». 30 de março de 2017 – via www.bloomberg.com 
  5. «Charity donations as documented by the Glock-organization GHPC». Cópia arquivada em 18 de outubro de 2012 
  6. «Glück für Glock». Kleine Zeitung. 29 de julho de 2011. Consultado em 19 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2011 
  7. «Doppelte Hilfe für die Flutopfer». Kleine Zeitung. 7 de novembro de 2011. Consultado em 7 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2013 
  8. Mounk, Yascha (21 de maio de 2019). «A Russia Scandal Even Populists Couldn't Stomach». The Atlantic 
  9. «Jim Armitage: Don't mess with Gaston – he's still got his hand on». The Independent. 13 de julho de 2013 
  10. Machan, Dyan (31 de março de 2003). «Top Gun». Forbes. Consultado em 19 de setembro de 2011 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.