Abrir menu principal
Gemini VIII
Gemini-8-logo.png
Informações da missão
Operadora NASA
Foguete Titan II GLV 62-12563
Espaçonave Gemini SC8
Astronautas Neil Armstrong
David Scott
Base de lançamento Complexo 19,
Estação da Força Aérea
de Cabo Kennedy
Lançamento 16 de março de 1966
16h41min02s UTC
Cabo Kennedy, Flórida,
 Estados Unidos
Amerrissagem 17 de março de 1966
03h22min28s UTC
Oceano Pacífico
Órbitas 6
Duração 10 horas, 41 minutos,
26 segundos
Altitude orbital 270 quilômetros
Inclinação orbital 28,9 graus
Distância percorrida 293 206 quilômetros
Imagem da tripulação
Scott e Armstrong
Scott e Armstrong
Navegação
Gemini VI-A
Gemini IX-A

Gemini VIII foi a sexta missão tripulada do Projeto Gemini, realizado em março de 1966. Após a tripulação conseguir realizar a primeira acoplagem em órbita entre duas naves espaciais na História, um defeito que quase ocasionou um desastre e a perda das vidas dos astronautas, obrigou a missão a fazer o primeiro pouso de emergência do programa espacial norte-americano.

Índice

TripulaçãoEditar

PrincipalEditar

Posição Astronauta
Piloto Comandante Neil A. Armstrong
Piloto David R. Scott

ReservaEditar

Posição Astronauta
Piloto Comandante Charles "Pete" Conrad Jr.
Piloto Richard F. Gordon Jr.

MissãoEditar

A missão Gemini VIII tinha dois objetivos principais: realizar Atividades extra-veiculares mais prolongadas que as da Gemini IV e uma acoplagem com um foguete Agena em órbita.

Um dos objetivos foi conquistado por Armstrong, que comandou a nave ao encontro do Agena pré-lançado de Cabo Canaveral, colocando-se a um metro de distância dele e então lentamente conectando-se ao foguete. O outro deveria ser realizado pelo piloto Scott, duas horas fora da nave flutuando no espaço, mas os eventos seguintes ao encontro impediram os planos.

O que se seguiu ao acoplamento foi um dos momentos mais arrepiantes da história do programa espacial. A cápsula Gemini VIII, após acoplar-se com o foguete, começou a rolar sobre si mesma continuamente. Este tipo de situação nunca havia sido prevista ou treinada em simuladores, e a tripulação então imediatamente se desacoplou do foguete, mas continuou a rodar sem conseguir estabilização. O problema era um propulsor avariado na espaçonave, que agora a fazia girar a uma velocidade de uma revolução por segundo, com os tripulantes correndo o risco de perderem a consciência.

A única maneira de parar aquilo era usar os propulsores de controle de reentrada da cápsula, o que significava que Armstrong e Scott teriam que encerrar imediatamente a missão e fazer um retorno de emergência à Terra apenas dez horas após seu lançamento. A Gemini VIII fez um pouso de emergência no Oceano Pacífico, onde foi resgatada por paraquedistas da Marinha, já que os navios de recolhimento encontravam-se longe do local do pouso, ao invés do ponto planejado no Oceano Atlântico.

Ligações externasEditar