Abrir menu principal

Gennady Guerasimov

Gennady Guerasimov
Nascimento 3 de março de 1930
Ielabuga
Morte 14 de setembro de 2010 (80 anos)
Moscou
Sepultamento Cemitério Novodevichy
Cidadania Rússia
Alma mater Instituto Estatal de Relações Internacionais de Moscou
Ocupação político, diplomata, jornalista
Prêmios Medalha "Pela Vitória sobre o Japão", Ordem da Insígnia de Honra, Ordem da Guerra Patriótica, 2.ª classe, Ordem da Bandeira Vermelha do Trabalho, Ordem da Amizade dos Povos, Medalha de "Mérito de Trabalho da Grande Guerra Patriótica 1941-1945"

Gennady Ivanovich Guerasimov (em russo, Геннадий Иванович Герасимов; Yelabuga, 3 de março de 1930 - Moscou, 16 de setembro de 2010[1][2]) foi embaixador da União Soviética no Afeganistão ocupado, tornou-se o porta-voz do presidente Mikhail Gorbachev em 1986 e mais tarde secretário de imprensa de Eduard Shevardnadze. É mais conhecido por haver cunhado, no ano de 1989 e em tom de brincadeira, a expressão Doutrina Sinatra que veio a se consagrar como a denominação da política externa adotada por Gorbachev de não-intervenção nos demais membros do Pacto de Varsóvia. Foi ainda o último embaixador da União Soviética em Portugal (1990 - 25 de dezembro de 1991), e o primeiro da Federação Russa no mesmo país (25 de Dezembro de 1991 a 16 de Março de 1993).

Atuação e estopim do colapso do "Império Soviético"Editar

Empenhava-se o líder soviético em mostrar sinais ao mundo de que uma nova política estava em curso no Kremlim. Em 1988 o presidente estadunidense Ronald Reagan visitara o país, no que foi visto no mundo como o fim da Guerra Fria, e elogiou as transformações em curso. Mesmo assim, Guerasimov reagiu, dizendo que os russos não gostavam que fossem em sua casa dar lições.[3]

Numa entrevista ao programa estadunidense "Good Morning America" (Bom Dia, América), no dia 25 de outubro de 1989 Guerassimov procurou traduzir uma declaração do Secretário-de-Estado soviético Shevardnadze, em ruptura à anterior Doutrina Brejnev, fazendo a declaração que foi interpretada como a "senha" para o fim do jugo comunista sobre os países do Leste Europeu: "Nós temos agora a doutrina de Frank Sinatra. Ele tem uma música, "I Did It My Way". Assim, cada país decide sobre o seu próprio caminho a tomar". A música citada é My Way, e o verso quer dizer algo como "eu fiz do meu jeito".[4]

A declaração desencadeou o processo que culminou com a saída, via Hungria - país que já abrira suas fronteiras - de milhares de alemães orientais. Quinze dias após ocorre a Queda do Muro de Berlim, símbolo maior do isolamento do leste socialista.[4]

Após o fim da Cortina de Ferro, Guerasimov foi para a Alemanha. É lembrado por ter cunhado frases depois atribuídas a Gorbachev, como a proferida numa coletiva de imprensa, em 7 de outubro de 1989, após uma visita do presidente da Alemanha Oriental, Erich Honecker, que pode ser traduzida como: "Aqueles que chegam atrasados podem pagar com a própria vida", e que foi entendido como ameaça velada a uma possível resistência do líder alemão ao fim do Bloco Socialista.[5]

Referências

  1. Rádio Renascença (16 de setembro de 2010). «Morreu Guennadi Guerassimov». Consultado em 16 de Setembro de 2010 
  2. Diário Digital / Lusa (14 de Setembro de 2010). «Rússia: Morreu o último embaixador soviético em Portugal». Consultado em 16 de Setembro de 2010 
  3. Revista Veja (8 de junho de 1988). «Caça ao dragão em Moscou». Reagan e Gorbachev anunciam a morte do dragão da guerra fria e iniciam uma nova era nas relações entre EUA e URSS. Consultado em 6 de janeiro de 2010. Arquivado do original em 15 de fevereiro de 2009 
  4. a b Iago Bolívar, da Folha Online (6 de novembro de 2009). «Durante 40 anos, Alemanha fez parte de bloco liderado pela ex-URSS». Consultado em 6 de janeiro de 2010 
  5. Ulla Plog (3 de outubro de 2004). «15 Jahre danach: „Wer zu spät kommt, den bestraft das Leben"» (em alemão). Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung. Nr. 40, p. 16. Consultado em 6 de janeiro de 2010 
Precedido por
Valentin Petrovich Kasatkin
 
Embaixador da União Soviética em Portugal

1990-25 de Dezembro de 1991
Sucedido por
o próprio (como embaixador da Federação Russa)
Precedido por
o próprio (como embaixador da União Soviética)
 
Embaixador da Federação Russa em Portugal

25 de Dezembro de 1991-16 de Março de 1993
Sucedido por
Alexander Petrovich Smirnov
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.