Geografia da Música

Geografia da Música é um subcampo tanto da Geografia Humana quanto da Geografia Cultural e Humanista. Inclui o estudo da espacialidade da atividade musical, da produção do espaço urbano a partir da música, das representações do espaço contidas nas músicas e canções e de toda e qualquer relação que liga a música à sua dimensão geográfica. Esse domínio de estudos já é reconhecido em verbetes de dicionários e enciclopédias consagradas como as de Jacques Lévy e Michel Lussault,[1] e de Barney Warf[2]

Os estudos pioneirosEditar

Os primeiros registros de estudo sobre geografia e o espaço remetem ao etnólogo e arqueólogo Leo Frobenius, discípulo de Friederich Ratzel, que estudou a dispersão de culturas através do estudo da morfologia dos tambores, fundamentais para a formulação da teoria dos Círculos Culturais ou Kulturkreis.

Nominalmente Georges de Gironcourt propõe em 1929 uma Geografia Musical, em artigo publicado no boletim da Societé de Géographie,[3] no qual advoga não só pelo estudo da morfologia dos instrumentos musicais, mas também da espacialidade e difusão de formas musicais, harmonias, cantos e até danças.

Historicamente, a música era puramente uma tradição oral. Com a introdução da radiodifusão na década de 1920, chamado por Murray Schaefer como período esquizofônico, a indústria fonográfica globalizada ganha uma nova dimensão. A partir disso, surge um interesse pela compreensão da produção fonográfica, das políticas culturais, das identidades regionais, dos imaginários e discursos e da espacialidade dos artistas.

Geografia da Música nos países de língua inglesaEditar

Os estudos seminais sobre geografia e música nos países anglófonos foram realizados por George Carney[4] e Peter Nash,[5] além de David B. Knight.[6] A renovação veio pela influência dos Estudos Culturais, a partir das contribuições da geógrafa cingapurense Lily Kong[7] nos anos 1990. Posteriormente, diversas obras foram lançadas por geógrafos como John Connel,[8] Cris Gibson, Andrew Leyshon, David Matless e George Revill.[9]

Geografia da Música na FrançaEditar

Atualmente há importantes geógrafas e geógrafos franceses que trabalham o tema da música. Na década de 1990 foram importantes os trabalhos de Jacques Lévy e Jean-Marie Romagnan. A partir da década de 2000, diversos trabalhos foram publicados por Claire Guiu,[10] Yves Raibaud[11] e Nicolas Canova,[12] entre outros. O foco nas pesquisas francesas tem sido as relações entre a música, o território e as identidades ancoradas no espaço.

Geografia da Música no Brasil e PortugalEditar

No Brasil, o trabalho pioneiro do professor João Baptista Ferreira de Mello, em 1991, sobre as canções da cidade do Rio de Janeiro, abriu uma temática fértil aos estudos geográficos no Brasil. Passadas três décadas, a geografia brasileira já conta com dezenas de teses e dissertações sobre a temática, além de livros e periódicos. Alessandro Dozena tem sido o mais profícuo geógrafo a organizar livros[13] e periódicos sobre o tema, além de coordenar, junto com Marcos Torres, o GT de Geografia Música nos encontros bianuais da Associação Nacional de Pós-Graduação e Estudos em Geografia, a ANPEGE. Marcos Torres tem desenvolvido diversos trabalhos sobre a paisagem sonora,[14] como um tema relacionado à música. Lucas Panitz, por sua vez, buscou sistematizar a produção bibliográfica no Brasil[15] e no mundo.[16] Em seus trabalhos de mestrado e doutorado, premiados pela ANPEGE e CAPES, ele argumenta pelo estabelecimento de uma Geografia da Música focada na diversidade musical do Brasil e da América Latina. Cristiano Nunes Alves possui uma extensa bibliografia dedicada à radiodifusão, ao hiphop e às cenas musicais em relação ao território. Diversas outras geógrafas e geógrafos têm trabalhado sobre a temática, como Julia Andrade, Anita Loureiro, Juliana Costa Cunha Radek, Carolina Deconto Vieira, Villy Creuz, entre outros/as.

Referências

  1. Lévy, Jacques; Lussault, Michel (2013). Dictionnaire de la géographie. [S.l.]: Belin. OCLC 861572427 
  2. Warf, Barney. "Encyclopedia of Geography: Music and Sound, Geography and." SAGE Knowledge (2010): 1-7. Print.
  3. texte, Société de géographie (France) Auteur du (julho de 1927). «La Géographie: bulletin de la Société de géographie / publié par le baron Hulot,... et Charles Rabot,...» (em francês) 
  4. Carney, George O. (setembro de 1980). «Geography of Music: A Bibliography». Journal of Cultural Geography. 1 (1): 185–186. ISSN 0887-3631. doi:10.1080/08873638009478660 
  5. NASH, PETER H.; CARNEY, GEORGE O. (março de 1996). «THE SEVEN THEMES OF MUSIC GEOGRAPHY». The Canadian Geographer/Le Géographe canadien. 40 (1): 69–74. ISSN 0008-3658. doi:10.1111/j.1541-0064.1996.tb00433.x 
  6. Sternberg, Rolf (agosto de 2008). «Landscapes in Music: Space, Place and Time in the World's Greatest Music». The Professional Geographer. 60 (3): 437–440. ISSN 0033-0124. doi:10.1080/00330120802115490 
  7. Kong, Lily (junho de 1995). «Popular music in geographical analyses». Progress in Human Geography. 19 (2): 183–198. ISSN 0309-1325. doi:10.1177/030913259501900202 
  8. Connell, John; Gibson, Chris (2 de setembro de 2003). «Sound Tracks». doi:10.4324/9780203448397 
  9. Leyshon, Andrew. Matless; David. Revill, George. (1998). The place of music. [S.l.]: Guilford Press. OCLC 37955674 
  10. Guiu, Claire (1 de dezembro de 2006). «Géographie et musiques : état des lieux». Géographie et cultures (59): 7–26. ISSN 1165-0354. doi:10.4000/gc.3738 
  11. Raibaud, Yves. (2005). Territoires musicaux en région: l'émergence des musiques amplifiées en Aquitaine. [S.l.]: Maison des sciences de l'homme d'Aquitaine. OCLC 58943527 
  12. Canova, Nicolas. (2014). La musique au coeur de l'analyse géographique. [S.l.]: Editions L'Harmattan. OCLC 886610392 
  13. Dozena, Alessandro. Geografia e música: diálogos. [S.l.: s.n.] OCLC 1129096949 
  14. TORRES, Marcos Alberto; KOZEL, Salete (31 de dezembro de 2010). «PAISAGENS SONORAS: POSSÍVEIS CAMINHOS AOS ESTUDOS CULTURAIS EM GEOGRAFIA». Raega - O Espaço Geográfico em Análise. 20. ISSN 2177-2738. doi:10.5380/raega.v20i0.20616 
  15. Panitz, Lucas Manassi (11 de setembro de 2012). «Por uma Geografia da música: um panorama mundial e vinte anos de pesquisas no Brasil». Para Onde!?. 6 (2): 1–10. ISSN 1982-0003. doi:10.22456/1982-0003.36474 
  16. Manassi Panitz, Lucas (1 de janeiro de 2012). Geografia e música: uma introdução ao tema. [S.l.]: Universitat de Barcelona. OCLC 808397779