Gilberto Ferrez

Historiador brasileiro
Gilberto Ferrez
Nascimento 1908
Morte 23 de maio de 2000 (92 anos)
Progenitores Mãe:Claire Louist Poncy
Pai:Julio Ferrez
Ocupação historiador
Prêmios Ordem do Mérito Cultural

Gilberto Ferrez (1908-2000) foi um historiador brasileiro. Neto do fotógrafo Marc Ferrez, a sua obra concentra-se na história da iconografia brasileira, mas ele também desempenhou papel fundamental no tombamento e na restauração de bens culturais brasileiros, na qualidade de conselheiro do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Dois exemplos marcantes da importância de sua intervenção pessoal são o Paço Imperial (prédio de enorme valor simbólico e histórico, posto que foi sede do governo colonial português e do imperial brasileiro), e o Pão de Açúcar, ícone maior da paisagem carioca — quiçá do Brasil como um todo — que a cupidez inescrupulosa pretendia transformar em pedra britada.[1]

BibliografiaEditar

  • FERREZ, Gilberto. O Rio de Janeiro e a defesa do seu porto (1555-1800). Rio de Janeiro: Serviço de Documentação Geral da Marinha, 1972.
  • FERREZ, Gilberto. Raras e preciosas vistas e panoramas do Recife (1755-1855). Rio de Janeiro: Fundação Nacional Pró-Memória, 1984.
  • FERREZ, Gilberto. Bahia: velhas fotografias (1858-1900). Rio de Janeiro: Kosmos Ed., 1989. il. mapas.
  • FERREZ, Gilberto. Iconografia do Rio de Janeiro (1530-1890) (2 vols.). Casa Jorge Editorial.
  • FERREZ, Gilberto. O velho Rio de Janeiro através das gravuras de Thomas Ender. Edições Melhoramentos, s.d. il. mapas

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 10 de maio de 2016. Arquivado do original em 14 de setembro de 2016 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.