Giulio Piccolo

Giulio Piccolo (Itália, 1880São Paulo, 1910) foi um aviador italiano.

Giulio Piccolo
Nascimento 1880
Morte 1910
Ocupação piloto

HistóriaEditar

Giulio Piccolo fez vários voos bem-sucedidos na Europa, onde obteve o certificado do Aero Clube da França em 23 de novembro de 1910.

Desembarcou em São Paulo em dezembro de 1910, com um aeroplano Blériot, para concorrer ao prêmio "Santos-Dumont" de aviação, instituído pelo recém-criado Aeroclube de São Paulo.[1][2] No dia 24 de dezembro, acidentou-se enquanto fazia testes com seu aeroplano no Velódromo de São Paulo. Foi socorrido e levado no automóvel do jornal Fanfulla ao Hospital Umberto I, onde chegou a ser operado, mas não resistiu aos ferimentos.

Giulio Piccolo morreu na madrugada do dia 25 de dezembro de 1910,[3][4]tornando-se a primeira vítima de um acidente de aviação em território brasileiro. Seu corpo está enterrado no Cemitério do Araçá.[5]

O prêmio "Santos-Dumont" foi entregue ao único concorrente de Giulio Piccolo, o também italiano Ruggerone, que realizou vários voos bem-sucedidos em São Paulo, com seu aeroplano Farman.[6]

O aeroplano Blériot com o qual Piccolo sofreu o acidente fatal foi comprado por Dimitri Sensaud de Lavaud, que o consertou e com ele fez um voo no Parque Antárctica, hoje também conhecido como Estádio Palestra Itália, em São Paulo, em 19 de fevereiro de 1911.[7][8]

Referências

  1. O Estado de S. Paulo, 23/12/1910, p. 9
  2. Correio Paulistano, 23/12/1910, p. 7
  3. O Estado de S. Paulo, 25/12/1910, p. 4-5
  4. Correio Paulistano, 25/12/1910, p. 9
  5. O Estado de S. Paulo, 27/12/1910, p. 6
  6. Correio Paulistano, 07/01/1911, p. 4
  7. O Estado de S. Paulo, 20/02/1911, p. 5
  8. Correio Paulistano, 20/02/1911, p. 4

BibliografiaEditar

  • ALEXANDRIA, Susana e NOGUEIRA, Salvador. 1910 - O Primeiro Voo do Brasil. São Paulo: Ed. Aleph, 2010. ISBN 978-85-7657-095-0