Golpe de Estado no Chade em 1990

O golpe de Estado no Chade em 1990 ocorreu em 3 de dezembro de 1990, quando as forças do Movimento Patriótico de Salvação (MPS), um grupo rebelde apoiado pela Líbia [1] sob a liderança do General Idriss Déby, entraram na capital chadiana N'Djamena sem oposição. As tropas do Movimento Patriótico de Salvação entraram no Chade a partir do Sudão três semanas antes. [2]

Golpe de Estado no Chade em 1990
Location Chad AU Africa.svg
Data 2–3 de dezembro de 1990
Local N'Djamena, Chade
Desfecho Golpe de Estado bem sucedido.
Beligerantes
Governo do Chade Rebeldes do Movimento Patriótico de Salvação
Apoio:
Líbia
Sudão
Comandantes
Hissène Habré Idriss Déby

Anteriormente, em 2 de dezembro, o presidente pró-Ocidente Hissène Habré (que governava o país desde 1982) teria fugido para a vizinha República dos Camarões com sua família, seu gabinete e os principais assessores como seus militares, quando as Forças Armadas Nacionais Chadianas (FANT) colapsaram. [3]

Adicionalmente, a França, que apoiou repetidamente o governo Habré contra rebeliões locais e ataques da Líbia na década de 1980, deu instruções às 1.300 tropas francesas estacionadas no Chade para não intervir no que descreveu como conflito interno, com o ministro das Relações Exteriores francês, Roland Dumas dizendo em uma aparente referência ao profundo envolvimento tradicional da França na Françafrique, suas ex-colônias na África:

Passaram os tempos em que a França escolheria governos ou mudaria de governo e manteria outros quando assim o desejasse. [2]

Dumas afirmou que cerca de 300 tropas francesas adicionais foram enviadas ao Chade nos dias seguintes apenas para proteger os cidadãos franceses e manter a ordem. [2] As tropas francesas e do Movimento Patriótico de Salvação começaram imediatamente a desarmar civis e a restaurar a ordem depois que tumultos e saques precipitaram sobre N'Djamena após o colapso do governo Habré. [2]

Referências

  1. «In Chad, Talk of a Libyan Resurgence». The New York Times. 6 de dezembro de 1990 
  2. a b c d «REBELS IN CONTROL OF CHAD'S CAPITAL». The New York Times. 3 de dezembro de 1990 
  3. «Chad President Reportedly Flees and Rebels March In». The New York Times. 2 de dezembro de 1990