Abrir menu principal

Wikipédia β

Manuel Gomes da Costa

(Redirecionado de Gomes da Costa)
Disambig grey.svg Nota: Para a avenida homónima, veja Avenida do Marechal Gomes da Costa.
Manuel Gomes da Costa
Manuel Gomes da Costa
10Presidente da República Portuguesa
Período 29 de junho de 1926
a 9 de julho de 1926
Antecessor(a) José Mendes Cabeçadas
Sucessor(a) Óscar Carmona
Presidente do Ministério de Portugal
Período 17 de junho de 1926
a 9 de julho de 1926
Antecessor(a) José Mendes Cabeçadas
Sucessor(a) Óscar Carmona
Dados pessoais
Nome completo Manuel de Oliveira Gomes da Costa
Nascimento 14 de janeiro de 1863
Reino de Portugal Portugal, Lisboa
Morte 17 de dezembro de 1929 (66 anos)
Portugal Portugal, Lisboa
Primeira-dama Henriqueta Júlia de Mira Godinho
Partido Independente (até 1917 e 1918–1929), Partido Centrista Republicano (1917–1918)
Profissão Militar (Marechal)
Assinatura Assinatura de Manuel Gomes da Costa

Manuel de Oliveira Gomes da Costa GOTEGOAGCA (Lisboa, 14 de janeiro de 1863Lisboa, 17 de dezembro de 1929) foi um militar e político português, presidente do Ministério acumulando com a chefia do Estado, fazendo dele o de facto décimo presidente da República Portuguesa e o segundo da Ditadura Nacional.

Índice

BiografiaEditar

Enquanto militar, destacou-se nas campanhas de pacificação das colónias, na Índia e em África, e ainda na I Grande Guerra. A 15 de Fevereiro de 1919 foi feito Grande-Oficial da Ordem Militar de Avis,[1] a 14 de Fevereiro de 1920 foi feito Grande-Oficial da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito e a 5 de Outubro de 1921 foi elevado a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis.[2]

Enquanto político, foi o líder que a direita conservadora encontrou para liderar a revolução de 28 de Maio de 1926, com início em Braga (isto após a morte do general Alves Roçadas, que deveria ter sido o seu chefe).[1]

Não assumiu de início o poder, que foi confiado a José Mendes Cabeçadas, o líder da revolução em Lisboa; como os revolucionários julgassem a atitude deste um pouco frouxa, Gomes da Costa viria, após sucessivas reuniões conspirativas mantidas no quartel-general de Sacavém, a alcançar o poder, após um golpe ocorrido em 17 de Junho de 1926.

 
Escultura de Gomes da Costa, do escultor Barata Feyo.

No entanto, o seu Governo não durou muito mais que o de Mendes Cabeçadas; em 9 de Julho do mesmo ano, uma nova contra-revolução, chefiada pelo general Óscar Carmona, derrubou Gomes da Costa, incapaz de lidar com os dossiês governativos.

Carmona, agora presidente do Ministério, enviou-o para o exílio nos Açores, e fê-lo Marechal do Exército Português.[1]

Ainda exerceu algumas funções de natureza política, mas com valor protocolar apenas. Em Setembro de 1927, regressou ao Continente, tendo falecido em condições miseráveis, sozinho, pobre e desligado do poder.[1]

Parte do seu espólio literário encontra-se na Biblioteca Nacional de Portugal.

Encontra-se colaboração sua na revista Contemporânea[3] [1915]-1920)

Obra PublicadaEditar

  • Gaza: 1897-1898, Lisboa, M. Gomes, 1899.
  • A Grande Batalha do C. E. P. (A Batalha do Lys) 9 de Abril de 1918, Lisboa, Livraria Popular de Francisco Franco, 1919.
  • O Corpo de Exército Português na Grande Guerra: A Batalha do Lys: 9 de Abril de 1918, Porto, Tip. Renascença Portuguesa, 1920.
  • A guerra nas colonias: 1914-1918, Lisboa, Portugal-Brasil, 192_.
  • Soldados de Portugal, Macau, Imprensa Nacional, 1923.
  • Descobrimentos e conquistas, Lisboa, Serv. Gráf. do Exército, 1927.
  • Descobrimentos e conquistas: Afonso de Albuquerque: 1569-1915, Lisboa, Imp. Nacional, 1929.
  • Memórias, com um prefácio do sr. Conselheiro Ayres d' Ornellas; e um posfácio do sr. Coronel Ferreira do Amaral, Lisboa, A. M. Teixeira & Ca, 1930.
  • A revolta de Goa e a campanha de 1895-1896, Lisboa, Soc. Ind. de Tipografia, 1939.

Referências

  1. a b c d «Gomes da Costa». Porto Editora. Infopédia. Consultado em 17 de dezembro de 2012. 
  2. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Manuel de Oliveira Gomes da Costa". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 28 de novembro de 2014. 
  3. Contemporânea [1915]-1920) (cópia digital, Hemeroteca Digital)

Ligações externasEditar