Grande Loja Maçônica do Ceará

Grande Loja Maçônica do Estado Ceará
GLMECE
Fundação: 19 de março de 1928 (92 anos)
Jurisdição: Ceará
Sede: Palácio Maçônico Professor Francisco Dias da Rocha, Av. do Imperador, 145
Fortaleza
Primeiro Grão Mestre: Álvaro Weyne
Grão-Mestre Atual: Narciso Dorta Ernandes Filho
Número de Lojas: 157[1]
Número de Afiliados: 4.500 [2]

A Grande Loja Maçônica do Estado Ceará é uma Obediência maçônica. Fundada em 19 de março de 1928, após a união das lojas "Deus e Camocim Nº 1", "Porangaba Nº 2" e "Fortaleza Nº 3". Seu primeiro Grão-Mestre foi Álvaro Weyne.

Regular de origem, recebeu sua Carta Constitutiva de N° 09 exarada pelo Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria para a República Federativa do Brasil, com a denominação inicial de Grande Loja Symbolica Escoceza Soberana para o Estado do Ceará. Alguns dos maçons afiliados que se destacaram são: Casimiro Ribeiro Brasil Montenegro, foi um dos fundadores, em 1905, e primeiro Venerável da Loja Porangaba Nº 2; Francisco Dias da Rocha, cientistas e grande benemérito da museologia do Ceará, Demócrito Rocha fundador do Jornal O Povo, dentre outros.[3]

Buscando sempre a obediência aos postulados internacionais de regularidade, na origem e na prática, obteve o reconhecimento de suas coirmãs do Brasil e das demais congêneres do mundo. Congrega 154 lojas maçonicas. É filiada a Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil.

Fontes e referênciasEditar

  1. Revista Mosaico Out-Dez 2019
  2. Revista Mosaico Jul-Set 2019
  3. MAGALHÃES, Zelito Nunes (2008). História da Maçonaria no Ceará. Fortaleza: Grande Loja Maçônica do Estado do Ceará 
  • ARAGÃO, Raimundo Batista. Maçonaria no Ceará: raízes e evolução. Fortaleza: Imprensa Oficial do Ceará, 1987.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Maçonaria é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.