Abrir menu principal
Granite Flats
Informação geral
Formato Série
Gênero drama
Duração 50 min
Estado Finalizada
País de origem  Estados Unidos
Idioma original inglês
Produção
Diretor(es) Scott Swofford
Brian McNamara
Blair Treu
Produtor(es) Derek Marquis
Jeff T. Miller
Scott Swofford
Terri Pappas
Jared Shores
Tema de abertura "The End of the World"
Exibição
Emissora de televisão original BYUtv
Transmissão original 7 de abril de 2013 – 4 de abril de 2015
N.º de temporadas 3
N.º de episódios 24

Granite Flats é a primeira série de drama de televisão original da BYUtv. A telessérie é ambientada em uma pequena cidade do Colorado no início dos anos 1960, durante a Guerra Fria, e segue vários cidadãos da cidade à medida que surgem circunstâncias misteriosas e potencialmente perigosas.[1]

Teve uma audiência de aproximadamente meio milhão de famílias por episódio.[2] Em 20 de abril de 2015, foi anunciado que Granite Flats se juntaria à Netflix; todas as três temporadas foram lançadas no serviço de streaming em 15 de maio de 2015.[3] Em 25 de junho de 2015, o produtor executivo do Granite Flats, Scott Swofford, anunciou o fim da série depois de três temporadas, chamando-a de um "enorme sucesso".[4]

ProduçãoEditar

O programa foi produzido em Salt Lake City, Utah, em uma antiga escola convertida em oito conjuntos dedicados que recriam a América dos anos 1960.[5] Como a BYUtv destina-se a um público familiar que compartilha os valores mórmons, não há fumo, nem conteúdo adulto ou extraconjugal, e todo o consumo de álcool é retratado de forma claramente negativa.[6]

DesenvolvimentoEditar

Durante 2010 e 2011, o recém-nomeado diretor de conteúdo da BYUtv, Scott Swofford, encomendou grupos focais direcionados a telespectadores que eram pelo menos nominalmente religiosos, para ver o que eles gostavam, não gostavam e queriam na TV. Swofford resumiu os resultados como: "Queremos ser entretidos. Depois, vamos ficar por aqui para ver a mensagem". Isso levou à criação do piloto para Granite Flats, que se tornou o primeiro drama da BYUtv e expandiu significativamente o público do canal, atraindo cerca de 500.000 espectadores por episódio, em comparação com o programa anterior, Love of Quilting, que normalmente tinha menos de 10.000.[5]

Financiamento e orçamentoEditar

De acordo com Swofford, o programa é financiado e sem fins lucrativos: "Nós não somos guiados por anúncios, então não estamos olhando para os Nielsens no dia seguinte e dizendo: 'Oh meu Deus, nós fizemos tudo bem?' Estamos dizendo: 'Isso funcionou? Isso está acontecendo? Está atingindo a audiência que queremos?' ... É uma medida totalmente diferente, e é estranho ter a oportunidade de jogar nessa arena sem ter que obedecer a algumas dessas regras. Isso torna possível fazer um trabalho independente ".[6] Cada episódio custou 800 mil dólares estadunidenses, cerca de um terço do padrão da indústria em Hollywood.[5]

Referências

  1. Scott Pierce (3 de abril de 2013). «5 things to know about 'Granite Flats,' BYUtv's first scripted drama». The Salt Lake Tribune (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2018. Arquivado do original em 22 de outubro de 2016 
  2. Samuel G. Freedman (1 de novembro de 2014). «Pop Culture and Religious Sensibility on a Mormon TV Network». The New York Times (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2018 
  3. Scott D. Pierce (20 de abril de 2015). «BYUtv's 'Granite Flats' will stream on Netflix». The Salt Lake Tribune (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2018 
  4. Scott D. Pierce. «A special message to Granite Flats fans» (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2018 
  5. a b c Samuel G. Freedman (31 de outubro de 2014). «Pop Culture and Religious Sensibility on a Mormon TV Network». New York Times (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2018 
  6. a b Liz Shannon Miller (18 de maio de 2015). «Why You Need to Know About 'Granite Flats,' Netflix's Newest Drama». Indie wire (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2018 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.