Abrir menu principal

Groupement de recherche et d'études pour la civilisation européenne

O Groupement de recherche et d'études pour la civilisation européenne ('Agrupamento de pesquisa e estudospara a civilização europeia'), também conhecido pelo seu acrônimo francês GRECE e pela denominação midiática de Nouvelle Droite, é, nas palavras de um dos seus fundadores, uma "sociedade de pensamento com vocação intelectual" ou uma "comunidade de trabalho e pensamento" [1]), oficialmente fundada em janeiro de 1969 por quarenta militantes[2] ligados ao nacionalismo europeu, então representado por movimentos como Europe-Action, liderado par Dominique Venner e Jean Mabire —, a FEN, o Mouvement nationaliste du progrès (MNP) ou o Rassemblement européen pour la liberté (REL)[3]. O filósofo Alain de Benoist é considerado como a "cabeça pensante ».

Trata-se pois, de um think tank etnonacionalista,[4] distinguindo-se de outras organizações conservadoras tradicionalistas por seu interesse específico nas culturas europeias, pela rejeição do cristianismo e do monoteísmo, e pela defesa do neopaganismo.

Referências

  1. Jean-Claude Valla, "Pour une renaissance culturelle". In Dix ans de combat culturel pour une renaissance, GRECE, Paris, 1977, p. 61.
  2. A revista Nouvelle École de agosto-setembro de 1968 publica a lista dos fundadores, dentre os quais se destacam: Roger Lemoine, antigo secretário do movimento francês de ultradireita Europe-Action e futuro presidente, depois presidente de honra, do GRECE; Jacques Bruyas, antigo dirigente da Fédération des étudiants nationalistes (FEN), organização estudantil de extrema direita, e responsável pela Europe-Action em Nice; Jean-Claude Valla, que seria por muito tempo, redator-chefe da revista do GRECE, Éléments. O nome definitivo da associação não foi escolhido imediatamente: no seu primeiro número (agosto-setembro de 1968), a revista Nouvelle École fazia referência a um certo Groupe de recherches et d'étude sur la civilisation européenne ("Grupo de pesquisas e estudos sobre a civilização europeia"). No outono de 1965, membros da FEN e da Europe-Action haviam criado os Groupes de recherche et d'études pour la communauté européenne ('Grupos de pesquisa e estudos para a Comunidade Europeia'), GRECE, sob a égide dos quais Alain de Benoist, usando o pseudônimo de Fabrice Laroche, havia publicado um panfleto sobre os indo-europeus (cf. Ariane Chebel d'Appollonia, L'Extrême-droite en France. De Maurras à Le Pen, éditions Complexe, col. « Questions au xxe siècle », Bruxelles, 1996, p. 461 [nota 16]).
  3. Sobre esses movimentos, cf. Pierre-André Taguieff, Entretien : origines et métamorphoses de la Nouvelle droite, Vingtième Siècle. Revue d'histoire]], vol. 40, nº 40, outubro-dezembro de 1993, p. 4-5 (entrevista reproduzida em seu livro, Sur la Nouvelle Droite. Jalons d'une analyse critique, « [[Descartes & Cie », 1994).
  4. Groupement de Recherche et d'Études pour la Civilisation Européenne (GRECE)