Guerra civil chilena de 1891

A Guerra civil chilena de 1891, também conhecida como Revolução de 1891, foi um conflito armado entre as forças apoiando o Congresso e as forças apoiando o Presidente em exercício do Chile, José Manuel Balmaceda.

Guerra Civil de 1891
Batalla de Concon.JPG
Batalha de Concón
Data 1891
Local Iquique, Valparaíso e Santiago, Chile.
Casus belli Conflito sobre o Orçamento fiscal de 1891 entre o presidente José Manuel Balmaceda e do Congresso.
Desfecho Vitória dos congressistas
Beligerantes
Flag of the President of Chile.svg
Balmacedistas
Bandera de Chile
Congressistas
Comandantes
José Manuel Balmaceda
Orozimbo Barbosa
José Miguel Alcérreca
José Velásquez Bórquez
Eulogio Robles Pinochet
Juan Williams Rebolledo
Jorge Montt
Estanislao del Canto
Emilio Körner
Ismael Valdés Vergara
Arturo Fernández Vial
Adolfo Holley
Forças
Exército do Chile Armada Chilena
Mineiros recrutados

Após uma série de disputas entre os poderes executivos e legislativos, a discussão sobre o Orçamento de Estado do 1891, finalmente, gerar a eclosão do conflito interno.[1] À medida que as forças do Exército chileno é dividido, apoiando ambos os lados, a Armada Chilena se juntou ao congressistas.

Em 12 de abril foi declarado um governo paralelo em Iquique, liderado por Ramón Luco e o almiranto Jorge Montt; revolucionários começou uma série de campanhas para derrubar Balmaceda com material de apoio britânico.[1] Rapidamente, as tropas congressistas derrotaram no norte os balmacedistas.

Após as batalhas de Concón (20 de agosto) e Placilla (28 de agosto), as forças leais ao presidente foram derrotados. Balmaceda entregou o poder a Manuel Baquedano em 28 de agosto (enquanto as forças revolucionárias conseguiram entrar em Santiago) e refugiou-se na embaixada da Argentina; ele acabou cometendo suicídio em 19 de Setembro de 1891, um dia após o término do seu mandato constitucional como Presidente, acabando com a Guerra Civil que produziu mais de 10.000 mortes.[2][3]

Na historiografia chilena, a guerra marca o fim da República Liberal e o início da Era Parlamentar.

Referências

  1. a b San Francisco, Alejandro (2007). La Guerra Civil de 1891. Tomo I, La Irrupción Política de los Militares (em castelhano). Santiago: Centro de Estudios Bicentenario.
  2. Bravo Lira, Bernardino (1986). Historia de las instituciones políticas de Chile e HispanoAmérica (em castelhano). Santiago de Chile: Editorial Andrés Bello. pp. 268. ISBN 956-13-1086-4.
  3. Espinoza, Julio Bañados (2005). Balmaceda, su gobierno y la revolución de 1891 (em castelhano). Santiago: Centro de Estudios Bicentenario.