Abrir menu principal

Wikipédia β

Guilherme VII de Monferrato

(Redirecionado de Guilherme VII de Montferrat)
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde agosto de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Guilherme VII de Monferrato
Marquês de Monferrato
1253 - 1292
Isabela de Clare
Beatriz de Castela
Descendência Irene de Monferrato
Nome completo
Guglielmo VII del Monferrato
Nascimento 1240
  Trino
Morte 6 de fevereiro de 1292
  Alessandria

Guilherme VII de Monferrato (em italiano: Guglielmo VII del Monferrato, também chamado de "Guilherme VII, o Grande", Trino, 1240 – Alessandria, 6 de fevereiro de 1292) foi marquês de Monferrato de 1253 até sua morte. Foi ainda "rei titular" de Tessalónica, de 1253 até 1284. O Reino de Tessalónica havia caído em 1224, de forma que o título era apenas nominal.

Como rei de Tessalônica, seguiu-se-lhe Hugo IV, Duque da Borgonha, de 1266 até 1271.

Guilherme era o pai da imperatriz-consorte bizantina Irene de Monferrato, casada com Andrônico II Paleólogo.

Índice

BiografiaEditar

JuventudeEditar

Guilherme nasceu em Trino. Era o filho mais velho de Bonifácio II de Monferrato e Margarida de Saboia. Foi indicado como herdeiro de seu pai num testamento de 1253, o ano da morte de seu pai e de sua sucessão. Permaneceu sob regência de sua mãe até 1257. Depois de atingida sua maioridade, casou-se com Isabel, filha de Ricardo de Clare, 6o. conde de Gloucester, em 1258. A mãe de Guilherme era prima em primeiro grau de Leonor da Provença, rainha-consorte da Inglaterra, e foi através de sua influência que o casamento foi arranjado.[1]

Política piemontesaEditar

Em seus primeiros anos, Guilherme procurou exercer seu poder no sul do Piemonte, como muitos de seus antecessores tinham tentado, combatendo a independência das comunas de Alessandria e Asti. Guilherme teve aliança e apoio do rei da França e da Igreja Católica. Porém sua proximidade com o imperador do Sacro Império Romano-Germânico deixou-o em dificuldades com os gibelinos. Sua política guelfa anti-imperial e pró-França, deixo-o com problemas com relação à autoridade imperial e vizinhos imperialistas.

Sua participação na política guelfa e a planejada invasão da Lombardia com Carlos I de Nápoles causaram uma guerra com Oberto Pelavicino, o comandante gibelino chefe da região, em 1264. Guilherme resistiu com determinação e eficácia, ocupando as fortalezas de Acqui terme, Tortona e Novi Ligure e confirmando sua posse de Nizza Monferrato. Em 1265, chegaram reforços franceses. Menos de oito anos após sua ascensão, Guilherme tinha estendido seu poder a Lanzo e à vizinhança de Alessandria.

Matrimônio e descendênciaEditar

Guilherme VII desposou em primeiras núpcias em 1258 com Isabela de Clare (1240 – 1270), filha de Ricado de Clare, da qual teve uma filha:

  • Margarida, que casou-se com o infante João de Valência;

Depois da morte de Isabel casou-se em segundas núpcias em 1271 com Beatriz de Castela (1254 – 1280), filha de Afonso X de Castela (1221 – 1284) e de Iolanda de Aragão (1236 – 1301), da qual teve:

Ver tambémEditar

Notas

  1. João I obteve um domínio em decadência e dividido, no qual permaneceram poucas comunas fiéis. Para a segurança do marquês, ele foi enviado às terras de Saluzzo onde permaneceu alguns anos.

Referências

  1. Howell 2001, p. 54.

BibliografiaEditar

Precedido por
Bonifácio II de Monferrato
 
Marquês de Monferrato

1253 — 1292
Sucedido por
João I de Monferrato
Precedido por
Bonifácio II de Monferrato
Rei de Tessalónica

1239 — 1253
Sucedido por
Hugo IV da Borgonha


  Este artigo sobre História da Itália é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.