Abrir menu principal

Wikipédia β

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura o pão ázimo não-consagrado; para a consagração, consulte hóstia consagrada; para demais casos, veja Óstia (desambiguação).
Partículas da Hóstia prontas

A hóstia é o termo usado para o pão consagrado pelo sacerdote ordenado, o bispo em primeiro e o presbítero em segundo lugar, mais também podendo ser usado pelos diáconos.[1] Na etimologia significa hostiam, que significa vítima.[2] Jesus, a vítima de nós mesmos, seres humanos, para a remissão dos nossos pecados [ I Coríntios 11:23-24 e Lucas 22:19 ].[3]

O pão de maior significado litúrgico para o rito eucarístico é o pão ázimo.[4] A produção do pão ázimo ainda é feito de forma artesanal em algumas localidades, mas já existem máquinas para facilitar o processo.[5]

A fabricação artesanal é realizada principalmente por religiosos em geral em mosteiros, onde o corte pode ser feito com tesoura, uma a uma.[6]

No processo industrial, realizado por empresas privadas ou organizações religiosas, são produzidas hóstias de dois tamanhos: 3 centímetros de diâmetro, pesando 0,6 gramas, para os fiéis, e 7,8 centímetros, para os sacerdotes.[7]

Vale lembrar que quando o pão está na condição de não-consagrado, é denominado de partícula.[8]

Equipamento para a fabricação de partículas

Ver tambémEditar

FontesEditar

  • http://vinnies-wellington.org.nz/altar-breads/
  • https://thinkprogress.org/low-gluten-diet-alternatives-have-reached-a-new-frontier-the-catholic-church-6711f8a48c07/
  • https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4406897/
  • Wecker, Menachem. "Matzah Communion". American Jewish Life Magazine. Archived from the original on 14 Mar 2016. Retrieved 16 April 2017. https://web-beta.archive.org/web/20160314094031/http://ajlmagazine.com/content/112006/matzah.html
  • See JA, Kaukinen K, Makharia GK, Gibson PR, Murray JA (Oct 2015). "Practical insights into gluten-free diets". Nat Rev Gastroenterol Hepatol (Review). 12 (10): 580–91. doi:10.1038/nrgastro.2015.156. PMID 26392070. "A lack of symptoms and/or negative serological markers are not reliable indicators of mucosal response to the diet. Furthermore, up to 30% of patients continue to have gastrointestinal symptoms despite a strict GFD.122,124 If adherence is questioned, a structured interview by a qualified dietitian can help to identify both intentional and inadvertent sources of gluten."
  • Benedict, Philip (2002). Christ's Churches Purely Reformed. New Haven: Yale University Press. p. 205. ISBN 978-0300105070.
  • Christianson, Thira. "Accepting Allergies". Friend. Church of Jesus Christ of Latter-day Saints. Retrieved 10 November 2011.
  • Tony Begonja, Eucharistic Bread-Baking As Ministry, San Jose: Resource Publications, 1991, ISBN 0-89390-200-4.