Abrir menu principal
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde dezembro de 2009). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaHaemophilus ducreyi
Fotomicrografia do H. ducreyi
Fotomicrografia do H. ducreyi
Classificação científica
Reino: Bacteria
Filo: Proteobacteria
Classe: Gammaproteobacteria
Ordem: Pasteurellales
Família: Pasteurellaceae
Género: Haemophilus
Espécie: H. ducreyi
Nome binomial
Haemophilus ducreyi
(Neveu-Lemaire 1921)
Bergey et al. 1923

O Haemophilus ducreyi é um cocobacilo gram-negativo, pleomórfico, causador da doença sexualmente transmissível denominada cancro mole ou cancróide. É um parasita obrigatório, não produzindo toxinas.[1]


Quadro ClínicoEditar

O cancro mole (popularmente "cavalo" pt-br) é uma IST aguda, muito contagiosa, e é a causa mais comum de úlceras genitais em todo o mundo. Inicia-se como uma lesão eritemato-papular, que evolui para pústula, e finalmente ara úlcera com base necrótica, muitas vezes purulenta, e borda bem definida. Em geral ocorrem múltiplas lesões e adenopatia inguinal, habitualmente unilateral, ("ínguas na virilha"), a qual pode, também, ulcerar-se.

Diagnóstico LaboratorialEditar

Para identificação do agente patogénico em questão, recolhe-se o exsudato purulento ou o aspirado de um gânglio linfático, o qual é submetido ao exame microscópico (coloração de Gram). Posteriormente é feito um exame cultural em meio enriquecido com factor X, isto é, hemina. Podem também ser realizados exames moleculares.

TratamentoEditar

Após o diagnóstico laboratorial, o doente deve abster-se de relações sexuais, para evitar contágio de terceiros, e como antibioterapia de 1ª linha, é-lhe ministrada azitromicina em dose única. Como antibioterapia de 2a. linha, eritromicina, cefotriaxona ou ciprofloxacina são comummente utilizados. Os parceiros sexuais devem também ser tratados.

Referências