Abrir menu principal

Hahnemann Guimarães

Hahnemann Guimarães (Rio de Janeiro, 27 de novembro de 190114 de abril de 1980) foi um jurista brasileiro.[1]

Graduou-se em direito pela Universidade do Rio de Janeiro (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ) em 1923. Foi docente de Direito Romano na mesma universidade, assumindo mais tarde também a cadeira de direito civil.

Foi Consultor-Geral da República, de 13 de maio de 1941 a 19 de maio de 1945[2] e Procurador-Geral da República de 1945 a 1946.[3]

Em 1946 foi nomeado ministro do Supremo Tribunal Federal, por decreto do presidente Eurico Gaspar Dutra, assumindo a vaga aberta pela morte de Valdemar Falcão. Depois de 20 anos de atuação no tribunal, chegou a ser eleito presidente do órgão, em 1966. No entanto, recusou-se a assumir a presidência, por motivos de saúde. Um ano depois, a doença o levou a se retirar do STF.[4] Foi sucedido por Themístocles Brandão Cavalcanti.

Morreu em 1980, no Rio de Janeiro.

Referências

  1. No Supremo, sessão marca centenário do ministro Hahnemann Guimarães. Tribunal de Justiça do Estado de Tocantins, 10 de março de 2005
  2. «Getúlio Vargas, 17º e 20º presidente da República Federativa do Brasil». Consultado em 5 de junho de 2016. Arquivado do original em 12 de junho de 2016 
  3. Biografia - Hahnemann Guimarães. Ministério Público Federal
  4. Hahnemann Guimarães. Ministros - STF

Ligações externasEditar