Haloragaceae

Haloragaceae é uma família de plantas angiospérmicas (plantas com flor - divisão Magnoliophyta), pertencente à ordem Saxifragales que por sua vez compõe a classe Magnoliopsida (Dicotiledóneas) pois os embriões apresentam dois ou mais cotilédones.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaHaloragaceae
Myriophyllum spicatum
Myriophyllum spicatum
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Saxifragales
Família: Haloragaceae
Géneros
Ver texto.

As Halogaraceae são ervas perenes, ou seja, possuem um ciclo de vida longo e portanto, raramente são anuais. Estão presentes em habitat aquático e terrestre, estando distribuídas principalmente no Hemisfério Sul, com maior incidência na Austrália.

MorfologiaEditar

Essas plantas apresentam caules longos que podem ser rastejantes ou eretos. Apresentam folhas simples nas espécies terrestres e lobadas nas espécies aquáticas. Suas folhas apresentam estípulas, são dispostas em cruz ou alternadas[1].

A inflorescência é do tipo dicásio, composta por 1 a 5 flores que surgem a partir da axilas de brácteas primárias semelhantes a folhas. Suas flores são pequenas, possuem simetria radial (actnomorfas), podem ser bissexuais ou unissexuais sendo que temos a ocorrência de protandria, cálice composto por 2-4 sépalas e possuem cerca de 2-8 estames curtos e delgados[2].

A dispersão do pólen ocorre tanto pelo vento (anemofilia) como por insetos (entomofilia). Apresentam ovário ínfero com 1-2 ou 4 células com a presença de septos sólidos ou praticamente ausentes. Os óvulos se desenvolvem a partir da placentação apical do tipo anátropo[3].

A fruta é semelhante a uma noz ou drupa, indeiscente pois não ocorre sua abertura após a maturação, com 1 semente. O pericarpo é membranoso ou endocarpo lenhoso. Exocarpo é membranoso ou inchado e espinhoso. As sementes apresentam testa delgada, embrião cilíndrico, rodeado por albúmen espesso e branco[4].

DistribuiçãoEditar

As Haloragaceae estão amplamente distribuídas em regiões temperadas e subtropicais de todos os continentes, inclusive, algumas espécies de Myriophyllum são encontradas no Ártico, no entanto, são principalmente encontradas no Hemisfério Sul com uma concentração com cerca de 70% das espécies em torno da Austrália, Nova Zelândia e Tasmânia [5].

Origem e EvoluçãoEditar

Estudos utilizando sequências de DNA de ITS, matK e os íntrons trnK 50 e trnK 30 obtidos de 102 espécies representantes dos 8 gêneros de Haloragaceae para a datação Bayesiana, sugere que a primeira diversificação das Haloragaceae existentes ocorreu na Austrália, durante o período Eoceno (37,3 a 56,3 Ma)[6].

A diversificação dessa família teria se iniciado no hemisfério sul como resultado de eventos de vicariância entre Austrália, América do Sul e Nova Zelândia. Além disso, os resultados também indicaram múltiplas rotas de dispersão para a Ásia durante o Mioceno e consequente dispersão para Europa e América do Norte[7].

Espécies[8]Editar

  • Haloragis trigonocarpa
  • Hatoragis erecta
  • Haloragis exalata
  • Haloragis stricta
  • Haloragis eyreana
  • Haloragis glauca
  • Haloragis aspera
  • Halogaris dura
  • Haloragis heterophylla
  • Haloragis acutangula
  • Haloragis foliosa
  • Haloragis hamata
  • Haloragis digyna
  • Haloragis serra
  • Haloragis masatierrana
  • Trihaloragis hexandrus
  • Haloragodendron glandulosum
  • Haloragodendron lucasii
  • Haloragodendron gibsonii
  • Haloragodendron bauerlenii
  • Haloragodendron monospermum
  • Haloragodendron racemosum
  • Gonocarpus elatus
  • Gonocarpus longifolius
  • Gonocarpus teucrioides
  • Gonocarpus humilis
  • Gonocarpus mezianus
  • Gonocarpus oreophilus
  • Gonocarpus tetragynus
  • Gonocarpus salsoloides
  • Gonocarpus urceolatus
  • Gonocarpus scordioides
  • Gonocarpus nodulosus
  • Gonocarpus chinensis
  • Gonocarpus leptothecus
  • Gonocarpus acanthocarpus
  • Gonocarpus ephemerus
  • Gonocarpus pusillus
  • Gonocarpus paniculatus
  • Gonocarpus trichnostachyus
  • Gonocarpus benthamii
  • Gonocarpus cordiger
  • Gonocarpus intricatus
  • Gonocarpus montanus
  • Gonocarpus micranthus
  • Gonocarpus eremophyllus
  • Myriophyllum votschii
  • Myriophyllum lophatum
  • Myriophyllum alpinum
  • Myriophyllum limnophilum
  • Myriophyllum drummondii
  • Myriophyllum echinatum
  • Myriophyllum simulans
  • Myriophyllum variifolium
  • Myriophyllum petraeum
  • Myriophyllum crispatum
  • Myriophyllum ussuriense
  • Myriophyllum papillosum
  • Myriophyllum trachycarpum
  • Myriophyllum coronatum
  • Myriophyllum filiforme
  • Myriophyllum laxum
  • Myriophyllum tenellum
  • Myriophyllum humile
  • Myriophyllum heterophyllum
  • Myriophyllum hippuroides
  • Myriophyllum pinnatum
  • Myriophyllum farwellii
  • Myriophyllum latifolium
  • Myriophyllum muricatum
  • Myriophyllum dicoccum
  • Myriophyllum lapidocola
  • Myriophyllum amphibium
  • Myriophyllum pedunculatum
  • Myriophyllum tillaeoides
  • Myriophyllum trifida
  • Myriophyllum sbiricum
  • Myriophyllum spicatum
  • Myriophyllum alterniflorum
  • Myriophyllum caput-medusae
  • Myriophyllum salsugineum
  • Myriophyllum verrucossum
  • Myriophyllum balladoniense
  • Myriophyllum quitense
  • Myriophyllum triphyllum
  • Myriophyllum robustum
  • Myriophyllum decussatum
  • Myriophyllum verticillatum
  • Myriophyllum oguraense
  • Myriophyllum matogrossense
  • Myriophyllum aquaticum
  • Laurenbergia minor
  • Laurenbergia repens
  • Laurenbergia tetrandra
  • Proserpinaca pectinata
  • Proserpinaca palustris
  • Meionectes brownii
  • Meionectes teunifolia
  • Glischrocaryon behrii
  • Glischrocaryon roei
  • Glischrocaryon flavescens
  • Glischrocaryon aureum

Espécies de ocorrência no BrasilEditar

  • Laurenbergia tetrandra. Domínios: cerrado e mata atlântica. Distribuição geográfica: Nordeste (PE, BA), Centro-Oeste (DF, MS), Sudeste (ES, RJ, SP), Sul (PR, SC, RS) [9].
  • Myriophyllum aquaticum. Domínios: cerrado e mata atlântica. Distribuição geográfica: Nordeste (BA), Sudeste (SP), Sul (PR, SC, RS)[10].

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre a ordem Saxifragales, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Chen, Ling-Yun; Zhao, Shu-Ying; Mao, Kang-Shan; Les, Donald H.; Wang, Qing-Feng; Moody, Michael L. (setembro de 2014). «Historical biogeography of Haloragaceae: An out-of-Australia hypothesis with multiple intercontinental dispersals». Molecular Phylogenetics and Evolution: 87–95. ISSN 1055-7903. doi:10.1016/j.ympev.2014.04.030. Consultado em 28 de junho de 2021 
  2. Chen, Ling-Yun; Zhao, Shu-Ying; Mao, Kang-Shan; Les, Donald H.; Wang, Qing-Feng; Moody, Michael L. (setembro de 2014). «Historical biogeography of Haloragaceae: An out-of-Australia hypothesis with multiple intercontinental dispersals». Molecular Phylogenetics and Evolution: 87–95. ISSN 1055-7903. doi:10.1016/j.ympev.2014.04.030. Consultado em 28 de junho de 2021 
  3. Chen, Ling-Yun; Zhao, Shu-Ying; Mao, Kang-Shan; Les, Donald H.; Wang, Qing-Feng; Moody, Michael L. (setembro de 2014). «Historical biogeography of Haloragaceae: An out-of-Australia hypothesis with multiple intercontinental dispersals». Molecular Phylogenetics and Evolution: 87–95. ISSN 1055-7903. doi:10.1016/j.ympev.2014.04.030. Consultado em 28 de junho de 2021 
  4. Chen, Ling-Yun; Zhao, Shu-Ying; Mao, Kang-Shan; Les, Donald H.; Wang, Qing-Feng; Moody, Michael L. (setembro de 2014). «Historical biogeography of Haloragaceae: An out-of-Australia hypothesis with multiple intercontinental dispersals». Molecular Phylogenetics and Evolution: 87–95. ISSN 1055-7903. doi:10.1016/j.ympev.2014.04.030. Consultado em 28 de junho de 2021 
  5. Praglowski, J. (janeiro de 1970). «The Pollen Morphology of the Haloragaceae with Reference to Taxonomy». Grana (3): 159–239. ISSN 0017-3134. doi:10.1080/00173137009427397. Consultado em 28 de junho de 2021 
  6. Chen, Ling-Yun; Zhao, Shu-Ying; Mao, Kang-Shan; Les, Donald H.; Wang, Qing-Feng; Moody, Michael L. (setembro de 2014). «Historical biogeography of Haloragaceae: An out-of-Australia hypothesis with multiple intercontinental dispersals». Molecular Phylogenetics and Evolution: 87–95. ISSN 1055-7903. doi:10.1016/j.ympev.2014.04.030. Consultado em 28 de junho de 2021 
  7. Chen, Ling-Yun; Zhao, Shu-Ying; Mao, Kang-Shan; Les, Donald H.; Wang, Qing-Feng; Moody, Michael L. (setembro de 2014). «Historical biogeography of Haloragaceae: An out-of-Australia hypothesis with multiple intercontinental dispersals». Molecular Phylogenetics and Evolution: 87–95. ISSN 1055-7903. doi:10.1016/j.ympev.2014.04.030. Consultado em 28 de junho de 2021 
  8. Chen, Ling-Yun; Zhao, Shu-Ying; Mao, Kang-Shan; Les, Donald H.; Wang, Qing-Feng; Moody, Michael L. (setembro de 2014). «Historical biogeography of Haloragaceae: An out-of-Australia hypothesis with multiple intercontinental dispersals». Molecular Phylogenetics and Evolution: 87–95. ISSN 1055-7903. doi:10.1016/j.ympev.2014.04.030. Consultado em 28 de junho de 2021 
  9. FELIPE BIANCHI ABTIBOL, LUIZ. «TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA DIRETA NO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL: ESTUDO DE CASO NO INSTITUTO DE PESQUISAS JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO». Consultado em 28 de junho de 2021 
  10. FELIPE BIANCHI ABTIBOL, LUIZ. «TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA DIRETA NO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL: ESTUDO DE CASO NO INSTITUTO DE PESQUISAS JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO». Consultado em 28 de junho de 2021