Abrir menu principal

Hatão da Aquitânia

Hatão da Aquitânia
Progenitores Pai:Odão da Aquitânia
Filho(s) Lupo II da Aquitânia
Ocupação aristocrata
Título duque

Hatão (em latim: Hatto) pode ter sido duque de Aquitânia e da Vascônia em 735, após a morte de seu pai Eudo da Aquitânia, juntamente com seu irmão Hunaldo I. Tinha a sua residência em Poitiers. Recusando-se a reconhecer a soberânia de Carlos Martel, deve enfrentar em presença, o que o leva a Bordéus e o captura logo depois[1].

Em seguida submete-se aos Carolíngios. Quando o seu irmão Hunaldo se submete, finalmente, ele arranca os olhos, antes de retirar-se para um mosteiro da ilha de Ré.

O seu filho Eudo dito d'Oisy está na origem da primeira Casa de Oisy e foi nomeado em 780 castelão de Cambrai e senhor de Oisy por aquele que seria Carlos Magno, em compensação pela perda de sua propriedade, na Aquitânia. Este Odão desposará Elissende dita de Walincourt e Crèvecœur, e o casal é o tronco de muitas famílias nobres da Região.

FontesEditar

  • Jean Le Carpentier, História de Cambrai e de Cambrésis, 1639, Leyde.
  • Lista de senhores de Oisy.
  • Estudos históricos dedicado à memória do Dr. Roger Rodière Comission départementale des Monuments historiques du Pas-de-Calais.
  • Registos gerais da nobreza da França de Louis Pierre Hozier de 1867, página 94, Casa de Clary-Walincourt de acordo com La Chesnay.

Referências

  1. Michel Dillange, Les comtes de Poitou, ducs d'Aquitaine: 778-1204, Mougon, Geste éd., coll. « Histoire », 1995, 303 p., ill., couv. ill. en coul. ; 24 cm (ISBN 2-910919-09-9, ISSN 1269-9454, notice BnFno FRBNF35804152)p. 18
  A Wikipédia tem os portais:
  • haut Moyen Âge
  • Aquitaine
  • Pays basque