Abrir menu principal
Ambox question.svg
Esta página ou seção carece de contexto (desde janeiro de 2018).

Este artigo (ou seção) não possui um contexto definido, ou seja, não explica de forma clara e direta o tema que aborda. Se souber algo sobre o assunto edite a página/seção e explique de forma mais clara e objetiva o tema abordado.

Henry McMahon
Nascimento 28 de novembro de 1862
Shimla
Morte 29 de dezembro de 1949 (87 anos)
Londres
Cidadania Reino Unido
Ocupação diplomata
Prêmios Cavaleiro Grã-Cruz da Real Ordem Vitoriana, Cavaleiro Grã-Cruz da Ordem de São Miguel e São Jorge, Cavaleiro Comandante da Ordem do Império Indiano, Companheiro da Ordem da Estrela da Índia

Tenente Coronel Sir Arthur Henry McMahon, Cavaleiro Grã-Cruz da Ordem de São Miguel e São Jorge, Cavaleiro Grã-Cruz da Real Ordem Vitoriana, Cavaleiro Comandante da Ordem do Império Indiano, Companheiro da Ordem da Estrela da Índia e Cavaleiro da Justiça da Ordem de São João (28 de novembro de 1862, Simla, Índia – 29 de dezembro de 1949, Londres, Reino Unido), foi um diplomata britânico e oficial do Exército da Índia Britânica, que serviu como alto comissário no Egito entre 1915 e 1917.​ Também foi administrador no Raj britânico e serviu duas vezes como comissário-chefe do Baluchistão.​ McMahon é conhecido pela Correspondência Hussein-McMahon com Hussein ibne Ali (Xarife de Meca), pela Linha McMahon entre Tibete e Índia e a Declaração aos Sete como resposta a um memorando escrito pelos sete notáveis Sírios. Depois da publicação pelo governo russo dos bolcheviques do Acordo Sykes-Picot em novembro de 1917, McMahon renunciou.​ Também se destaca no livro de Thomas Edward Lawrence, Os Sete Pilares da Sabedoria, que conta seu papel na Revolta Árabe contra o Império Otomano durante a Primeira Guerra Mundial.

Referências