Hesbaye (Francês) ou Haspengouw (Holandês) (Em Latim Hesbania em documentos medievais), é uma região que tem ao sul a província belga de Limburgo, a noroeste a província de Líege e a leste o Brabante Flamengo e o Brabante Valão.

Pequeno Vilarejo em Hesbaye

A parte de Limburgo de Hesbaye contém as cidades de Tongeren, Sint-Truiden, Bilzen e Borgloon, enquanto que nas áreas brabante ficam Tienen, Landen e Zoutleeuw. Desde o século VII era um importante feudo a noroeste das marcas do Reino Austrásia dos Merovíngeos. Fica "naquela região onde o promontório ocidental de Eifel encontra as franjas da silva carbonaria, uma area florestal muito mencionada na história dos Francos”.[1] O Condado Merovíngeo foi consolidado a partrir das antigas “marcas fronteiriças Haspinga da qual o elemento final -ga sobrevive na forma do nome limburguês: Gau (plural Gaue) era um nome Franco antigo para uma divisão política, equivalente em etimologia ao Francês “pays.

HistóriaEditar

Hesbania (algumas vezes confundida com Hispania em documentos antigos) foi talvez separada para Lamberto de Maastricht/Lambertus” (n. 640), filho de Guerino, Conde de Poitiers (612 em Austrásia, 677/87). Foi mencionada na divisão de territórios na divisão de terras entre Carlos II de França e Luís o Germânico em 880. Em 1040, Henrique III, Sacro Imperador Romano-Germânico doou o feudo ao príncipe-bispo Nitardo de Liége que o integrou ao Principado-Bispado de Liège.

Os mais conhecidos Condes de Hesbaye foram Ingerman e seu irmão Robert, avô de “”Robert o Forte’’, o qual fundou a Dinastia do Ducado de Brabante e também a Dinastia Capetiana dos Reis da França. A sorte da linhagem dos Condes de Hesbaye foi consolidada quando Ermengarde de Hesbaye (778 em Hesbaye — 3 Outubro 818 em Angers), filha de Ingerman, casou Luís I, o Piedoso, filho de Carlos Magno.

Hoje Hesbaye ainda é uma área rural, com diversos pequenos vilarejos. Théo Brulard em seu estudo La Hesbaye. Étude géographique d'économie rurale (Louvain) 1962, chamou a atenção para o contraste entre os aspectos original e atual da região, hoje uma área de campo, desflorestada, muito agrícola, uma área hoje mais “humanizada” do que de natureza..

NotasEditar

Referências externasEditar