Abrir menu principal
Hino do Estado da Paraíba

Hino do Estado  Paraíba
Letra Francisco Aurélio de Figueiredo e Melo
Composição Abdon Felinto Milanês
Adotado 1905
Texto original (Wikisource)
Wikisource-logo.svg Hino do estado da Paraíba
Portal A Wikipédia possui o
Portal da Paraíba

O Hino do Estado da Paraíba foi escrito por Francisco Aurélio de Figueiredo e Melo e musicado por Abdon Felinto Milanês. Apresentado pela 1ª vez no dia 30 de junho de 1905. Foi oficializado somente no ano de 1979.

HinoEditar

Salve, berço do heroísmo,
Paraíba, terra amada,
Via-láctea do civismo
Sob o céu do amor traçada!
No famoso diadema
Que da Pátria a fronte aclara
Pode haver mais ampla gema:
Não há Pérola mais rara!
Quando repelindo o assalto
Do estrangeiro, combatias,
Teu valor brilhou tão alto
Que uma estrela parecias!
Nesse embate destemido
Teu denodo foi modelo:
Qual Rubi rubro incendido
Flamejaste em Cabedelo!
Depois, quando o Sul, instante,
Clamou por teu braço forte,
O teu gládio lampejante
Foi o Diamante do Norte!
Quando, enfim, a madrugada
De novembro nos deslumbra,
Como um sol a tua espada
Dardeja e espanca a penumbra!
Tens um passado de glória,
Tens um presente sem jaça:
Do Porvir canta a vitória
E, ao teu gesto a Luz se faça!
Salve, ó berço do heroísmo,
Paraíba, terra amada,
Via-láctea do civismo
Sob o Céu do Amor traçada!

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre um hino é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.