Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaHipselossauro
Hypselosaurus egg 2.jpg
Estado de conservação
Extinta (fóssil)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: Saurischia
Subordem: Sauropodomorfa
Infraordem: Sauropoda
Família: Titanosauridae
Género: Hypselossauro

Hipselossauro (significa "lagarto alto", do grego antigo ὑψηλός que significa "alto" e σαυρος que significa "lagarto") foi um grande dinossauro de 8,2 metros de comprimento, do grupo dos titanossauros saurópodes que viveram na Europa durante o Cretáceo Superior, por volta de 70 a 65 milhões de anos atrás.

A espécie foi cientificamente descrita pelo geologista Pierre Émile Philippe Matheron em 1846[1] e oficialmente nomeado em 1869,[2] com base em fragmentos remanescentes do Cretáceo Superior encontrados em Provence na França.[3] Matheron achava que o animal era um crocodilo gigante.

As pernas do Hipselossauro eram proporcionalmente robustas ao seu tamanho. Ovos atribuídos ao animal por Matheron e Paul Gervais foram encontrados na França em 1846, o primeiro achado verdadeiro de fósseis desse tipo, mas só foram reconhecidos como de dinossauros depois de muitas décadas. Os ovos são de um tamanho grande incomum; cerca de 30 cm de diâmetro. Os estudos para a datação dos fósseis permanecem inconclusivos com os resultados variando de poucas décadas até centenas de anos.[4]

Notas

  1. Matheron P., 1846, "Sur les terrains traversés par le souterrain de la Nerthe, près Marseille. Bulletin de la Société géologique de France" 4(2): 261-269
  2. P. Matheron, 1869, "Note sur les reptiles fossiles des dépôts fluvio-lacustres crétaces du bassin à lignite de Fuveau", Bulletin de la Société géologique de France, série 2 26: 781-795
  3. Buffetaut, Eric; Cuny, Gilles; Le Loeuff, Jean (1993). «The Discovery of French Dinosaurs». In: Sargeant, William A.S. (ed.). History of the Study of Dinosaurs. [S.l.]: Routledge. pp. 161–182. ISBN 288124906X 
  4. Case, T. J. (1978). Especulações sobre datação e reprodução de alguns dinossauros. Paleobiology 4, 320-328.

Ligações externasEditar