Abrir menu principal

Hospital Santa Isabel (Blumenau)

hospital em Blumenau, Brazil
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário ou apologético (desde setembro de 2018).
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{ER|6|2=~~~~}}, regra nº 6 da eliminação rápida.

O Hospital Santa Isabel é um hospital geral de Blumenau, Santa Catarina, Brasil. Caracteriza-se pela liderança nos serviços de alta complexidade e por seu pioneirismo no estado.[carece de fontes?] Foi fundado e mantido pela Sociedade Divina Providência.[1]

Com uma média de 14 mil internações por ano e um Serviço de Emergência que atende toda a região do Médio Vale do Itajaí, o Santa Isabel conta com uma equipe de cerca de 1.200 colaboradores, além dos profissionais de serviços terceirizados, como laboratório de análises clínicas. O trabalho multidisciplinar das equipes permite uma atenção a todos os aspectos da saúde do paciente, com objetivo de proporcionar uma recuperação rápida e completa.

Nos últimos anos, o hospital tem se destacado por sua excelente atuação na área de transplantes de órgãos sólidos como fígado, rins, pâncreas e coração.[2]

HistóriaEditar

 
Primeira casa onde funcionou o hospital, em 1909.

O Santa Isabel começou sua trajetória com a chegada das primeiras irmãs da Divina Providência ao Brasil, em 1895. Durante os primeiros anos, praticaram a enfermagem ambulante em toda a região. Na época, o Dr. Ernst Sappelt, que trabalhava em Blumenau, pediu para as irmãs que cuidassem dos seus pacientes mais graves. Foi então que elas providenciaram um quarto para o tratamento dos doentes. Localizado dentro do Colégio Sagrada Família, aos poucos tornou-se insuficiente devido à chegada de mais doentes. Era hora de ampliar.

As irmãs utilizaram uma casa ao lado do colégio. A casa foi reformada e logo foi construída uma sala de cirurgia. Muitas senhoras da sociedade blumenauense arrecadaram fundos para pagar as despesas com a reforma e as construções. Nascia, em 4 de outubro de 1909, o Hospital Santa Isabel.

Mais tarde, o Padre Marzellus, superior dos reverendos padres franciscanos do Convento dos franciscanos de Blumenau, observando a necessidade de ampliação do Santa Isabel, consultou seu amigo, o engenheiro Bundgens, que apresentou algumas plantas para a construção de um novo hospital.

Alunos do Colégio Sagrada Família e do Colégio Franciscano ajudaram na arrecadação de fundos para a nova construção. Mesmo durante as obras o hospital não parou de funcionar, atendendo à população da região.

Em 15 de outubro de 1916 terminava a construção do Hospital Santa Isabel, inaugurado com uma grande festa que envolveu toda a comunidade. A competência dos médicos, irmãs e enfermeiras trouxe grandes benefícios para toda a população blumenauense.

Inicialmente, o hospital contava com dois salões com 20 leitos cada, mas a partir de 1916, não parou de crescer. Hoje, conta com mais de 20 mil metros quadrados de área construída. Foi pioneiro na implantação de equipamentos e serviços como raio X (em 1920), tomografia computadorizada (1982), angiografia digital (1992) e serviço de medicina nuclear (1992).

Em 1973 deu-se início aos trabalhos na unidade de terapia tntensiva (UTI). Em 1976 criou-se a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e começou o funcionamento da sala de hemodiálise.

A história dos transplantes no hospital tem início em 1980 com o primeiro transplante renal. Os primeiros transplantes cardíacos e de fígado do estado seriam realizados em 2000 e em 2002, respectivamente, no próprio Hospital Santa Isabel.

 
Foto da Fachada.

O hospital obteve renome pela região Sul do Brasil, recebendo do Ministério da Saúde o Prêmio de Qualidade Hospitalar (Categoria Estadual), em 2001, conquistando o prêmio Hospital Best (como Melhor Hospital de Santa Catarina), em 2004, e sendo reconhecido pelo Ministério da Saúde como a melhor Comissão de Transplantes de Órgãos do país, em 2006.

Comemorando seu centenário no ano de 2009,[3] lançou uma revista comemorativa e um vídeo institucional,[4] que marcam a trajetória do hospital e a sua importância para a comunidade catarinense.

ValoresEditar

MissãoEditar

Oferecer serviços de excelência em saúde, com ética, direcionados à promoção da vida, buscando inovação e aperfeiçoamento humano.

VisãoEditar

Ser reconhecida como a melhor Instituição prestadora de Serviços de Saúde na região Sul do Brasil, sendo auto-sustentável, proporcionando a satisfação dos clientes e colaboradores.

ValoresEditar

Humanização e solidariedade; carisma e espiritualidade; competência; comprometimento; inovação; ética.

EstruturaEditar

O Hospital Santa Isabel possui 250 leitos em aproximadamente 22.900m². As acomodações são diferenciadas em suítes, apartamentos e quartos coletivos. As suítes e os apartamentos contam com serviço de hotelaria com: TV a cabo, frigobar, ar condicionado, telefone e leito para acompanhante.

O Serviço de Emergência do Hospital Santa Isabel dispõe de completa equipe médica, disponível 24 horas por dia, além de instalações e equipamentos especialmente projetados e acesso direto. O hospital possui também duas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) com 20 e 9 leitos.

A Maternidade Bertha Louise, instalada no hospital, é equipada com salas para parto normal e cirúrgico, salas de pré-parto privativa e semi-privativa e de recuperação.

Primeiros transplantesEditar

  • Rins - 1980 (segundo do Estado de Santa Catarina)[5]
  • Coração - 2000 (primeiro do Estado de Santa Catarina)[6]
  • Fígado - 2002 (primeiro do Estado de Santa Catarina)[7]
  • Pâncreas - 2005 (primeiro do Estado de Santa Catarina)[8]

Residência médicaEditar

O Hospital Santa Isabel oferece residência médica[9] nas seguintes especialidades:

  • Clínica Médica
  • Cirurgia Geral
  • Neurologia
  • Neurocirurgia
  • Cirurgia Vascular
  • Radiologia
  • Nefrologia

Células-troncoEditar

O Santa Isabel é o único hospital no Estado de Santa Catarina a participar do Estudo Multicêntrico Randomizado de Terapia Celular em Cardiopatias,[10] buscando novas possibilidades de tratamento do infarto agudo do miocárdio.[11]

Referências

Ligações externasEditar