Abrir menu principal

Igreja Matriz de São Martinho de Candoso

Igreja Matriz de São Martinho de Candoso
Igreja Matriz de São Martinho de Candoso iluminada à Noite
Igreja Matriz de São Martinho de Candoso iluminada à Noite

Igreja Matriz de São Martinho de Candoso localiza-se em São Martinho de Candoso, concelho de Guimarães, Portugal. Constitui-se em um dos 203 edifícios românicos que existem por todo o país.

HistóriaEditar

Não se sabe a data da sua construção, apenas sabe-se que já existia em 1043, ficando a incógnita se existia ou não antes do século XI.

De acordo com o historiador português António Lino Neto, teria existido um templo visigótico no local.

No alçado lateral esquerdo, na antiga porta de entrada dos homens, encontra-se gravada numa pedra, em letra gótica, a inscrição: "Na era 210 Pedro Leão obrou-a". Entretanto, falta a letra que devia designar o milhar, ou por estar apagada, ou por omissão (o que era frequente naquele tempo). Esta era que é de César (e que permanece até 1428, reinado de João I de Portugal), equivale ao ano de 1172 da nossa era. Esta inscrição alude, certamente, a uma ampliação do templo, talvez pelo fato de, nesta data, S. Martinho de Candoso ser uma paróquia em desenvolvimento.

Encontra-se classificada como Monumento Nacional desde 1910.

CaracterísticasEditar

Em estilo românico, as suas formas são baixas e, nas paredes espessas rasgam-se seteiras.

Na cornija, podem contemplar-se restos de cachorrada com figuração de animais e de seres humanos.

A igreja possui uma entrada para os homens e outra para as mulheres, interessante testemunho da cultura à época, quando no interior do templo os homens postavam-se à frente e as mulheres atrás, separados durante os atos de culto.

No seu interior encontramos traços dos estilos paleocristão, visigótico, românico e barroco. Destacam-se, imediatamente após a entrada principal, à esquerda, a pia batismal de estilo visigótico. O fato dela se encontrar no "atrium", zona que antecede o espaço reservado à assembleia, simboliza que somente após o batismo se ingressa na comunidade dos fieis.

No centro da nave, do lado direito, o púlpito encontra-se colocado sobre o confessionário. Dois altares laterais de talha dourada precedem o arco cruzeiro que dá acesso ao altar-mor. São datados do século XVII e em estilo barroco. O da direita, apresenta meninos músicos, que fazem parte da composição da talha; o da esquerda contém uma pintura primitiva sobre madeira com São Sebastião e um santo bispo, dando a comunhão a uma figura ajoelhada.

O arco cruzeiro, que separa o espaço da assembleia do altar sacrificial, é fiel ao estilo ortodoxo do templo, sendo esculpido e gravado com elementos geométricos de tradição paleocristã.

A cobertura apresenta pinturas simples das virtudes, e os pequenos altares laterais, dão a ideia do triunfalismo individual e de uma piedade subjectiva que já não é a expressão colectiva da alma de um povo, como acontecia na Idade Média.

Ver tambémEditar