Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) é uma estrutura de investigação de âmbito nacional, concretizando uma visão ambiciosa[1] para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências do Espaço em Portugal. Surge em 2015,[2][3] em resultado da fusão das duas unidades de investigação nesta área em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa.[4] Em 2021 a Universidade de Coimbra também se junta ao Instituto, passando este a ter polos nas três Universidades de Portugal.[5]

O instituto é hoje a maior unidade de investigação e desenvolvimento na área em Portugal[6], sendo responsável por uma parte significativa da produção cientifica nacional em revistas internacionais na área de Ciências do Espaço (ISI). Esta é uma das áreas científicas com maior fator de impacto relativo[7] e com um elevado número médio de citações por artigo medido por métricas internacionais.

O IA possui uma capacidade já demonstrada para desenvolver projetos de referência em Astronomia, em particular no âmbito das instituições internacionais de que Portugal é estado membro, em todas as suas fases: definição científica e técnica, concepção e desenho de instrumentos, construção e instalação, e exploração científica.

Como tal o IA tem participado em vários dos programas e projetos em estreita ligação aos objetivos da Agência Espacial Portuguesa (PT Space). O IA (e os seus investigadores) também participou ativamente na elaboração da Agenda Temática de Investigação e Inovação: Espaço e Observação da Terra[8], da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

MissãoEditar

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) tem por missão fomentar investigação com o mais elevado impacto em astrofísica e ciências do espaço e apoiar o ensino e a formação de jovens investigadores e estudantes em estreita colaboração com as Universidades de Coimbra, de Lisboa e do Porto. Tem também como objetivo promover amplamente atividades de comunicação de ciência que aumentam a compreensão do público acerca do Universo e do nosso lugar nele, assim como a consciência da importância da investigação neste domínio.[9]

Tem assim por objetivo, alcançar a liderança internacional em áreas chave da astrofísica e das ciências do espaço, aproveitando ao máximo o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). Isto é concretizado através de investigação de ponta, possibilitada pela liderança em projetos e missões estratégicas internacionais baseadas no solo e no espaço.

EstruturaEditar

O Instituto é Coordenado pelo Conselho Coordenador, com mandatos de três anos. As equipas que coordenaram o IA são:

  • 2015-2017: José Afonso (Coordenador), Alexandre Cabral, João Lima, Nuno Santos
  • 2018-2020: José Afonso (Coordenador), Elisa Delgado Mena, Jarle Brinchmann, Nelson Nunes.
  • 2021-: Francisco S. N. Lobo (Coordenador), Jarle Brinchmann, Margarida S. Cunha, Noemi Frusciante

As instituições de gestão do instituto são:

EquipasEditar

O IA está organizado em seis equipas:[10]

Entre os seus investigadores inclui:

Referências

  1. Reis, Ricardo (30 de outubro de 2014). «Nasce o maior instituto de investigação em astrofísica de Portugal». Notícias - Universidade do Porto. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  2. JN Direto (29 outubro de 2014). «Centros de astrofísica de Lisboa e Porto agora são instituto». Jornal de Notícias. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  3. Firmino, Teresa (29 de outubro de 2014). «Está a nascer o maior instituto de astronomia de Portugal». Journal Público. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  4. Póvoas, Raquel Salgueira (5 de novembro de 2014). «Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço». Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  5. Associação Portuguesa de Imprensa (1 de junho de 2021). «Novo polo do IA na Universidade de Coimbra». Associação Portuguesa de Imprensa. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  6. FCT. «Instituições de I&D - FCT». Fundação para a Ciência e a Tecnologia 
  7. DGEEC. «Produção Científica - Direção Geral de Estatísticas da Educação e Ciência». DGEEC. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  8. FCT. «Agenda Temática de Investigação e Inovação: Espaço e Observação da Terra» (PDF). Site FCT. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  9. Costa, Ilídio André (9 de abril de 2021). «Astronomia cidadã: que descoberta científica já fez hoje?». National Geographic PT. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  10. «Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço». www.iastro.pt. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  11. Adibekyan, Vardan; Dorn, Caroline; Sousa, Sérgio G.; Santos, Nuno C.; Bitsch, Bertram; Israelian, Garik; Mordasini, Christoph; Barros, Susana C. C.; Delgado Mena, Elisa (15 de outubro de 2021). «A compositional link between rocky exoplanets and their host stars». Science (6565): 330–332. doi:10.1126/science.abg8794. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  12. Silva, J. E.; Machado, P.; Peralta, J.; Brasil, F.; Lebonnois, S.; Lefèvre, M. (1 de maio de 2021). «Characterising atmospheric gravity waves on the nightside lower clouds of Venus: a systematic analysis». Astronomy & Astrophysics (em inglês): A34. ISSN 0004-6361. doi:10.1051/0004-6361/202040193. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  13. Michel, Eric; Haywood, Misha; Famaey, Benoit; Mosser, Benoit; Samadi, Reza; Monteiro, Mario J.P.F.G.; Kjeldsen, Hans; Belkacem, Kevin; Miglio, Andréa (1 de junho de 2021). «Chronos - take the pulse of our galactic neighbourhood». Experimental Astronomy (em inglês) (3): 945–962. ISSN 1572-9508. doi:10.1007/s10686-021-09733-9. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  14. Deal, M.; Cunha, M. S.; Keszthelyi, Z.; Perraut, K.; Holdsworth, D. L. (1 de junho de 2021). «Fundamental properties of a selected sample of Ap stars: Inferences from interferometric and asteroseismic constraints». Astronomy & Astrophysics (em inglês): A125. ISSN 0004-6361. doi:10.1051/0004-6361/202040234. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  15. Scott, T C; Sengupta, Chandreyee; Lagos, P; Chung, Aeree; Wong, O Ivy (21 de maio de 2021). «Resolved H i in two ultra-diffuse galaxies from contrasting non-cluster environments». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society (3): 3953–3964. ISSN 0035-8711. doi:10.1093/mnras/stab390. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  16. Gunawardhana, M L P; Brinchmann, J; Weilbacher, P M; Norberg, P; Monreal-Ibero, A; Nanayakkara, T; den Brok, M; Boogaard, L; Kollatschny, W (21 de setembro de 2020). «Stellar populations and physical properties of starbursts in the antennae galaxy from self-consistent modelling of MUSE spectra». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society (3): 3860–3895. ISSN 0035-8711. doi:10.1093/mnras/staa2158. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  17. Martins, C. J. a. P. (1 de fevereiro de 2021). «Primordial nucleosynthesis with varying fundamental constants - Degeneracies with cosmological parameters». Astronomy & Astrophysics (em inglês): A47. ISSN 0004-6361. doi:10.1051/0004-6361/202039605. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  18. Lobo, Francisco S. N.; Rodrigues, Manuel E.; Silva, Marcos V. de S.; Simpson, Alex; Visser, Matt (28 de abril de 2021). «Novel black-bounce spacetimes: Wormholes, regularity, energy conditions, and causal structure». Physical Review D (8). 084052 páginas. doi:10.1103/PhysRevD.103.084052. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  19. Wehbe, B; Cabral, A; Sbordone, L; Ávila, G (21 de maio de 2021). «On-sky measurements of atmospheric dispersion – II. Atmospheric models characterization». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society (3): 3818–3827. ISSN 0035-8711. doi:10.1093/mnras/stab665. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  20. Magalhães, Tiago E. C.; Rebordão, José M.; Cabral, Alexandre (1 de janeiro de 2021). «Spatial coherence characterization of light: An experimental study using digital micromirror devices». Optik (em inglês). 166034 páginas. ISSN 0030-4026. doi:10.1016/j.ijleo.2020.166034. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  21. Costa, Ilídio André; Morais, Carla; Monteiro, Mário João (março de 2020). «COASTRO: @N ASTRONOMY CONDO – DEVELOPMENT OF TEACHERS' KNOWLEDGE OF ASTRONOMY THROUGH A CITIZEN SCIENCE PROJECT». Valencia, Spain: 6518–6526. doi:10.21125/inted.2020.1741. Consultado em 13 de novembro de 2021 

Referências externasEditar