Abrir menu principal

Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada.

O Instituto de Ciências Sociais (ICS) é uma instituição universitária portuguesa. Dedica-se à investigação e à formação avançada na área das ciências sociais.

Com origem no Gabinete de Estudos Corporativos, criado em 28 de Maio de 1949 [1] o qual, por sua vez, esteve na origem do Gabinete de Investigações Sociais, fundado por Adérito Sedas Nunes, em 1961, teve como assistente e principal colaborador Mário Murteira, o ICS passou a instituto autónomo da Universidade de Lisboa em 1982, e adquiriu o estatuto de laboratório associado em 2002.[2]

O ICS integra o campus da Universidade de Lisboa, numa zona central da cidade, vizinha à Biblioteca Nacional. As novas instalações, inauguradas em 2003, foram concebidas especialmente para o desenvolvimento de actividades de investigação e pós-graduação. A biblioteca dispõe de 40 mil volumes e 313 assinaturas de periódicos, podendo nela ser consultado o Arquivo de História Social[carece de fontes?].

Tem como missão estudar as sociedades contemporâneas, com especial ênfase na realidade portuguesa e nas sociedades e culturas com as quais Portugal tem relações históricas, quer no espaço europeu, quer noutros espaços geográficos.

Agregando investigadores de vários domínios disciplinares, o ICS organiza presentemente a sua investigação em torno de cinco grandes linhas temáticas:

Metodologicamente, as pesquisas desenvolvidas abrangem um vasto conjunto de procedimentos desde os estudos documentais, ao método etnográfico e estudos qualitativos, aos inquéritos junto de amostras representativas e ao método experimental.

Edita a revista Análise Social, a mais antiga na área das ciências sociais em Portugal, possuindo também uma editora própria, a Imprensa de Ciências Sociais.

Em 2008, o instituto possuía cerca de setenta investigadores, acolhendo uma centena de estudantes pós-graduados e desenvolvendo mais de 200 projectos de investigação. A sua actividade é financiada em mais de sessenta por cento com verbas próprias[carece de fontes?].

Barómetro da Qualidade da DemocraciaEditar

A 15 de Janeiro de 2010, o Instituto criou o Barómetro da Qualidade da Democracia, um observatório independente que irá avaliar a qualidade da democracia em Portugal.[3] O observatório é dirigido por António Costa Pinto, Luís de Sousa e Pedro Magalhães, investigadores do ICS.

Referências

  1. http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/7369/1/ICS_JLCardoso_Gabinete_WORN.pdf
  2. «CLA: Laboratórios associados». Consultado em 20 de Janeiro 2010 
  3. São José Almeida (15 de Janeiro de 2010). «ICS cria observatório para avaliar qualidade da democracia». Público online. Consultado em 19 de Janeiro 2010 

Ligações externasEditar