Interahamwe

A Interahamwe (Kinyarwanda: aqueles que estão junto ou aqueles que lutam junto) era a mais importante das milícias armadas pela maioria étnica Hutu de Ruanda e, junto com o Impuzamugambi, foi responsável pelas 800.000 mortes no Genocídio de Ruanda de 1994.[1][2]

Interahamwe
Flag of the Rwandan Democratic Movement.svg
País Ruanda (principal base operacional)

Também atuava em:

Criação 1990
História
Guerras/batalhas Guerra Civil de Ruanda
Primeira Guerra do Congo
Segunda Guerra do Congo
Logística
Efetivo 100 000 (1994)
20 000 (1998)
6 500 (2012)
Comando
Comandantes
notáveis
Robert Kajuga
Georges Rutaganda
Tharcisse Renzaho
Idelphonse Hategekimana
Idelphonse Nizeyimana
Protais Mpiranya
Callixte Nzabonimana
Aloys Ndimbati

Depois da importante libertação de Kigali (capital do país) pela Força Patriótica de Ruanda (FPR), muitos membros do Interahamwe fugiram para os países vizinhos, principalmente para o antigo Zaire, hoje República Democrática do Congo.

Dissolvido não oficialmente, os membros ainda tomam parte em invasões da beira, como aquelas aquele conduziram às primeiras e segundas guerras do Congo.

Uma vez a Interahamwe tendo se movido para Zaire, ela e os soldados do ex-governo Hutu começaram a ser conhecidos como Rassemblement Démocratique derramar le Rwanda (aproximadamente, Reunião Democrática de Ruanda). Depois do recrutamento de números significativos de Hutus do Congo a organização passou a ser conhecida como Exército de Libertação de Ruanda (ALiR).

Referências

  1. «Rwanda: How the genocide happened». BBC News. Dezembro de 2015 
  2. "Africa - Interahamwe: A serious military threat". Página acessada em 13 de dezembro de 2015.