Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaIrregularia
Spatangus purpureus em vista aboral, mostrando a simetria bilateral.
Spatangus purpureus em vista aboral, mostrando a simetria bilateral.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Echinodermata
Subfilo: Eleutherozoa
Superclasse: Cryptosyringida
Classe: Echinoidea
Subclasse: Euechinoidea
Infraclasse: Irregularia
Latreille, 1825
Ordens
Ver texto.
Fóssil de Echinolampas, um ouriço-do-mar irregular, relativamente basal, que conserva uma forma arredondda e globosa.

Irregularia é uma infraclasse de equinodermes pertencente à subclasse dos ouriços-do-mar (Euechinoidea). Apresentam como característica distintiva morfologia corporal irregular, não respeitando a simetria radial típica do grupo.[1]

DescriçãoEditar

Este clade agrupa os ouriços-do-mar com morfologia corporal irregular, isto é sem simetria radial nem formas globosas edferoidais. Nos membros dete grupo, o periprocto (ânus) está geralmente posicionado longe do ápice da face aboral, posição que ocupa nos ouriços regulares. Este posicionamento dá origem ao aparecimento de um eixo ântero-posterior, com a consequente simetria bilateral, o que diferencia estes organismos por eliminar a simetria pentaradial habitual nos equinodermes. Em alguns casos, o ânus localiza-se na proximidade da boca, ao passo que o madreporito e os poros genitais permanecem na parte central do lado aboral. O peristoma (boca) é por vezes deslocado para a frente, assumindo uma forma alargada e frequentemente rodeado por sulcos bucais. A lanterna de Aristóteles está frequentemente ausente, é vestigial ou está reduzida a um «moinho de areia» plano.[2]

Excepto nos grupos mais basais, a testa perdeu a sua forma globular para assumir uma morfologia ovóide (nos Atelostomata) ou aplainada e frequentemente disciforme (como nos Clypeasteroida).[3]

Os radíolos (espinhos) são geralmente modificados, formando um «tapete» de apêndices muito finos e curtos, muito móveis, o que permite ao animal uma eficaz locomoção através da areia ou da vasa, onde a maioria das espécies deste grupo vive enterrada. Como função adicional, este «tapete» de espinhos móveis optimiza o encaminhamento das partículas de alimento em direcção à boca, razão pela qual os radíolos das faces oral e aboral são em geral muito diferentes. Na face aboral, a testa é geralmente ornada por uma estrutura petalóide que forma uma «flor» de 5 «pétalas», que são na realidade ambulacros.[3]

Ecologia e comportamentoEditar

Os ouriços-do-mar irregulares conhecidos apresntam todos um regime alimentar sedimentívoro: os seus radíolos e pés ambulacrários são utilizados para revolver e filtar os sedimentos, encaminhando para a boca as partículas nutrientes, muitas vezes através de sulcos bucais. Em consequência deste regime alimentar, estes organismos vivem mais ou menos enterrados no sedimento, às vezes completamente enterrados em areias ou lodos (são nesse caso organismos endógeos), respirando através de uma "chaminé" aberta nbo material sedimentar. Para escapar aos predadores, muitas espécies vivem enterrados de dia e apenas emergem à noite para se alimentar nos sedimentos.

Os ouriços-do-mar escavadores podem formar agregações com densidade populacional extremamente elevada, as quais constituem uma parte significativa da biomassa dos grandes fundos arenosos e lodosos. O seu regime alimentar, que implica a necessidade de remover grandes quantidades da vasa depositada sobre os fundos marinhos, leva que estes animais assumam grande importância nos processos biológicos de decomposição e disponibilização de nutrientes a nível planetário, fazendo deles grandes fornecedores de serviços ecossistémicos.

TaxonomiaEditar

A infraclasse Irregularia inclui as seguintes super-ordens e ordens:[4]

Superordem AtelostomataEditar

A superordem Atelostomata com a seguinte estrutura:

Superordem NeognathostomataEditar

A superordem Neognathostomata com a seguinte estrutura:

A existência e estrutura deste taxon, apoiada no sistema de classificação proposto por Kroh & Smith (2010),[1] ainda não é reconhecida como válida por algumas bases de dados fologenético, entre as quais a ITIS.

GaleriaEditar

Notas

  1. a b Andreas Kroh; Smith, Andrew B. (2010). «The phylogeny and classification of post-Palaeozoic echinoids». Journal of Systematic Palaeontology (em inglês). 8 (2): 147-212 .
  2. Dr. Christopher Mah (13 Março 2012). «Sand Dollars ARE Sea Urchins». Echinoblog (em inglês). Consultado em 27 de outubro de 2013 
  3. a b «Irregularia». www.NHM.ac.uk (em inglês). Consultado em 25 de outubro de 2013 
  4. WRMS, consultado a 19 de novembro de 2013.

Ligações externasEditar

BibliografiaEditar

  • Andreas Kroh; Smith, Andrew B. (2010). «The phylogeny and classification of post-Palaeozoic echinoids». Journal of Systematic Palaeontology (em inglês). 8 (2): 147-212 
  • Jesionek Szymnaska, W. 1968. "Irregular echinoids - an insufficiently known group", Lethaia 1, 50-65.
  • Saucede, T., Moois, R. & David, B. 2003, "Combining embryology and palaeontology: origins of the anterior - posterior axis in echinoids", C. R. Palevol 2, 399-412.