Abrir menu principal

It's a Man's Man's Man's World

canção de James Brown.
"It's a Man's Man's Man's World"
Single de James Brown And The Famous Flames
do álbum It's a Man's Man's Man's World
Lado A "It's a Man's Man's Man's World"
Lado B "Is It Yes or Is It No?"
Lançamento Abril de 1966
Formato(s) 7" single High Fidelity
Gravação 16 de fevereiro de 1966, Talent Masters Studios, Nova Iorque
Gênero(s) Rhythm and blues, soul
Duração 2:52
Gravadora(s) King (6035)
Composição James Brown, Betty Jean Newsome
Produção James Brown
Cronologia de singles de James Brown
"Ain't That a Groove"
(1966)
"Money Won't Change You"
(1966)

"It's a Man's Man's Man's World" é uma canção de James Brown e Betty Jean Newsome. Brown a gravou em 16 de fevereiro de 1966 em um estúdio de Nova Iorque e a lançou como single[1] posteriormente naquele ano. Alcançou o número 1 da parada R&B da revista Billboard e número 8 da parada Billboard Hot 100.[2][3] O título é um jogo de palavras com o filme de comédia de 1963 It's a Mad, Mad, Mad, Mad World.

Índice

A cançãoEditar

A letra da canção, que a revista Rolling Stone caracteriza como "biblicamente chauvinista",[4] atribui todos os trabalhos da civilização moderana (o carro, o trem, o barco, (assim como Noé construiu a arca), e a guitarra elétrica) aos esforços dos homens, mas afirma que tudo isso "mean nothing without a woman or a girl" ("significaria nada sem uma mulher ou uma garota"). A canção também afirma que o homem faz brinquedos para meninos e meninas, e faz um comentário sobre o fato de "Man makes Money" ("homem faz dinheiro"), de outros homens. Antes do fim da canção, Brown afirma que o homem está perdido em sua amargura e no deserto. A co-autora (ex-namorada de Brown), Betty Jean Newsome, escreveu a letra baseada em suas próprias observações das relações entre os sexos. Nos anos seguintes, Newsome afirmaria que Brown não escreveu nenhuma parte da canção e argumentou no tribunal que Brown às vezes se esqueceu de pagar seus royalties.[5]

A composição de "It's a Man's Man's Man's World" se desenvolveu em um período de muitos anos. Tammy Montgomery, melhor conhecida como Tammi Terrell, gravou "I Cried", escrita por Brown baseada nas mesmas progressões musicais, em 1963. O próprio Brown gravou uma demo da canção, provisoriamente chamada de "It's a Man's World", em 1964. Esta versão posteriormente nas compilações em CD The CD of JB e Star Time.

A versão lançada de "It's a Man's Man's Man's World" foi gravada rapidamente, em apenas dois takes, com um conjunto de estúdio que incluía membros da turnê de Brown e uma sessão de sopro arranjada e conduzida por Sammy Lowe. Um refrão com vocais femininos foi gravado durante as sessões, mas foram retirados da versão final da canção que foi masterizada.[6]

"It's a Man's Man's Man's World" se tornou uma marca nos shows ao vivo de Brown pelo resto de sua carreira. Seu groove lento, quente e o vocal declamatório a tornaram para longas performances incorporando falas sobre o amor e perda e às vezes interpolações de outras canções. Aparece em quase todos os álbuns ao vivo de Brown começando em 1967 com Live at the Garden. Brown também regravou com um arranjo de big band com a Louie Bellson Orchestra para seu álbum de 1970 Soul on Top.

Em 2004, "It's a Man's Man's Man's World" foi classificada como número 123 na lista da revista Rolling Stone das 500 melhores canções de todos os tempos.

CréditosEditar

  • James Brown – vocais

com banda de estúdio:

Outros músicos, incluindo trombone, baixo e sopro: desconhecidos

Arranged and conducted by Sammy Lowe[7]

Posições nas paradasEditar

Versões coverEditar

A canção foi regravada inúmeras vezes por muitos artistas em muitos idiomas através dos anos.

SamplingEditar

Canções respostasEditar

Neneh Cherry lançou uma canção resposta chamada "Woman" em seu álbum de 1996 Man em resposta ao chauvinismo da canção original.

A banda Napalm Death lançou a canção "It's a M.A.N.S World!", que ataca e parodia as ideias do chauvinismo e do patriarcalismo, em seu álbum de 1988 From Enslavement to Obliteration.

Referências

  1. «Discogs.com: James Brown And The Famous Flames – It's A Man's Man's Man's World / Is It Yes Or Is It No?». Discogs.com. Consultado em 19 de abril de 2017 
  2. Whitburn, Joel (2004). Top R&B/Hip-Hop Singles: 1942-2004. [S.l.]: Record Research. p. 84 
  3. White, Cliff (1991). "Discography". In Star Time (pp. 54–59) [CD booklet]. New York: PolyGram Records.
  4. It’s a Man’s Man’s Man’s World: James Brown : Rolling Stone
  5. It's a Woman's World - Page 1 - Music - New York - Village Voice
  6. White, Cliff, and Harry Weinger (1991). "Are You Ready for Star Time?". In Star Time (pp. 29) [CD booklet]. New York: PolyGram Records.
  7. Leeds, Alan, and Harry Weinger (1991). "Star Time: Song by Song". In Star Time (pp. 46–53) [CD booklet]. New York: PolyGram Records.
  8. «Ultratop.be – James Brown – It's A Man's Man's Man's World» (em neerlandês). Ultratop 50. Ultratop & Hung Medien / hitparade.ch. Consultado em 3 de agosto de 2013.
  9. «Lescharts.com – James Brown – It's A Man's Man's Man's World» (em francês). Les classement single. Hung Medien. Consultado em 3 de agosto de 2013.
  10. «James Brown Album & Song Chart History» (em inglês). Billboard Hot 100 para James Brown. Consultado em 3 de agosto de 2013.
  11. It's a Man's Man's Man's World - James Brown - Awards. Allmusic. Rovi Corporation. Accessed on 3 de agosto de 2013.
  12. «de junho de 1966 Top 40 Official UK Singles Archive» (em inglês). UK Singles Chart. Consultado em 3 de agosto de 2013.
  13. The Wire - J Dilla - exclusive

Ligações externasEditar