Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial

agência aeroespacial nacional do Japão
(Redirecionado de JAXA)
JAXA
Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial
宇宙航空研究開発機構
Jaxa logo.svg
Estabelecida: 1 de outubro, 2003
(Sucessor da agencia NASDA 1969-2003, ISAS 1981–2003 e NAL 1955–2003)[1]
Sede: Chofu
Lema One JAXA[2]
Administrador: Keiji Tachikawa
Centro operacional: Centro Espacial Tanegashima
Orçamento: ¥225 (USD 2.15) bilhão (AF2005)[3]
Website: www.jaxa.jp
Japan

Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (宇宙航空研究開発機構 Uchū-Kōkū-Kenkyū-Kaihatsu-Kikō?), em inglês: Japan Aerospace eXploration Agency - JAXA) é a agência espacial do Japão. Através da fusão de três organizações anteriormente independentes, a JAXA foi formada em 1º de outubro de 2003 e é responsável pela pesquisa, desenvolvimento de tecnologia e lançamento de satélites em órbita, além de estar envolvida em muitas missões mais avançadas, como exploração de asteroides e possível exploração humana do Lua.[4] Seu lema é "Uma JAXA"[5] e seu slogan corporativo é "explorar para realizar" (anteriormente "alcançando os céus, explorando o espaço").[6]

HistóriaEditar

Em 1 de outubro de 2003, três organizações foram fundidas para formar a nova JAXA: o Instituto de Ciência Espacial e Astronáutica do Japão (ISAS), o Laboratório Aeroespacial Nacional do Japão (NAL) e a Agência Nacional de Desenvolvimento Espacial do Japão (NASDA). A JAXA foi formada como uma Instituição Administrativa Independente administrada pelo Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão (MEXT) e pelo Ministério de Assuntos Internos e Comunicações (MIC).[7]

 
Ōsumi, o primeiro satélite japonês

Antes da fusão, a ISAS era responsável pela pesquisa espacial e planetária, enquanto a NAL estava focada na pesquisa de aviação. A NASDA, fundada em 1º de outubro de 1969, desenvolveu foguetes, satélites e também construiu o Módulo Experimental Japonês da Estação Espacial Internacional. A antiga sede da NASDA estava localizada no local atual do Centro Espacial Tanegashima, na ilha Tanegashima, 115 quilômetros ao sul de Kyushu. A NASDA também treinou os astronautas japoneses que voaram com os ônibus espaciais dos Estados Unidos.[8]

A Lei Espacial Básica foi aprovada em 2008 e a autoridade jurisdicional da JAXA mudou do MEXT para a Sede Estratégica para o Desenvolvimento Espacial (SHSD) no Gabinete, liderada pelo primeiro-ministro japonês. Em 2016, foi criado o Gabinete da Secretaria Nacional de Política Espacial (NSPS).[9]

Em 2012, uma nova legislação estendeu a missão da JAXA de propósitos pacíficos apenas para incluir alguns desenvolvimentos espaciais militares, como sistemas de alerta antecipado de mísseis. O controle político da JAXA passou do MEXT para o Gabinete do primeiro-ministro através de um novo Escritório de Estratégia Espacial.[10]

MissõesEditar

A JAXA atualmente mantém diversas missões em andamento, as mais importantes são:

Veículos de lançamentoEditar

 
Foguetes H-II, H-IIA e H-IIB

O Japão lançou seu primeiro satélite, Ōsumi, em 1970, usando o foguete L-4S da ISAS. Antes da fusão, a ISAS usava pequenos veículos de lançamento movidos a combustível sólido, enquanto a NASDA desenvolvia lançadores maiores movidos a combustível líquido. No início, a NASDA usava modelos estadunidenses licenciados. O primeiro modelo de veículo lançador movido a líquido desenvolvido no Japão foi o H-II, introduzido em 1994. No entanto, no final da década de 1990, com duas falhas no lançamento do H-II, a tecnologia de foguetes japonesa começou a enfrentar críticas.[11]

A primeira missão espacial do Japão sob a liderança da JAXA, um lançamento de foguete H-IIA em 29 de novembro de 2003, terminou em fracasso devido a problemas de estresse. Após um hiato de 15 meses, a JAXA realizou um lançamento bem-sucedido de um foguete H-IIA do Centro Espacial Tanegashima, colocando um satélite em órbita em 26 de fevereiro de 2005.

 
Lançamento do H-IIB a partir do Centro Espacial de Tanegashima

Em 10 de setembro de 2009, o primeiro foguete H-IIB foi lançado com sucesso, entregando o cargueiro HTV-1 para reabastecer a Estação Espacial Internacional.[12]

Para poder lançar uma missão menor na JAXA desenvolveu um novo foguete de combustível sólido, o Epsilon como substituto do M-V aposentado. O voo inaugural aconteceu com sucesso em 2013. Até agora, o foguete voou quatro vezes sem falhas no lançamento.

Em janeiro de 2017, a JAXA tentou e não conseguiu colocar um satélite em miniatura em órbita no topo de um de seus foguetes da série SS520.[13] Uma segunda tentativa em 2 de fevereiro de 2018 foi bem-sucedida, colocando um CubeSat de quatro quilos na órbita da Terra. O foguete, conhecido como SS-520-5, é o menor lançador orbital do mundo.[14]

Em janeiro de 2021, a JAXA enviou um foguete H-III para o Centro Espacial de Tanegashima para iniciar os testes de lançamento, em um esforço para eliminar e substituir a série H-IIA.[15]

Ver tambémEditar

Referências

  1. JAXA | ABOUT JAXA Obtido em 7 de Agosto, 2009. (em inglês)
  2. Keiji Tachikawa - JAXA in 2006
  3. «IV. 決算報告書 (Balance Report)» (PDF). 平成17事業年度 JAXA財務諸表等に関する事項 (em japonês). JAXA. 30 de agosto de 2006. Consultado em 29 de junho de 2007 
  4. McCurry, Justin (15 de setembro de 2007). «Japan launches biggest moon mission since Apollo landings». guardian.co.uk/science. London. Consultado em 16 de setembro de 2007 
  5. «JAXA - Keiji Tachikawa - JAXA in 2006 -». Consultado em 12 de junho de 2015 
  6. «JAXA - New JAXA Philosophy and Corporate Slogan». Consultado em 12 de junho de 2015. Cópia arquivada em 29 de outubro de 2013 
  7. «Law Concerning Japan Aerospace Exploration Agency» (PDF). JAXA. Consultado em 20 de abril de 2010 
  8. Kamiya, Setsuko, "Japan a low-key player in space race Arquivado 2009-08-03 no Wayback Machine", Japan Times, 30 de junho de 2009, p. 3.
  9. SpaceTechAsia: An overview of Japan’s space activities, 14 de agosto de 2018. Acessado em 29 de janeiro de 2022}}
  10. «Japan Passes Law Permitting Military Space Development». Defense News. 22 de junho de 2012. Consultado em 29 de outubro de 2012. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2013 
  11. Shim, Elizabeth (25 de novembro de 2015). «Japan launches first commercial satellite» 
  12. «Japan's space freighter in orbit». Jonathan Amos. BBC. 10 de agosto de 2009. Consultado em 10 de setembro de 2009 
  13. Kyodo (15 de janeiro de 2017). «JAXA fails in bid to launch world's smallest satellite-carrying rocket». The Japan Times. Consultado em 16 de janeiro de 2017 
  14. «Souped-up sounding rocket lifts off from Japan with tiny satellite». Spaceflight Now. 2 de fevereiro de 2018. Consultado em 7 de fevereiro de 2018 
  15. Jones, Andrew (26 de janeiro de 2021). «JAXA ships new H3 rocket to Tanegashima Space Center for testing». Spacenews.com. Consultado em 26 de janeiro de 2021 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
  Notícias no Wikinotícias