James Ussher

James Ussher ou simplesmente Usher (Dublin, 4 de Janeiro de 158121 de Março de 1656) foi um Arcebispo de Armagh. Baseando-se na Bíblia, escreveu o livro The Annals of the World em 1658.[1] Neste livro, Ussher fez uma cronologia da vida na Terra baseada em estudos bíblicos e de outras fontes, de tal maneira concluiu que a criação do mundo ocorreu no dia 23 de outubro do ano 4004 antes de Cristo (a. C.) pelo calendário juliano. Na época, a afirmação foi amplamente aceita.[2]

Nascimento 4 de janeiro de 1581
Dublin, Irlanda
Morte 21 de março de 1656 (75 anos)
Reigate, Surrey
Cargo Arcebispo de Armagh, Primaz da Irlanda

A cronologia de Ussher representou um feito considerável de erudição: exigiu grande profundidade de aprendizado no que era então conhecido da história antiga, incluindo a ascensão dos persas, gregos e romanos, bem como conhecimento da Bíblia, línguas bíblicas, astronomia, calendários antigos e cronologia. O relato de Ussher de eventos históricos para os quais ele tinha várias fontes além da Bíblia geralmente está de acordo com as fontes modernas - por exemplo, ele situou a morte de Alexandre, o Grande em 323 a.C. e a de Júlio César em 44 a.C. A última coordenada não bíblica de Ussher foi o rei babilônico Nabucodonosor e, além desse ponto, ele teve que confiar em outras considerações. Confrontado com textos inconsistentes da Torá, cada um com um número diferente de anos entre o Dilúvio e a Criação, Ussher escolheu a versão Massorética, que afirma uma história ininterrupta de transcrição cuidadosa que remonta a séculos - mas sua escolha foi confirmada para ele, porque colocava a Criação exatamente quatro mil anos antes de 4 a.C., a data geralmente aceita para o nascimento de Jesus; além disso, ele calculou, o templo de Salomão ter sido concluído no ano 3000 desde a criação, de modo que houve exatamente 1000 anos do templo a Jesus, que se pensava ser o 'cumprimento' do Templo.[3]

A partir do século 19, a cronologia de Ussher passou a sofrer críticas crescentes de defensores do uniformitarismo, que argumentam que a "Terra Jovem" de Ussher era incompatível com a visão cada vez mais aceita de uma Terra muito mais antiga que a de Ussher. Tornou-se geralmente aceito que a Terra tinha milhões, depois bilhões de anos. Ussher também caiu em descrédito entre os teólogos; em 1890, o professor de Princeton William Henry Green escreveu um artigo muito influente na Bibliotheca Sacra intitulado "Cronologia Primitiva", no qual criticava fortemente Ussher. Ele concluiu:

Concluímos que as Escrituras não fornecem dados para um cálculo cronológico anterior à vida de Abraão; e que os registros mosaicos não fixam e não pretende a intenção de fixar a data precisa do Dilúvio ou da criação do mundo.[4]

O teólogo igualmente conservador B. B. Warfield chegou à mesma conclusão em "Sobre a Antiguidade e Unidade da Raça Humana", [5] comentando que "é precário no mais alto grau tirar inferências cronológicas de tabelas genealógicas".

ObrasEditar

  • De Graeca Septuaginta Interpretum Versione
  • The Annals of the World, 1658
  • Annals of the Old and New Testament, 1650-1654.

Referências

  1. «livros em inglês». Consultado em 5 de maio de 2010 
  2. Pierce, Larry (28 de abril de 2006). «The World: Born in 4004 BC?» (em inglês). Answers. Consultado em 3 de janeiro de 2013 
  3. Barr, James. Biblical Chronology: Legend Or Science? The Ethel M. Wood Lecture 1987. Entregue na Senate House, University of London em 4 de Março de 1987. London: University of London, 1987, p. 19 OCLC 19643211
  4. Primeval Chronology
  5. Princeton Theological Review, 1911

Crystal, D - The Cambridge Biographical Encyclopedia -seconde edition- Cambridge University Press (1998)

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.