Jan Brito

Jan Brito (Jean o Bretão, c. 1415, Pipriac - 1484, Bruges) é o nome mais conhecido de Jan Brulelou, chamado de O Gutenberg bretão. Originário de Pipriac, perto de Redon, e provavelmente morto em Bruges, onde se perde qualquer pista sobre seu paradeiro, em 1484. Rival de Colard Mansion, é considerado um dos primeiros impressores de Bruges, e sem dúvida o primeiro impressor bretão.

BiografiaEditar

Foi calígrafo e escrivão público em Tournai, fazia parte de uma família religiosa e artisticamente importante, antes de se fixar em Bruges, cidade flamenga de onde adquiriu a cidadania em 1455. Diz-se que pagou a sua cota à guilda de Saint-Jean, de 1454 a 1483.

Segundo a tradição, uma vez que parece ser do século XVIII e infundada, teria sido antes de Johannes Gutenberg, o inventor da impressão tipográfica na Europa. Esta afirmação tem encontrado defensores - na Bretanha e Bélgica - por mais de um século, mas é hoje em dia, totalmente abandonada.

Ignora-se a data da criação da tipografia, mas sabe-se que entre 1475 e 1476, imprimiu imagens sobre papel; esses são anos próximos ao que se tem certeza da primeira impressão de livros, A sua primeira obra impressa pode ser datada precisamente como do ano de 1477. Ela revela as filigranas, estabelecidas por Jacques Duval, com as datas de produção sendo entre 1464 e 1483.

Sabe-se que entre 1445 e 1450, Gutenberg desenvolveu a sua prensa de tipos metálicos móveis, e que entre 1453 e 1455 foi impresso o primeiro livro da história da impressão europeia, a sua famosa Bíblia de 42 linhas, pode-se concluir que apesar de não ter impresso nada antes de Gutenberg, Jan Brito é um dos pioneiros da impressão na Europa.

Suas obrasEditar

Os arquivos de Bruges, de Courtrai, a Biblioteca Nacional da França e a Biblioteca Nacional da Escócia possuem raríssimos incunábulos, vários fragmentos de incunábulos, que imprimiam em francês, latim e flamengo.

Jan Brulelou com certeza imprimiu La Deffense de monseigneur le duc et de madame la duchesse d'Autriche et de Bourgogne, à l'encontre de la guerre que le roi a suscitée (A defesa do Monsenhor, o duque e da madame, a duquesa de Áustria e Borgonha, em relação à guerra que o rei suscitou). Obra contra Luís XI, composta pela comitiva de Maximiliano da Áustria, marido de Maria de Borgonha, desde 1477.

FamaEditar

Possuem seu nome:

BibliografiaEditar

  • Gautier (Jean-François), Jean Brito de Bretagne en Flandre ; Pipriac, association Kistinenn, 1985, 32 pp, ill.
  • Gilliodts van Severen (L), L'œuvre de Jean Brito, prototypographe brugeois (en flamand) ; Bruges, Annales de la Société d'émulation de la Flandre, 1897.
  • Guérin-Guillonnet (Madeleine), Jan Brito premier Breton imprimeur ; Pipriac, association Jan Brito, 2001, 36pp, ill. (tiré à part, enrichi de reprod. en coul., d'un art. paru dans le Bulletin de la Soc. archéol. & historique d'Ille-et-Vilaine, tome CIV, 2001).
  • Simonin (michel), "Les leçons de Bréhan", in L'Ecrit, instrument de communication ; Rennes, Société d'histoire et d'archéologie de Bretagne, tome LXII des Mémoires, 1985 (numéro spécial "pour le quatrième centenaire de l'introduction de l'imprimerie en Bretagne"). Michel Simonin précisait : "Les pages qui suivent sont tirées d'un ouvrage en cours d'achèvement sur Le Livre en Bretagne, XVe-XVIIIe siècle", jamais paru.