Abrir menu principal
Jararaca & Ratinho
Informação geral
Nascimento 29 de setembro de 1896 (Jararaca)
13 de abril de 1896 (Ratinho)
Local de nascimento Maceió, Alagoas (Jararaca)
Itabaiana (Ratinho)
Origem Recife, Pernambuco
País  Brasil
Morte 11 de outubro de 1977 (Jararaca)
8 de setembro de 1972 (Ratinho)
Local de morte Rio de Janeiro, Rio de Janeiro (Jararaca)
Duque de Caxias, Rio de Janeiro (Ratinho)
Gênero(s) Sertanejo, marchinha de carnaval
Ocupação(ões) Cantores, compositores e humoristas
Instrumento(s) Viola caipira, saxofone e trompete
Período em atividade 1919-1972
Gravadora(s) Odeon, Columbia Records, Copacabana
Integrantes José Luís Rodrigues Calazans (Jararaca)
Severino Rangel de Carvalho (Ratinho)

Jararaca e Ratinho foi uma dupla musical formada por José Luis Rodrigues Calazans, o Jararaca (Maceió, 29 de setembro de 1896Rio de Janeiro, 11 de outubro de 1977), e Severino Rangel de Carvalho, o Ratinho (Itabaiana, 13 de abril de 1896Duque de Caxias, 8 de setembro de 1972). Além de cantores e compositores, eram também humoristas.

José Luiz Rodrigues Calazans, o Jararaca, era filho do poeta e professor muito conhecido Ernesto Alves Rodrigues e começou a tocar sua viola aos 8 anos de idade, inspirado em seus irmãos, que também eram violeiros e seresteiros. Ainda criança, conviveu muito com os boiadeiros que vinham das Minas Gerais, onde ouvia diversas estórias, que mais tarde iriam influenciar bastante a sua música. Em 1915 aproximadamente, começou a atuar juntamente com um grupo teatral na cidade de Piranhas, em Alagoas. Dizem também que integrou o bando de Lampião por quase dois anos, e no início da década de 20 resolveu tentar a carreira artística.

Severino Rangel de Carvalho, o Ratinho, ficou órfão ainda bebê e acabou sendo criado por seu tios e padrinhos e foi sua tia que lhe incentivou o sobrinho na música. Começou a tocar ainda criança na Banda Musical de Itabaiana, no estado da Bahia, e em 1914 mudou-se para Recife, onde integrou a orquestra sinfônica local tocando trompete, saxofone, e ainda dava aulas numa escola de aprendizes. O apelido de Ratinho, Severino arranjou antes de conhecer o parceiro Jararaca: foi nos primeiros anos no Recife, por causa do refrão da polca "Rato Rato!" (Casemiro Rocha - Claudino Manoel da Costa) que ele costumava interpretar ("Rato, rato, rato / Por que motivo tu roeste o meu baú?...").

Por volta de 1919, Severino Rangel (Ratinho) e José Calazans (Jararaca), se conheceram quando passaram a integrar o Bloco dos Boêmios. Pouco tempo depois, em 1921, formaram o grupo Os Boêmios e tempos depois o grupo passou a ser conhecido como Os Turunas Pernambucanos, onde cada um dos integrantes adotou o nome de um animal, foi quando José Luiz resolveu adotar o nome de Jararaca.

Com o conjunto, excursionaram cantando cocos e emboladas com seus trajes típicos percorrendo diversos lugares e, incentivados por Pixinguinha, eles acabaram indo para o Rio de Janeiro em 1922. Depois que o grupo foi desfeito, José Luiz e Severino resolveram formar a dupla Jararaca e Ratinho e começaram a conhecer o sucesso quando passaram a cantar embolada e também fazendo apresentações satíricas e humorísticas em São Paulo.

Seu primeiro disco aconteceu em 1929, através da gravadora Odeon com músicas regionais e excursionaram pelo interior. Em 1937, Jararaca compôs a clássica Mamãe Eu Quero em parceria com Vicente Paiva e seu sucesso foi tanto que ultrapassou as fronteiras brasileiras, sendo gravada por artistas internacionais como Bing Crosby e Carmem Miranda.

Trabalharam por quase uma década na Rádio Nacional, sempre como músicos caipiras e humoristas fazendo sucesso com diversas músicas.[1]

A dupla protagonizou o filme No Trampolim da Vida, de 1946,[2] e o filme Loucos por Música, lançado em 1950.[3]

Nos anos 60 e 70, a dupla participou de alguns programas de televisão, como Balança mas Não Cai, Uau, Alô Brasil, Aquele Abraço e A, E, I, O...Urca.[4] Depois da morte de Ratinho, Jararaca trabalhou no programa Chico City, na Rede Globo, no papel do cangaceiro Sucuri.

Índice

CineEditar

TelevisãoEditar

DiscografiaEditar

  • ([S/D]) Jararaca faz anos/O ex-preso da Central • Columbia • 78
  • ([S/D]) Quando o carnaval chegou/Morena do amor • Columbia • 78
  • ([S/D]) A chegada do príncipe/Falando por música • Columbia • 78
  • ([S/D]) Telefonando/Aniversário do Abdula • Columbia • 78
  • ([S/D]) Campeão de box/Abdula no pacote • Columbia • 78
  • ([S/D]) Viva o prefeito/Velório dos prazeres • Columbia • 78
  • (1961) Sapo no saco/Saxofone, por que choras? • Copacabana • 78
  • (1960) Ai Teodora/Deixaram um cheiro aí • Copacabana • 78
  • (1960) Jararaca e Ratinho • Copacabana • LP
  • (1954) Ensino/Concurso das miss • Odeon • 78
  • (1954) O jogo/Código de costumes • Odeon • 78
  • (1953) Mulher de qualquer um/Fantasia de capim • Odeon • 78
  • (1949) Na fazendo do.../Possíveis e impossíveis • Odeon • 78
  • (1948) Quando o cumpadre casô/Ora veja sim senhor • Odeon • 78
  • (1948) Porque é, porque não é/Lá vai desafio • Odeon • 78
  • (1947) Provas de amor/Ruas • Odeon • 78
  • (1947) Na beira da lagoa/Oh! Famia • Odeon • 78
  • (1946) Tá certo/Dona Sara • Odeon • 78
  • (1945) Bonito/Meu pirão primeiro • Odeon • 78
  • (1945) Traga uma média/Vamos pro mato • 78
  • (1944) Índios Tapajós/O gato da vizinha • Odeon • 78
  • (1944) Tudo combinado/Clube japonês • Odeon • 78
  • (1943) Festa de casamento/Vamos pro casamento • Colúmbia • 78
  • (1943) Nós as mulheres/Lacraia • Odeon • 78
  • (1942) Com um dedo só!/Ora bolas! • Odeon • 78
  • (1942) Ó pessoá/Foi bom te vê • Odeon • 78
  • (1941) Os mentirosos/Mentindo de verdade • Odeon • 78
  • (1941) Amor cinematográfico/Notícias da vida • Odeon • 78
  • (1941) Larga o osso/Pulga no meu corpo • Odeon • 78
  • (1941) Mamãe eu quero mais/Galinha morta • Odeon • 78
  • (1940) Tempo de criança/A muié e o teatro • Odeon • 78
  • (1940) Eu botei na minha porta/Eu vou quebrar o coco • Odeon • 78
  • (1940) O papagaio lá de casa/Papai mamãe me bateu • Odeon • 78
  • (1940) A baiana tem/O cantor de operetas • Odeon • 78
  • (1940) Questão de vizinho/Família complicada • Odeon • 78
  • (1940) Pato na varanda/Vamos pro arraiá Maria • Odeon • 78
  • (1940) Em também tive/Os clandestinos • Odeon • 78
  • (1940) Ai que dor de coração/Cadê meu pai • Odeon • 78
  • (1939) Na sede do clube (I)/Na sede do clube (II) • Odeon • 78
  • (1939) Oh Zé! .../Você não sabe • Odeon • 78
  • (1939) Flauta de bambu/Menina chorona • Odeon • 78
  • (1939) Na beira do clube (1)/Na sede do clube • Odeon • 78
  • (1939) Aonde tá o tatu/Tem de tudo • Odeon • 78
  • (1939) Terrível dilema/Aventura de Seu Ventura • Odeon • 78
  • (1939) Acordando Jararaca/Exame de Jararaca • Odeon • 78
  • (1939) Carta da namorada/A mulher e as cartas • Odeon • 78
  • (1938) Homenagem ao coronel/Barbearia Barbacena • Odeon • 78
  • (1938) Cabra de sutiã/Perna cabeluda • Odeon • 78
  • (1938) Criança louca/Vamos Maria vamos • Odeon • 78
  • (1938) Aniversário do Coalhada/Achados e perdidos • Odeon • 78
  • (1938) Ação e viação/Caiu na rede é peixe • Odeon • 78
  • (1938) Do pilá/Engenho moedô • Odeon • 78
  • (1937) Mamãe eu quero/Lá vai ele • Odeon • 78
  • (1937) Uma partida apertada (I)/Uma partida apertada (II) • Odeon • 78
  • (1937) Consultório médico/Fotografando • Odeon • 78
  • (1937) O melhor beijo/Mulungu • Odeon • 78
  • (1936) Delegado e prontidão/Colégio escolado • Odeon • 78
  • (1936) O natalício do seu Natalício/Café Emílio • Odeon • 78
  • (1936) Se Papai Noel quisesse/Passarinho • Odeon • 78
  • (1936) Restaurante do Salim/A defesa do Salim • Odeon • 78
  • (1936) Piadas e toadas/Cantinga de caboclo • Odeon • 78
  • (1932) Breve estaremos lá/Sabiá do sertão • Columbia • 78
  • (1932) Conversa fiada/Chico Onça e Mané Gato • Columbia • 78
  • (1932) No telhado do Jararaca/No mercadinho do Barradas • Columbia • 78
  • (1931) Ainda é cedo/Acende a luz • Colúmbia • 78
  • (1931) Vamos acordá o véio/Testamento do véio • Columbia • 78
  • (1931) Turco, italiano e caipira/Albergue noturno • Columbia • 78
  • (1931) Dona Nhá-Nhá/eu sou gozado assim • Columbia • 78
  • (1930) Sai da frente/As comidas são outras! • Parlophon • 78
  • (1930) Farmácia da roça/Família esdrúxula • Columbia • 78
  • (1930) Rádio pá virada/Caipiras de aeroplano • Columbia • 78
  • (1930) Galo danado/Viola das Alagoas • Columbia • 78
  • (1930) Vamos cortá cana?/Saco e bisaco • Columbia • 78
  • (1930) Catirina/Meu noivado • Columbia • 78
  • (1930) Perigando/ABC • Columbia • 78
  • (1930) Seu Zé Pereira/Carnaval do Norte • Columbia • 78
  • (1930) O da rabeca/Oh, Chiquinha! • Columbia • 78
  • (1930) Curió/Lá vem ... • Columbia • 78
  • (1930) Itararé/O momento atuá • Columbia • 78
  • (1930) Festa no casamento/Vamos prô casamento • Columbia • 78
  • (1930) Coco do mato/Cadê tempo • Columbia • 78
  • (1930) Disparate e desafio/Caipiras na cidade • Columbia • 78
  • (1929) Vapô do Jequiá/Oi Dadá • Odeon • 78
  • (1929) Meu sapé/Baiana • Odeon • 78
  • (1929) Cabocla malvada/Sapo no saco • Odeon • 78
  • (1929) Agüenta o coco/Espingarda pápápá • Odeon • 78
  • (1929) Gato cabeçudo/Vamos apanhar limão • Odeon • 78
  • (1929) Onde vai Mandu/Saudades do Norte • Parlophon • 78
  • (1929) Minas, São Paulo. Venda de um bonde • Parlophon • 78
  • (1929) Onde é que está o gato? Café com leite • Parlophon • 78
  • (1929) Bonde da alegria/Por conta do Bonifácio • Parlophon • 78
  • (1929) Caipirada/Lista do baile • Odeon • 78

Referências

  1. Cinemateca Brasileira, Loucos por Música [em linha]
  2. Cinemateca Brasileira, No Trampolim da Vida [em linha]
  3. «Jararaca e Ratinho-Dupla Sertaneja». TV Sinopse. Consultado em 25 de dezembro de 2018 
  4. «Jararaca e Ratinho - Enciclopédia Itaú Cultural». 10 de março de 2017. Consultado em 25 de dezembro de 2018 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.