Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Jaú.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.

Jau é o nome porque passou a história um escravo javanês (a palavra jau significa natural da ilha de Java) que teria pertencido a Luís Vaz de Camões.

BiografiaEditar

Na verdade, fora batizado com o nome Cristão de António, e apegou-se com tamanha afeição ao poeta, que nem mesmo nas situações mais críticas deixou de lhe prestar assistência. Quando Camões, doente, já nos seus últimos dias, se via combalido pela miséria, diz a tradição que Jau saia à noite pelas ruas de Lisboa mendigando, a fim de prover, para o amo, o sustento do dia seguinte.

O argumento, ao longo dos anos, foi servindo de pretexto para algumas composições literárias na língua portuguesa. No Brasil, por exemplo, veio a lume no ano de 1856 a obra teatral Camões e Jau, do poeta fluminense Casimiro de Abreu; primeiramente encenada em Portugal e tendo como base tal exemplo de dedicação.

Tem uma Rua com o seu nome em Alcântara, Lisboa,[1] e outra Rua com o seu nome em Algueirão - Mem Martins, Sintra[2].

Ligações externasEditar

  • «Portugalio». Consultado em 21 de Janeiro de 2015 
  • «Portugalio». Consultado em 21 de Janeiro de 2015