Jaya Sri Maha Bodhi

Jaya Sri Maha Bodhi (em cingalês: ජය ශ්රී මහා බොධිය) é uma árvore (figueira) sagrada no Jardim Mahamewna, Anuradhapura, Sri Lanka. É dito que ela provém de uma estaca do ramo sul da histórica árvore Sri Maha Bodhi em Bodh Gaya, na Índia, sob a qual Buda alcançou a Iluminação. Foi plantada em 249 A.C.,[1][2][3] e é a mais antiga  árvore do mundo plantada pelo homem, possuindo uma data de plantio conhecida.[4] Hoje é uma das mais sagradas relíquias budistas no Sri Lanka e respeitada pelos budistas de todo o mundo.

Jaya Sri Maha Bodhi

As outras figueiras que circundam a árvore sagrada protegem-na de tempestades e animais, tais como macacos, morcegos, etc.

Em abril de 2014, o governo proibiu todas as construções a cerca de 500 metros da árvore. Apenas construções que, obviamente, não irão prejudicar a árvore são permitidas.[5]

Significado social e religioso da Jaya Sri Maha BodhiEditar

Os budistas na ilha tem uma prática de visita e homenagem à mais sagrada árvore Bodhi, desde tempos imemoriais. É um costume anual de peregrinos provenientes de distantes aldeias, visitar a cidade de Anuradhapura e homenagear o Sri Maha Bodhi. O cuidador do local disponibiliza diversas oferendas diariamente, desde tempos imemoriais. Os budistas em geral, têm uma forte crença de que as ofertas feitas para a Jaya Sri Maha Bodhi produzem mudanças positivas e significativas em suas vidas. Também tem sido habitual para muitos budistas fazer juramento especial perante a Jaya Sri Maha Bodhi para um nascimento saudável de seus bebês sem malformações, e para a cura de várias doenças. Também tem sido uma longa tradição entre os agricultores em torno de Anuradhapura oferecer à árvore Sri Maha Bodhi o arroz, preparado a partir de sua primeira colheita. Eles acreditam fortemente que tais ofertas levam a uma produção de arroz sustentada, reduz a chance de seca e ataques de pragas, incluindo danos por elefantes.

HistóriaEditar

 
Uma foto tirada da parte de baixo, Pahatha Maluwa.

No século III a.C. a estaca foi levada para o Sri Lanka, por Sangamitta (Pali; Sânsc.: Sanghamitra) Thera, a filha do Imperador Asoka e fundadora de uma ordem de monjas budistas no Sri Lanka. Em 288 A.C. [6][7][8][9] ela foi plantada pelo Rei Devanampiya Tissa em um terraço alto, com cerca de 6,5 m (21,3 pé) acima do terreno, no Parque Mahamevnāwa , em Anuradhapura e cercado por grades.

ContribuiçõesEditar

Vários antigos reis contribuíram para o desenvolvimento deste sítio religioso. O rei Vasabha (65 - 107 d.C.) colocou quatro estátuas de Buda nos quatro lados da árvore sagrada. O rei Voharika Tissa (214 - 236 AD) adicionou estátuas metalizadas. O rei Mahanaga (569 - 571 d.C.) construiu um canal de água ao redor da árvore sagrada, e o Rei Sena II (846 - 866 d.C.) o renovou.[10]

A presente muralha foi construída por Ilupandeniye Athtadassi Thero durante o reinado do Rei Kirti Sri Rajasinha, para protegê-lo de elefantes selvagens que podem ter danificado a árvore. A altura da parede é 10 pé (3,0 m); e 5 pé (1,5 m) de espessura; o seu comprimento de norte a sul é de 388 pé (118,3 m) e de leste a oeste 274 pé (83,5 m).

A primeira cerca de ouro ao redor da árvore sagrada, foi construída por alguns seguidores budistas em Kandy , sob a orientação de Yatirawana Narada Thero em 1969. A cerca de ferro abaixo da cerca dourada acima foi criada por pessoas de Gonagala sob a orientação de Yagirala Pannananda Thero.

Modelos antigosEditar

Duas estátuas de Buda podem ser vistas no templo; uma estátua de pedra está no lado direito da parede de pedra. A cobra de pedra é uma criação muito rara, mostrando em relevo a figura de uma cobra.

DescobertasEditar

 
Jaya Sri Maha Bodhi em 1891

Ruínas de um antigo edifício chamado Mayura Pirivena (Mayura Mosteiro) foram encontrados no sudoeste de Jaya Sri Maha Bodhi, e as ruínas de uma stupa chamada Dakkhina Tupa (Mosteiro do Sul), podem ser vistas nas redondezas.

De acordo com as antigas crônicas no Sri Lanka, alguns muros e terraços tinha sido construídos em torno da árvore sagrada em algum momento no passado. Mahayamsa disse que o Rei Gothabhaya (249 – 262 d.C.) construiu uma parede de escombros. Dipavamsa relata que um terraço e uma treliça de parede foram construídos pelo Rei Kirthi Sri Meghavarna (302 - 330 d.c.).

Durante a escavação para reconstruir a presente parede, a parede de escombros, com sua fundação, criada pelo Rei Gotabhya, e o terraço de pedra em conjunto com uma estrutura de treliça de parede construída pelo Rei Kirthi Sri Meghavarna foram encontrados. Estes foram preservados no lugar e foram abertas ao público em janeiro de 2010.

IncidentesEditar

Dois ramos da árvore sagrada foram quebrados durante tempestades em 1907 e 1911. Um indivíduo, cortou um ramo em 1929.[carece de fontes?] O grupo separatista "Tamil Tiger" atirou e massacrou um número de budistas cingaleses no terraço superior, em 1985. Este incidente é conhecido como o massacre de Anuradhapura.

Veja tambémEditar

  • Árvore Bodhi
  • Peregrinação budista
  • Sanghamitta
  • Anuradhapura massacre

Referências

  1. «Shanika Sriyananda». 3 de julho de 2011. Consultado em 8 de maio de 2013. Arquivado do original em 13 de abril de 2013 
  2. Weerakoon, Rajitha (11 December 2011). "Sanghamitta Theri forged the liberation of Lankan women". SundayTimes. Retrieved 9 May 2013.
  3. Pelpola, Charith (16 August 1998). "Oldest sacred symbol". SundayTimes. Retrieved 9 May 2013
  4. «"The Coming of the Bodhi Tree to Lanka» 
  5. «Cópia arquivada». Consultado em 10 de novembro de 2018. Arquivado do original em 24 de abril de 2014 
  6. "19: The Coming of the Bodhi-Tree". Mahavamsa. Retrieved 9 May 2013.
  7. Sarathchandra, Vimukthi (1 December 2009). "Arrival of the Bo-tree sapling". DailyNews. Retrieved 9 May 2013.
  8. Wickramage, Florence (25 April 2002). "Mahamevuna Royal Gardens to regain ancient glory". DailyNews. Retrieved 9 May 2013.
  9. "Then and now, spreading its sacredness worldwide". SundayTimes. 20 February 2011. Retrieved 9 May 2013.
  10. Kulatunga, Prof. T. G. (2003). "1". Anuradhapura Atamasthanaya (in Sinhala). Maharagama: Tarangi Prints. pp. 8–9.

Ligações externasEditar