Abrir menu principal
João Augusto Amaral Gurgel
Nome completo João Augusto Conrado do Amaral Gurgel
Nascimento 26 de março de 1926
Franca, SP
Morte 30 de janeiro de 2009 (82 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro Brasil
Ocupação engenheiro, empresário

João Augusto Conrado do Amaral Gurgel (Franca, 26 de março de 1926São Paulo, 30 de janeiro de 2009), foi um engenheiro e ex-industrial brasileiro do ramo automobilístico. Ele montou em 1969 a fábrica Gurgel, com a proposta de produzir veículos 100% nacionais.

BiografiaEditar

Sonhando com o carro nacionalEditar

Desde sua juventude, sonhava em fazer um carro brasileiro, tanto que em sua formatura da Escola Politécnica de São Paulo, apresentou um pequeno veículo de dois cilindros, batizado Tião. [1] Como projeto pedido foi um guindaste, quase é reprovado. Ouviu então de seu professor: "Carro não se fabrica, Gurgel, se compra".

Pós-graduado nos Estados Unidos, trabalhou na Buick Motor Corporation e na General Motors Truck and Coach Corporation.

FamíliaEditar

Casado com Carolina Barbosa, foi filho de Romeu do Amaral Gurgel e Maria H. Conrado. Teve três filhos: Fernando Barbosa do Amaral Gurgel, Maria Cristina Barbosa do Amaral Gurgel e Maria

MorteEditar

Sofrendo do mal de Alzheimer havia oito anos, João Gurgel morreu no dia 30 de janeiro de 2009, aos 82 anos, na sua casa, na cidade de São Paulo (SP).[2][3]

O empresárioEditar

Em 1958, criou a Moplast Moldagem de Plásticos e começou a desenvolver projetos próprios, tornando-se fornecedor de luminosos para diversas empresas brasileiras.

Em 1964 João Augusto se desligou da Moplast e abriu, ainda em São Paulo, a Macan Indústria e Comércio Ltda., revenda Volkswagen que também fabricava karts, mini-carros infantis e um transportador industrial para movimentação de cargas em fábricas e aeroportos, denominado Mocar [4].

Pouco depois, em 1º de setembro de 1969, fundou a Gurgel Indústria e Comércio de Veículos Ltda., ainda em São Paulo.

Sua carreira foi marcada pela busca do desenvolvimento de tecnologias automotivas nacionais, utilizando capital igualmente nacional. Característica marcante nos veículos fabricados por sua empresa eram as suas carrocerias de fibra de vidro.

Gurgel era contrário ao uso do álcool de cana-de-açúcar como combustível. Ainda assim, produziu alguns (poucos) carros com motor a álcool. Na grande maioria os veículos da sua marca eram movidos a gasolina. Segundo ele, a terra deve produzir alimentos e não combustíveis.

Gurgel MotoresEditar

 
BR-800, fabricado pela Gurgel.

Com o sonho em mente, fundou em 1969 na cidade de Rio Claro a Gurgel Motores S/A.

 
Gurgel Itaipu E150

A partir de 1972 passou a dedicar-se à produção de veículos especiais. Após 1975 começaram a ser produzidos os primeiros veículos utilitários tipo fora de estrada da marca Gurgel, marca que em 1981 lançou o primeiro veículo elétrico da América Latina, o Itaipu E-500. Idealizador do primeiro e até hoje, único carro genuinamente brasileiro: o Gurgel BR-800. Dizia que sua empresa era "muitonacional" ao contrário das demais multinacionais.

A Gurgel acabou fechando as portas no final de 1996, por questões financeiras e derrotada pelas grandes multinacionais.

Polêmicas e o fim do sonhoEditar

Em abril de 2004, o empresário Paulo Emílio Freire Lemos adquiriu a marca Gurgel. O registro desta encontrava-se expirado no INPI desde 2003. Para tornar-se seu proprietário desembolsou o valor de R$ 850,00. A família Gurgel não foi consultada e por isso decidiu mover uma ação judicial contra o empresário.[5]

“Não sei se tenho pena ou raiva desse Lemos”, diz Maria Cristina, filha de João Gurgel.

A atual Gurgel nada tem a ver com a antiga fábrica de automóveis e se trata de uma importadora que hoje tem em linha um triciclo rural e uma empilhadeira.

Outro ladoEditar

Na mesma matéria Lemos diz: “a família deveria estar agradecida por ele ter resgatado o nome”.[5]

Ele diz que o investimento para produzir os carros virá da reaplicação dos lucros da venda de ferramentas, rodos e triciclos.

BibliografiaEditar

  • CALDEIRA, Lelis. Gurgel: um sonho forjado em fibra. São Paulo: Editora Labortexto, 2004. ISBN 8587917161
  • CALDEIRA, Lelis. Gurgel: um brasileiro de fibra. São Paulo: Editora Alaúde, 2008. ISBN 8598497940

Referências

  1. Best Cars Web Site - Os automóveis de Rio Claro
  2. Dono da extinta fábrica de carros Gurgel morre em São Paulo. Folha Online. 31/01/2009.
  3. Dono da extinta fábrica Gurgel será sepultado neste sábado. Estadão. 31/01/2009.
  4. http://www.lexicarbrasil.com.br/gurgel-i/
  5. a b Istoedinheiro Arquivado em 2 de maio de 2013, no Wayback Machine. - Que Gurgel é esse? Empresário registra o nome da falida montadora à revelia da família Gurgel. A briga vai parar na Justiça. (Site acessado em 25 de Maio de 2010).

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar