Abrir menu principal
João Frangópulo
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação Oficial
Religião Cristianismo

João Frangópulo ou Francópulo (em grego: Ἰωάννης Φραγγόπουλος) foi um aristocrata e oficial sênior bizantino no Despotado da Moreia. Membro duma nobre família de origem franca, foi protoestrator e mesazonte católico (ministro chefe) sob o déspota Teodoro II Paleólogo em 1428/1429.[1][2] Nesta capacidade rendeu as cidades e fortalezas de MessêniaAndrusa, Calamata, Pidima, Mani, Nesin, Espitalino, Grambenin, Eto e Neocastro — que ele governou em nome de Teodoro II para Jorge Esfrantzes como o representante do irmão de Teodoro, Constantino XI.[3]

Em junho de 1443 ele foi testemunha, em Constantinopla, da troca de apanágios entre Constantino e Teodoro: Teodoro tomou o domínio de Constantino em Selímbria, enquanto o último tornou-se mestre único da Moreia. João aparentemente retornou para a Moreia e mais adiante serviu Constantino como seu mesazonte, pois é mencionado num bula prateada de Constantino XII como o "general de meu reino" em fevereiro de 1444. Em data desconhecido, João fundou o Mosteiro de Pantanassa na capital do despotado em Mistras, para onde também doou um ícone da Virgem Maria.[1][3] Uma mansão em Mistras também foi atribuída a ele com base no monografa "Phi" cravado sobre uma laje do edifício.[2]

Referências

  1. a b Guilland 1967, p. 489.
  2. a b Kazhdan 1991, p. 1671.
  3. a b Trapp 2001, 30100. Φραγγόπουλος ̓Ἰωάννης.

BibliografiaEditar

  • Kazhdan, Alexander Petrovich (1991). The Oxford Dictionary of Byzantium. Nova Iorque e Oxford: Oxford University Press. ISBN 0-19-504652-8 
  • Trapp, Erich; Hans-Veit Beyer; Sokrates Kaplaneres; Ioannis Leontiadis (2001). Prosopographisches Lexikon der Palaiologenzeit. Viena: Verlag der Österreichischen Akademie der Wissenschaften