João José Aguiar

João José de Aguiar (Angra do Heroísmo, 30 de Setembro de 1844 — Angra do Heroísmo, 21 de Outubro, 1888) foi um jornalista, publicista e escritor, que se distinguiu pelos seus escritos sobre história local. Foi amanuense da secretaria da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo e escrivão da administração desse mesmo concelho.[1][2] Exerceu diversos cargos políticos.

BiografiaEditar

Amanuense da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, dedicou-se à escrita e foi jornalista e publicista de grande relevo na ilha Terceira. Exerceu também as funções de secretário da respectiva administração do concelho.[1] Dirigiu diversos jornais, com destaque para O Angrense.

Militou no Partido Progressista, tendo, entre 1880 e 1883, feito parte, como secretário, da comissão executiva da Junta Geral do Distrito de Angra do Heroísmo, da qual era procurador eleito.[1]

Foi também um dos colaboradores mais destacados do jornal liberal radical A Ideia Nova, fundado em Angra, em 1876, por Augusto Ribeiro.

Foi condecorado com o hábito da Ordem de Cristo.

Notas

  1. a b c Nota biográfica de João José d'Aguiar na Enciclopédia Açoriana.
  2. Alfredo Luís Campos, Memória da Visita Régia à Ilha Terceira, Imprensa Municipal, Angra do Heroísmo, 1903.

BibliografiaEditar

  • Memória Descritiva da Inauguração do Retrato do Falecido Par do Reino Conde da Praia da Vitória, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo no 1.º de Janeiro de 1874. Ponta Delgada, 1874.
  • O Bispo de Nilopolis e a Ilha Terceira, Memória da Manifestação Feita a Sua Excelência Reverendíssima por Ocasião do Seu Sexagésimo Aniversário Natalício no 1.º de Janeiro de 1887. Angra, Imprensa da Junta Geral, 1887 (em colaboração com Manuel Homem de Noronha).