Johann Weyer

Johann Weyer (Grave, 24 de fevereiro de 1515Tecklenburg, 24 de fevereiro de 1588) foi um médico holandês, ocultista e demonologista, discípulo e seguidor de Heinrich Cornelius Agrippa von Nettesheim. Foi um dos primeiros a protestar contra a perseguição às bruxas. Seu trabalho mais influente é De Praestigiis Daemonum et Incantationibus ac Venificiis (Sobre a ilusão de Demônios, Feitiços e Venenos, 1563).

Johann Weyer
Nascimento 24 de fevereiro de 1515
Grave (Países Baixos)
Morte 24 de fevereiro de 1588
Tecklenburg
Cidadania Países Baixos, Alemanha
Filho(s) Heinrich Weyer, Dietrich von Weyer, Galenus Weyer
Ocupação médico

Weyer nasceu em Grave, na Holanda. Seu pai era um mercador. Esteve em escolas de latim em 's-Hertogenbosch e Leuven e quando completou 14 anos tornou-se estudante de Agrippa, na Antuérpia.

Em 1534 estudou medicina em Paris e Orleans.

Em 1545 foi nomeado médico da cidade e devido a isto foi solicitado seu auxílio em um caso de bruxaria em 1548 contra um adivinho.

Weyer criticou o livro Malleus Maleficarum e a caça às bruxas promovida por autoridades católicas e civis. Foi o primeiro a utilizar o termo Doente Mental para designar uma mulher acusada de bruxaria. Weyer defendia a ideia de que o demônio não era tão poderoso como a Igreja Católica pregava, mas também acreditava que os demônios possuíam algum poder e poderiam aparecer a pessoas que os chamassem, criando ilusões. Entretanto, ele comumente se referia a mágicos e não a bruxas quando se referia a ilusões.

Seu trabalho serve de inspiração para ocultistas e demonologistas.

ObraEditar

  • De Praestigiis Daemonum et Incantationibus ac Venificiis, 1563.
  • De Lamiis Liber (O livro das Bruxas), 1577
  • Pseudomonarchia Daemonum (O falso reino dos demônios), um apêndice para o De Praestigiis Daemonum, 1577.