Johannes Freitagius

professor académico alemão

Johann Freitag (Johannes Freitagius, 1581-1641) (* Niederwesel, Cleves, 30 de Outubro de 1581 - † 8 de Fevereiro de 1641), foi Professor de Medicina de Osnabrück, médico do Bispo de Osnabrück,[1] viajou para Groningen para tratar de assuntos religiosos. Era contrário à doutrina de Paracelso e de certa feita entrou numa discussão com Sennertus[2] sobre o assunto. Foi autor de uma série de obras sobre Medicina.

Johannes Freitagius
(1581-1641)
Nascimento 31 de outubro de 1581
Niederwesel, perto de Cleves,  Alemanha
Morte 8 de fevereiro de 1641
Groningen,  Alemanha
Alma mater Universidade de Rostock
Universidade de Groningen
Universidade de Helmstedt
Ocupação Médico e professor de Medicina alemão.

Natural do ducado de Cleves, o erudito e médico alemão, compelido pelos problemas da época, se mudou para Osnabrück, onde inciou seus estudos clássicos. Depois foi para Colônia, Wesel e Helmstedt; mas cedo mudou sua inclinação para a Medicina, como profissão. Estudou Filosofia na Universidade de Rostock e depois retornou para Helmstedt, onde assistiu as aulas de Franciscus Parcovius na Universidade. Ele recebeu também muita influência com as aulas do renomado Meibomius,[3] em cuja casa residiu na qualidade de tutor dos filhos deste, e muito cedo achou-se adequado para dar aulas particulares para alunos mais jovens na prática de física.

Tornou-se posteriormente professor extraordinário, e em 1604, aos 23 anos de idade, tornou-se professor ordinário da universidade, cujo cargo ocupou durante quatro anos. Doutorou-se mais tarde e foi tentar a vida na corte de Felipe Sigismundo, Duque de Braunschweig-Lüneburg e também Bispo de Osnabrück que o nomeou seu médico particular. Por volta do ano de 1632, Ernst, Duque de Holstein,[4] e Conde de Schawenburg, ofereceu-lhe o mesmo posto, além de nomeá-lo para a liderança dos professores médicos da universidade que ele tinha acabado de fundar em Rintein, mas seu antigo patrão não permitiu que ele aceitasse.

Com a morte do bispo, ele continuou em Osnabrück porque o novo bispo[5] também o contratara para seu médico particular, bem como escolheu para ele um de seus camareiros. Ele serviu ao seu sucessor com a mesma capacidade, porém foi demitido em 1631, por conta de sua recusa em tornar-se católico.

Ele encontrou proteção, todavia, sob Ernst Casimir, Conde de Nassau e Conde de Bertheim,[6] que o procurou para a vaga de professor na Universidade de Groningen, como sucessor de Nicholas Mulerius. Ele cumpriu este novo compromisso com grande reputação, e continuou a se distinguir com o sucesso da sua prática até o declínio de sua vida, que foi acelerado por complicações de várias doenças: hidropisia, gota, gravela, e febre retiraram-no do palco da vida em 8 de Fevereiro de 1641.

ObrasEditar

  • Noctes medicae (Frankfurt 1616)
  • Disputatio medica de morbis substantiae (Groningen 1632)
  • De opii natura (Groningen 1632, Leipzig 1633)
  • Detectio et solida refutatio novae sectae Sennerto-Paracelsiae (Amsterdam 1636, Groningen 1637)

ReferênciasEditar

  1. Philipp Sigismund, Duque de Braunschweig-Wolfenbüttel (1568-1623) (* Castelo Hessen, 1 de Julho de 1568 - † Iburg, 19 de Março de 1623), foi príncipe-bispo de Verden e de Osnabrück.
  2. Daniel Sennertus (1572-1637) (* Breslau, 25 de Novembro de 1572 - † Wittemberg, 21 de Julho de 1637), foi um médico alemão e professor da Universidade de Wittenberg
  3. Johann Heinrich Maybaum (Johannes Henricus Meibomius, 1590-1625) (* Helmstedt, 27 de Agosto de 1590 - † Lübeck, 16 de Maio de 1655), foi médico e professor da Universidade de Helmstedt.
  4. Ernst, Duque de Schleswig-Holstein-Sonderburg (1572-1596) (* 17 de Janeiro de 1572 - † 26 de Outubro de 1596).
  5. Franz Wilhelm von Wartenberg (1593-1661) (* Munique, 1 de Março de 1593 - † 1 de Dezembro de 1661), foi príncipe-bispo de Osnabrück e de Ratisbona.
  6. Ernst Casimir, Duque de Nassau-Dietz (1573-1632) (22 de Dezembro de 1573 - † 2 de Junho de 1632), foi chefe de estado da Frislândia.