Abrir menu principal

José Pinheiro de Ulhoa Cintra (São João del-Rei, ? — Caçapava do Sul, ?) foi um jornalista, diplomata, militar e político brasileiro.

Eleito suplente de deputado provincial na 1ª Legislatura da Assembleia Legislativa Provincial do Rio Grande do Sul.[1] Lutou do lado republicano na Revolução Farroupilha, tendo sido nomeado ministro da justiça e estrangeiros da recém declarada República Rio-Grandense, em 1836.[2] Foi depois ministro da Guerra, da Marinha e do Exterior, além de embaixador no Prata e Paraguai.[2]

Era proprietário da casa em Caçapava do Sul, onde foram instalados os ministérios da República Riograndense, em 1839, quando Caçapava foi instituída a segunda capital farroupilha [3][4]. Em 29 de janeiro de 1842 assinou, com Manuel Leivas, representante do general Pedro Ferre, a Convenção de Corrientes que tratava de amizade e comércio entre a República Riograndense e a província de Entre Rios.[5] Foi um dos elaboradores e signatários da Constituição Farroupilha, em 1843.

Terminada a revolução, foi eleito deputado provincial, em 1848.[6]

Deixou grande descendência.[2]

Referências

  1. Primeira Legislatura - Página da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul.
  2. a b c SPALDING, Walter (1963). A epopeia farroupilha. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora. 392 páginas 
  3. Turismo Histórico Cultural e Farroupilha, Caçapava do Sul.
  4. Sua casa, chamada "Casa dos Ministérios", pode ser visitada em Caçapava do Sul.
  5. CLEMENTE, Elvo; FERRER, Carla. Integração: história, cultura e ciência. EDIPUCRS, 2004, ISBN 8574304751, ISBN 9788574304755, 189 pp.
  6. FRANCO, Sérgio da Costa, A Assembleia Legislativa Provincial do Rio Grande do Sul (1835-1889). Porto Alegre : CORAG, 2004.
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.