Abrir menu principal

José Ulísses de Oliveira

político brasileiro
José Ulísses de Oliveira
Nascimento 14 de janeiro de 1939 (80 anos)
Santo Antônio do Monte
Cidadania Brasil
Ocupação político

José Ulísses de Oliveira (Santo Antônio do Monte, 14 de janeiro de 1939) é um político brasileiro. Exerceu o mandato de deputado federal constituinte em 1988.[1] Foi membro da Comissão Executiva Regional da agremiação e deputado federal. É filho do comerciante José Maria de Oliveira e de Rosa Miranda de Oliveira. E seu tio materno também teve carreira política, Otacílio Oliveira de Miranda foi vice-prefeito e prefeito de Santo Antônio do Monte (1966 e 1972) e deputado estadual em Minas Gerais (1979-1991).[2]

Índice

FormaçãoEditar

Concluiu os estudos secundários na Escola Nossa Senhora de Fátima, em Santo Antônio do Monte (MG). Em 1980, formou-se bacharel em direito pela Universidade Católica de Belo Horizonte e, posteriormente, em arte dramática pelo Teatro Universitário da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).[3]

CarreiraEditar

Começou a carreira como comerciário em Santo Antônio do Monte. Mais tarde, mudou-se para Belo Horizonte e iniciou o trabalho no Banco da Lavoura de Minas Gerais S.A. Posteriormente, volta para sua cidade natal, onde tornou-se diretor adjunto da usina siderúrgica Santo Antônio. Em 1963 tornou-se proprietário de uma corretora de valores. Entre 1976 e 1977 foi membro da Comissão de Mercado Imobiliário da Associação Comercial de Belo Horizonte. Foi filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime político-militar instaurado no país em abril de 1964.

1979 - Filia-se ao Partido Popular (PP), liderado por Tancredo Neves, e que mais tarde, seria incorporado ao PMDB. No mesmo ano, torna-se membro da Comissão Regional da agremiação;

1982 - É eleito deputado federal pelo PMDB;

1984 - Vota a favor da emenda Dante de Oliveira na Câmara dos Deputados, que propunha eleições diretas para presidente da República;

1985 - Com a insuficiência de votos para enviar a emenda para o Senado, um Colégio Eleitoral é convocado para escolher um novo presidente da República. Ulisses votou em Tancredo Neves-José Sarney, que foram vitoriosos;

1986 a 1990 - É eleito deputado federal constituinte, onde participou como relator da Subcomissão da Questão Urbana e Transporte da Comissão da Ordem Econômica;

1990 - Filia-se ao Partido das Reformas Sociais (PRS) e tenta reeleger-se, mas não obtém vitória;

1991 - Retorna ao Legislativo no lugar do deputado Roberto Brant;

1992 - Vota a favor do Impeachment do presidente Fernando Collor de Melo;

1993 - Filia-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB);

1994 - Torna-se suplente, após o deputado José Resende reassumir o mandato na Câmara. Meses depois assume, efetivamente, como deputado, após o falecimento de José Aldo. Mas, no mesmo ano, licencia-se do mandato para chefiar uma secretaria do governo de Hélio Garcia (1991 - 1994);

1995 - No fim do mandato de Hélio Garcia, volta à Câmara. Mas, no mesmo dia de sua volta, 1 de janeiro, pede licença para ocupar uma secretaria na gestão do governador Eduardo Azeredo (1995-1998)

2007 a 2009 - Passa a presidir o sindicato dos Bancários do Estado do Piauí (SEEBF/PI).[4]

Na Assembleia ConstituinteEditar

Entre as votações mais importantes da Assembleia Constituinte.

Foi a favor de: mandado de segurança coletivo; da jornada semanal de 40 horas; do turno ininterrupto de seis horas; da soberania popular; da nacionalização do subsolo; do limite de 12% ao ano para os juros reais; da anistia aos micro e pequenos empresários e do mandato de cinco anos para o presidente José Sarney.

Foi contra a: a pena de morte; a limitação do direito de propriedade privada; a remuneração 50% superior para o trabalho extra; a unicidade sindical; o voto aos 16 anos; o presidencialismo; a legalização do jogo do bicho e a desapropriação da propriedade produtiva.

Absteve-se em: votar o aborto.[3]

FamíliaEditar

Teve dois filhos com sua esposa Maria Olívia de Castro e Oliveira, que foi deputada estadual entre os anos de 1999 a 2006, pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Um de seus filhos, Tiago Ulisses de Castro e Oliveira também foi deputado estadual de 2007 a 2011 pelo Partido Verde (PV).[3]

Referências

  1. «José Ulísses de Oliveira - CPDOC». CPDOC. Consultado em 2 de janeiro de 2018 
  2. Brasil, CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «MARCOS PERES QUEIROS | CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 24 de setembro de 2018 
  3. a b c Brasil, CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «JOSE ULISSES DE OLIVEIRA | CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 24 de setembro de 2018 
  4. Brasil, CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «JOSE ULISSES DE OLIVEIRA | CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 25 de setembro de 2018 
  Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.