Abrir menu principal
José da Guerra Maio
Outros nomes Guerra Maio
Nascimento
Freixeda do Torrão
Morte 10 de junho de 1967
Nacionalidade Portugal Portugal
Filho(s) Josette de Guerra Maio

José de Guerra Maio

Helena Guerra Maio

Ocupação Jornalista e escritor

José da Guerra Maio OC (Freixeda do Torrão, ? - 10 de Junho de 1967) foi um jornalista e escritor português.

BiografiaEditar

Nascimento e vida pessoalEditar

 
Vivenda Guerra Maio, em Freixeda do Torrão.

Guerra Maio nasceu na localidade de Freixeda do Torrão.[1]

Carreira profissionalEditar

Como jornalista, colaborou no Comércio do Porto e no Diário de Lisboa[1], e foi redactor na Gazeta dos Caminhos de Ferro, posição que abandonou para ir dirigir a Agência de Turismo em Paris da Sociedade de Propaganda de Portugal.[2]

Em 1922, foi nomeado como 2.º delegado da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses da Beira Alta numa das conferências anuais sobre o tráfego entre França, Espanha e Portugal, realizada em Valência[3][4] O seu objectivo principal, que lhe tinha sido atribuído pelo administrador-delegado da Companhia, Luís Ferreira da Silva Viana, era propor várias alterações no Sud Expresso, como a introdução de uma carruagem de primeira e segunda classes, e modificações nos preços.[3][4]

Em 1949, publicou o livro Por Terras Afastadas, Crónicas de Viagem.[5] Em 1950, era secretário na delegação de Paris da Câmara Portuguesa do Comércio.[6]

Defendeu a construção de um ramal ferroviário para Fátima, tendo as suas propostas sido apoiadas pela imprensa nacional e no ultramar.[7] Foi igualmente responsável pela construção de uma estrada municipal entre Freixeda do Torrão e Almendra.[1]

Falecimento e famíliaEditar

Morreu em 10 de Junho de 1967.[1]

Teve três filhos, Helena Guerra Maio, que faleceu em 1950 na cidade de Paris, com apenas 18 anos de idade, Josette de Guerra Maio, falecida em Rouen em 2005, e José de Guerra Maio, vivendo em Lisboa.

 
Comprovativo da atribuição do grau de Cavaleiro na Ordem Militar de Cristo a José da Guerra Maio.

HomenagensEditar

Em 7 de Outubro de 1934, José da Guerra Maio foi galardoado com o grau de Oficial na Ordem Militar de Cristo.[8]

Obras publicadasEditar

  • Relações ferroviárias internacionais (1922)
  • Rosas bravas (1927)
  • O problema ferroviário em 1934 (1934)
  • Paris-Tóquio via Moçambique (1936)
  • Portugal desconhecido (1945)
  • Por Terras Afastadas, Crónicas de Viagem (1949)
  • Viajando (1961)

Referências

  1. a b c d «José da Guerra Maio» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 80 (1908). 16 de Junho de 1967. p. 104. Consultado em 1 de Março de 2015 
  2. MAIO, Guerra (1 de Junho de 1965). «Mendonça e Costa» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 78 (1859). p. 139. Consultado em 1 de Março de 2015 
  3. a b MAIO, Guerra (16 de Julho de 1964). «O novo serviço do "Sud-Express"» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 77 (1838). p. 197. Consultado em 1 de Março de 2015 
  4. a b MAIO, Guerra (1 de Junho de 1953). «O "Sud-Express" e a sua acção transatlântica» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 66 (1571). p. 119. Consultado em 1 de Março de 2015 
  5. «Publicações recebidas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 62 (1480). 16 de Agosto de 1949. p. 520. Consultado em 1 de Março de 2015 
  6. «Os nossos mortos: Helena Guerra Maio» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 63 (1510). 16 de Novembro de 1950. p. 422. Consultado em 1 de Março de 2015 
  7. «Caminho de Ferro de Acesso a Fátima» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 64 (1540). 16 de Fevereiro de 1952. p. 496. Consultado em 1 de Março de 2015 
  8. «Cidadãos nacionais agraciados com ordens portuguesas». Presidência da República Portuguesa. Consultado em 31 de Janeiro de 2018 


  Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.