Abrir menu principal

Joseba Sarrionandia

Joseba Sarrionandia, 2016.

Joseba Sarrionandia Uribelarrea, Sarri, nascido em Iurreta, Biscaia, em 1958, é um poeta e filólogo basco. É um dos escritores contemporâneos em língua basca mais conhecidos.

BiografiaEditar

Estudou filologia basca na Universidade de Deusto (Bilbao) e foi professor de fonética na UNED. Publicou seus primeiros escritos em revistas bascas como Pott, Zeruko Argia, Anaitasuna, Jakin, Oh Euzkadi, Ibaizabal e nos jornais Egin e Egunkaria. Foi também tradutor para o basco de diversas obras literárias, como as de T. S. Eliot, Fernando Pessoa e Manuel Bandeira. O poemário Izuen Gordelekuen Barrena (Dentro dos agochamentos dos medos), foi o seu primeiro livro publicado.

Em 1980 foi condenado a 22 anos de prisão por sua pertenenza à Euskadi Ta Askatasuna (ETA). Cinco anos mais tarde, fugiu junto com outro preso etarra, Iñaki Pikabea, da cadeia de Martutene, escondido em um bafle após um show do cantor Imanol. A espetacular fuga inspirou a famosa cantiga "Sarri, Sarri" do grupo vasco Kortatu. Desde então está em paradeiro desconhecido apesar de que continua a publicar livros, ser uma fonte de inspiração para músicos e artistas de diferentes estilos.[1]

Em 2001 recebeu o Prêmio Nacional da Crítica da narrativa em basco, outorgado pela Associação Espanhola de Críticos Literários, por seu primeiro romance: Lagun izoztua (O amigo congelado). Em 2011 recebeu o Prêmio Euskadi para o melhor ensaio em basco por seu livro Moroak gara behelaino artean?.

ObrasEditar

  • Izuen gordelekuetan barrena (No os abrigos do medo), 1981.
  • Narrazioak (Stories), 1983.
  • Intxaur azal baten barruan. Eguberri amarauna (Em poucas palavras. Cobweb Natal), 1983.
  • Alkohola poemak (Poesia do álcool), 1984. Livro de poemas coletivamente desenvolvidos.
  • Ni ez naiz hemengoa (Eu não sou daqui), 1985.
  • Atabala eta euria (O tambor e chuva), 1986. Prêmio Nacional da Crítica.
  • Marinel zaharrak (Velhos marinheiros), 1987.
  • Marginalia, 1988.
  • Ez gara geure baitakoak (Nós não somos nós mesmos), 1989.
  • Izeba Mariasunen ipuinak (Contos da tia Mariasun), 1989.
  • Ainhoari gutunak (Cartas a Ainhoa), 1990.
  • Ifar aldeko orduak (As horas ao norte), 1990.
  • Gartzelako poemak (Poesia das prisões), 1992.
  • Han izanik hona naiz (Daí que vem), 1992.
  • Hnuy illa nyha majah yahoo, 1995. Antologia de poems (1985-1995).
  • Miopeak, bizikletak eta beste langabetu batzuk (Míopes, bicicletas e outros desempregados), 1995.
  • Hitzen ondoeza (O Mal-estar de palavras), 1997.
  • Hau da nire ondasun guzia (Esta é a minha propriedade inteira), 1999. Livro e CD alternando poemas recitados pelo autor e versãos musicales do grupos bascos.
  • Zitroi ur komikiak: Joseba Sarrionandia komikitan (Comic água de limão), 2000. Com Koldo Almandoz.
  • Lagun izoztua (O amigo congelado), 2001. Prêmio Nacional da Crítica.
  • XX. mendeko poesia kaierak: Joseba Sarrionandia (Jornal da poesia do século XX), 2002. Antologia de Koldo Izagirre.
  • Kolosala izango da (Você será global), 2003.
  • Akordatzen (Recordando), 2004.
  • Harrapatutako txorien hegalak (As asas das aves presas), 2005.
  • Munduko zazpi herrialdetako ipuinak (Contos dos sete territórios do mundo), 2008.
  • Gau ilunekoak (Aquelas noites escuras), 2008.
  • Idazlea zeu zara, irakurtzen duzulako, 2010.
  • Moroak gara behelaino artean?, 2010. Prêmio Euskadi do ensaio.
  • Narrazio guztiak (1979-1990), 2011.
  • Durangoko Azoka 1965-2015, 2015.
  • Lapur banden etika ala politika, 2015.
  • Hilda dago poesia? ¿La poesía está muerta?, 2016.

Referências