Juventude Popular

organização da juventude do CDS-PP

A Juventude Popular (JP) é a organização política e autónoma de juventude do CDS-PP. Criada em 4 de Novembro de 1974, com o nome de Juventude Centrista (JC), destacou-se no Verão Quente de 1975 como intenso opositor aos movimentos de esquerda que tentavam construir em Portugal um projecto de inspiração socialista.[6]

Juventude Popular
Juventude Centrista
Juventudepopularlogo.jpg
Presidente Francisco Camacho[1]
Secretário-geral Tomás Amaro Monteiro
Fundação 4 de novembro de 1974
Sede Largo Adelino Amaro da Costa[2]
Santa Maria Maior, Lisboa
Espectro político Direita[3][4]
Membros (2014) 18 000[5]
Afiliação nacional CDS – Partido Popular
Afiliação internacional União Internacional dos Jovens Democráticos (IYDU)
Afiliação europeia Juventude do Partido Popular Europeu (YEPP)
Comunidade Europeia dos Jovens Democráticos (DEMYC)
Cores Azul e Amarelo
Hino Completamente livre
Bandeira do partido
Juventudepopularlogoextenso.jpg
Página oficial
juventudepopular.pt

Adoptou o nome Juventude Popular (JP) em 1998, sob a presidência de Pedro Mota Soares.[7]

Na actualidade, a Juventude Popular é uma das maiores juventudes partidárias de Portugal, contando com vários milhares de militantes e com uma forte implantação regional e concelhia.[5] Sendo a mesma a que alberga maior número de militantes nos dois maiores pólos urbanos, Porto e Lisboa.

ActividadesEditar

As actividades de maior destaque são:

  • Escola de Quadros[8] – encontro anual de formação co-organizado com o CDS-PP, consiste numa série de conferências e debates, que conta com figuras de destaque a nível nacional, do campo académico, político, ou outro.
  • Conselhos Nacionais[9] – reunião magna bianual dos militantes da JP onde são discutidos os assuntos internos da estrutura. Geralmente decorrem durante um fim-de-semana e terminam com um jantar de convívio.

PrémiosEditar

Seja como recompensa pela dedicação daqueles que trabalham em prol da instituição, seja por incentivo ao bom trabalho, a Juventude Popular atribui anualmente 3 prémios distintos:

  • Prémio Adelino Amaro da Costa[10] – distingue a estrutura concelhia da Juventude Popular que mais se destacou a nível nacional, durante o ano anterior.
  • Prémio Nuno Krus Abecasis[11] – distingue a estrutura distrital da Juventude Popular que mais se destacou a nível nacional, durante o ano anterior.
  • Prémio Ricardo Medeiros[12] – distingue o militante da Juventude Popular que mais se destacou nesse mesmo ano.

HistóriaEditar

PresidentesEditar

Referências

  1. Juventude Popular elege Francisco Camacho como novo líder que promete mobilização para as autárquicas, Público 07.03.2021
  2. «Informações de Contacto» 
  3. Santos, Francisco (23 de janeiro de 2020). «"O CDS é um partido de direita, ponto final"». Consultado em 8 de setembro de 2021. O CDS pode fazer o pino, uma cambalhota e um malabarismo no trapézio que, aos olhos dos portugueses, a perceção é que o CDS é um partido de direita. O CDS é um partido de direita, ponto final", afirmou o candidato. 
  4. José Pedro Mozoz (27 de fevereiro de 2018). «Depois de Cristas pedir pragmatismo, a Juventude Popular defende aposta na ideologia». Visão (revista). Consultado em 10 de setembro de 2020 
  5. a b «108 mil jovens estão inscritos em partidos políticos». ionline 
  6. Falcão, Catarina. «40 anos do assalto ao comício da Juventude Centrista e da tomada da sede do CDS». Observador. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  7. «Associações Juvenis | Lista de Associações | JP - Juventude Popular». juventude.cm-braga.pt. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  8. Almeida, José (8 de outubro de 2018). «Escola de Quadros do CDS debate Europa». Público. Consultado em 8 de setembro de 2021 
  9. «Regimento do Concelho Nacional» (PDF). Consultado em 8 de setembro de 2021 
  10. «Prémio Adelino Amaro da Costa» (PDF) 
  11. «Prémio Krus Abecasis» (PDF) 
  12. «Prémio Ricardo Medeiros» (PDF) 

Ligações externasEditar