Khadija al-Salami

Khadija al-Salami (Saná, 11 de novembro de 1966) é uma directora e produtora de cinema iemenita, reconhecida principalmente por ser a primeira cineasta feminina desse país.[1][2] Al-Salami reside na actualidade em Paris, França. Tem sido nomeada e tem ganhado vários prémios em importantes eventos relacionados com o cinema a nível mundial como o Festival Internacional de Cinema de Dubai e o Festival de Cinema Asiático de Vesoul, entre outros.[3] Um dos seus documentários, I Am Nojoom, Age 10 and Divorced, foi eleito como o filme iemenita para participar na categoria do melhor filme de fala não inglesa na edição número 89 dos Prémios da Academia, o primeiro filme desse país a ser seleccionado para dito galardão.[4] Ainda que o documentário não ingressou na lista final de nomeados, se considera este facto um grande lucro para a indústria do cinema do Iémen.[5][6]

Khadija al-Salami
Khadija Al-Salami en San Sebastián (España) en 2016
Nascimento 1966 (55 anos)
Saná
Cidadania Iémen
Alma mater
Ocupação realizadora de cinema, diplomata, escritora, produtora cinematográfica
Prêmios
  • Cavaleiro da Legião de Honra (2007)
  • cavaleiro das Artes e das Letras (2011)

Primeiros anos e educaçãoEditar

Na sua infância, al-Salami foi enviada a viver com familiares depois do divórcio dos seus pais depois de reiteradas cenas de violência doméstica por parte do pai. Aos onze anos, a sua avó obrigou-a a casar e foi violada pelo seu marido.[7] Algumas semanas depois o seu esposo levou-a até ao seu tio, que a repudiou de imediato e lhe devolveu à sua mãe solteira. Ela escapou da imensa pressão da família e da sociedade ao encontrar um emprego na estação de televisão local e ao mesmo tempo a frequentar a escola pelas manhãs, actividades que lhe davam uma grande felicidade no meio da sua difícil situação.[2] Aos 16 anos recebeu uma bolsa para cursar seus estudos secundários nos Estados Unidos. Posteriormente inscreveu-se na Escola para Mulheres de Mount Vernon em Washington, DC. Após um período no Iémen e Paris, regressou a Washington para obter o seu mestrado em comunicações na Universidade Americana. Como tese, al-Salami produziu seu primeiro filme.[8]

ObrasEditar

Ano Obra
1991 Hadramaout: Crossroads of Civilizations
1994 Le pays suspendu
1995 Women of Islam
1997 Land of Sheba
2000 Yemen of a Thousand Faces
2005 A Stranger in Her Own City
2006 Amina
2013 Scream
2014 I Am Nojoom, Age 10 and Divorced
2015 La rosée du matin (francês), com Nada al-Ahdal
2016 Jedenastoletnia zona (polaco), com Nada al-Ahdal

Prémios e reconhecimentosEditar

Festival Ano Prêmio Categoria e/ou filme
Festival Internacional de Cinema de Dubai 2014 Muhr Award- Vencedora Melhor filme: I am Nujood, Age 10, and Divorced (2014)[3]
Festival Internacional de Cinema de Dubai 2006 Muhr Award- Vencedora Melhor documentário- Prata: Amina (2006)[3]
Festival de Cinema Asiático de Vesoul 2006 Prémio juvenil- Vencedora Une étrangère dans sa ville (2005)[3]
Festival de Cinema Asiático de Vesoul 2005 Prémio juvenil- Nomeada Les femmes et a démocratie au Yémen (2003)[3]

ReferênciasEditar

  1. Hillauer, Rebecca (2 de fevereiro de 2006), «Other Filmmakers», ISBN 9789774249433, American University in Cairo Press, Encyclopedia of Arab Women Filmakers: 421–448, consultado em 18 de outubro de 2018 
  2. a b «Khadija al-Salami, a Yemeni Child Bride Who Became a Diplomat». Fanack.com 
  3. a b c d e «IMDB.com and IMDB Pro». CC Advisor 
  4. Yemeni filmmaker Khadija a o-Salami: 'When I see any injustice, it hurts me' France 24. 5 de abril de 2018. Consultado o 21 de dezembro de 2018.
  5. «85 Countries In Competition For 2016 Foreign Language Film Oscar». Academy of Motion Picture Arts and Sciences 
  6. «Oscars: 85 Foreign-Language Film Contenders Unveiled by Academy». The Hollywood Reporter 
  7. «The most 500 powerful Arabs» 
  8. Yemeni child-bride devaste among 85 filmes vying for foreign Oscar Arab News. 13 de outubro de 2016. Consultado o 21 de dezembro de 2018.

Ligações externasEditar