Abrir menu principal

La Vénus à la fourrure

filme de 2013 dirigido por Roman Polanski
La Vénus à la fourrure
La Vénus à la fourrure
Vénus de Vison (PRT)
A Pele de Vênus (BRA)
Póster oficial
França
2013 •  cor •  96 min 
Direção Roman Polański
Produção Direção:
Robert Benmussa
Alain Sarde

Empresas:
R.P. Productions
A.S. Films
Monolith Films (co-produção)
Coprodução Mariusz Lukomski
Wojtek Palys
Roteiro David Ives
Roman Polański
Elenco Emmanuelle Seigner
Mathieu Amalric
Gênero Drama
Música Alexandre Desplat
Cinematografia Pawel Edelman
Edição Hervé de Luze
Margot Meynier
Distribuição mars Distribution
Lançamento Brasil 17 de julho de 2014
Portugal 8 de novembro de 2013
Idioma francês
Orçamento US$ 5,879,183 (global)[1]
Página no IMDb (em inglês)

La Vénus à la fourrure (A Pele de Vênus BRA ou Vénus de Vison PRT) é um filme francês de 2013, do género dramático, rodado em Paris, dirigido por Roman Polański, com argumento do dramaturgo norte-americano David Ives e de Roman Polański. David Ives baseou-se no romance de Leopold von Sacher-Masoch com o título A Vênus das Peles (Venus in Furs), escrito em 1870, o nome do escritor (Masoch) deu origem ao termo "masoquista". [2][3]

Índice

SinopseEditar

  Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Thomas (Mathieu Amalric) queixa-se ao telefone da falta de talento das candidatas demonstrada nas provas de audição, que fez durante todo o dia, para representarem o papel de uma mulher que faz um negócio com um homem para este ser seu escravo.

Nenhuma apresenta a competência necessária para interpretar o papel principal. Thomas prepara-se para abandonar o teatro quando, uma mulher misteriosa entra na sala, Vanda (Emmanuelle Seigner, esposa de Polański), esta tem uma personalidade forte e é um furacão de energia erótica. Ela está perfeitamente preparada: comprou adereços, leu o material, percebe a personagem e conhece os diálogos de cor.

Desta forma, a atriz tenta convencer como é perfeita para o desempenho do papel, mas Vanda materializa tudo o que o diretor odeia. Thomas sabe que Vanda está completamente desesperada para conseguir a peça, mas ao mesmo tempo, prevê que se a sua escolha recair nesta atriz, será inteiramente desapropriada. De qualquer forma, Vanda não aceita um não como resposta e começa a tornar-se cada vez mais dominante e provocante, por outro lado a atracão de Thomas começa a ser cada vez mais veemente, originando uma mudança de poder entre eles…[3]

ElencoEditar

 

 

 


ProduçãoEditar

AntecedentesEditar

Polański disse num comunicado ao Hollywood Reporter que estava à procura, há já algum tempo, uma chance de fazer um filme em francês com Emmanuelle. Ao ler a obra A Vénus das Peles (Venus de Fur), percebi que estavam criadas as condições para a sua concretização. Steven Zeitchik escreveu para o LA Times: «O filme irá trazer qualidade numa nova meta, um diretor bem conhecido irá direcionar sua atriz-mulher num filme focado sobre um diretor num relacionamento complicado com uma atriz.»[3]

ArgumentoEditar

Polański adotou a peça de David Ives baseada no romance de 1870, de Leopold von Sacher-Masoch, escritor e jornalista austríaco, mas o argumento do filme foi produzido pelo realizador e pelo dramaturgo. O conteúdo do romance de Leopold Masoch tem por base a felicidade da relação entre um homem e uma mulher, tendo como necessidade o jogo do poder e da dominação. No romance o nome dos personagens são Wanda e Severin.[2]

FilmagemEditar

Não é a primeira vez que a filmografia de Polański funde teatro com o cinema, dado que o tema já tinha sido explorado em 2011, no filme Carnage, cujo cenário é o interior de um apartamento. Desta feita, não é um apartamento mas o próprio palco e tudo se desenrola nesse espaço – um teatro parisiense, na realidade o Théâtre Récamier, situado no número 3 da Rue Récamier em Paris. [4][5]

As duas personagens – apenas duas - encontram-se concomitantemente na tela do cinema e no palco do teatro, é neste pano de fundo que se desenrolam os jogos de poder e de sedução.

A acrescentar ao enredo os sons estão sempre presentes e duma forma impressionante, corroborando assim, com os excelentes planos captados pelo diretor de fotografia Pawel Edelman, jogando este com mestria com a luz e sombra tão perfeitamente como Vanda consegue aclarar o palco do teatro perante o olhar descrentemente sombrio de Thomas. A coadjuvar toda esta envolvência teatral forte e dominadora, está a sensível banda sonora de Alexandre Desplat.[4]

As restantes cenas do filme foram rodadas na cidade de Paris, e no exterior do teatro Théâtre Hébertot , situado no número 78 da rua bis Boulevard des Batignolles.[5]

Principais prémios e nomeaçõesEditar

Prémio César 2014 (França)

Palma de Ouro 2014 (França)

  • Nomeado Roman Polański

Prémio David di Donatello 2014 (Itália)

  • Nomeado na categoria de melhor filme europeu.

Prémio Lumièr 2014 (França)

  • Venceu na categoria melhor argumento (Roman Polański e David Ives).
  • Nomeado na categoria de melhor atriz (Emmanuelle Seigner). [6]

Referências

  1. «Venus in Fur» (em inglês). Boxe Office Mojo. Consultado em 19 de Dezembro de 2014 
  2. a b «Full Cast & Crew» (em inglês). IMDb. Consultado em 18 de Dezembro de 2014 
  3. a b c «Polański's Venus in Fur in the Competition for Palme d'Or» (em inglês). culture.pl. Consultado em 18 de Dezembro de 2014 
  4. a b «Crítica: Vénus de Vison / La Vénus à la Fourrure (2013)». Hoje Vi(vi)um filme. Consultado em 19 de Dezembro de 2014 
  5. a b «Filming Locations» (em inglês). IMDb. Consultado em 19 de Dezembro de 2014 
  6. «Awards» (em inglês). IMDb. Consultado em 22 de Dezembro de 2014 

Ligações externasEditar