Libertários Socialistas (Dinamarca)

Libertære Socialister (abreviado para LS ), ou Libertários Socialistas, foi uma organização anarquista social dinamarquesa fundada oficialmente em 8 de novembro de 2009, em sua terceira reunião inicial em Horsens . A organização trabalhava para a criação de uma plataforma socialista anticapitalista, revolucionária e libertária.[1] O LS tinha grupos locais em Copenhagen, Aalborg e Odense que se ligavam em uma federação, descrita em detalhes nas regras da organização.[2]

Libertários Socialistas (LS)
Libertære Socialister (LS)
Libertære Socialister logo.png
Líder(es) Sem líder (organização não-hierárquica)
Fundação 8/11/2009
Área de atividade Dinamarca
Ideologia Anarcocomunismo, Plataformismo, Especifismo
Espectro político Extrema-Esquerda
Status Dissolvido em 2017
Parte de Anarkismo.net

LS foi descrito como " o representante mais importante e mais visível da tendência anarquista na Dinamarca ".[3] LS se descrevia em seu site como "uma federação de grupos locais independentes que buscam promover a luta pelo socialismo libertário : uma sociedade de conselho socialista sem Estado baseada no federalismo e na democracia direta ".[4] a LS era uma organização anti-parlamentarista e rejeitou qualquer participação nas eleições. Em vez disso, LS defende e usa os métodos de ação direta do anarquismo de massa e sindicalismo : greves, bloqueios, ocupações, sabotagem, operação-padrão, boicotes, desaceleração, Manifestações, etc. LS considera a greve geral revolucionária e a insurreição popular como as armas finais que podem acabar com o capitalismo e o estatismo e trazer uma sociedade socialista libertária.

Em 2017, após um período de inatividade, a LS foi dissolvida.[5] Durante sua existência, foi membro da rede Anarkismo.net.

AtividadesEditar

Os grupos locais LS organizaram palestras, reuniões e debates. Também se envolveram em lutas políticas e movimentos relacionados ao meio ambiente e clima, conflitos industriais e sociais, anti-racismo, antimilitarismo, política de gênero, etc.[6][7][8][9][10] Durante os protestos na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP15) todos os envolvidos no bloco LS na manifestação foram presos.[11][12] Muitos dos presos processaram a polícia por prisão injusta e, no final do caso, as prisões foram consideradas ilegais.[13][14] Nas reuniões do primeiro de maio dos movimentos trabalhistas[15] LS participou em protestos contra os social-democratas e o Partido Popular Socialista e a política que eles lideraram após a mudança de governo em 2011 (em Copenhague, a LS desempenhou um papel de liderança nesses protestos).[16] Durante os protestos, houveram acusações de comportamento agressivo por ambos os lados,[17][18] alguns dos quais foram posteriormente retirados.[19][20] Os protestos tiveram o efeito de que oradores dos social-democratas e da SF tiveram que interromper seus discursos com antecedência nas reuniões em Copenhagen, Aalborg, Aarhus e outras cidades.[21][22][23]

Direkte AktionEditar

A LS redigiu a revista Direkte Aktion a partir de fevereiro de 2011.[24][25][26]

Relações InternacionaisEditar

Internacionalmente, LS juntou-se à rede Anarkismo[27][28] e ajudou na manutenção do site Anarkismo.net[29] e os fóruns Anarchist Black Cat.[30] LS participa em conferências internacionais da rede Anarkismo e está a trabalhar em conjunto com outras organizações afiliadas em campanhas conjuntas. O ramo europeu da rede Anarkismo criou o EuroAnarkismo[31] com o objetivo de fortalecer a cooperação internacional e o movimento anarquista na Europa.[32][33][34] Ao aderir à rede Anarkismo, a LS posicionou-se na tradição plataformista - especifista do movimento anarquista internacional.[35]

Referências

  1. «Libertære Socialister » Platform». Libsoc.dk. 27 de março de 2011. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  2. «Libertære Socialister » Regler». Libsoc.dk. 27 de março de 2011. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  3. Chris Holmsted. «Political Extremism in Denmark» (PDF). Diggy.ruc.dk. Consultado em 26 de fevereiro de 2015 
  4. «Libertære Socialister » Om LS». Libsoc.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  5. «Libertære Socialister». www.facebook.com (em inglês). Consultado em 10 de maio de 2018 
  6. «"Vi kæmper for en revolution" : Socialistisk Arbejderavis 313». socialister.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  7. «Interview: "Vigtig at sammenkæde socialisme og anarkisme..."». autonom infoservice. 9 de janeiro de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  8. «Libertære Socialister: "Vi har brug for en organisering som forbinder de kampe vi har haft ..."». autonom infoservice. 27 de novembro de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  9. «Militans - P1/Klubværelset». DR.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  10. Af Søren Astrup. «Rapport viser danske ekstremisters væsen» (em dinamarquês). Politiken.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  11. Af Frank Hvilsom. «Anholdt demonstrant: "Anholdelser var tortur"» (em dinamarquês). Politiken.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  12. «COP15 Demonstration Copenhagen Denmark 20091212 Massive Arrest». YouTube. 13 de dezembro de 2009. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  13. Af Søren Astrup og Frank Hvilsom. «Byretten: Masseanholdelser var ulovlige» (em dinamarquês). Politiken.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  14. «Politiet har betalt millioner til anholdte under klimatopmødet» (em dinamarquês). Politiken.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  15. «Revolutionær 1. Maj». Localeyes.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  16. Af Rune Eltard-Sørensen. «Derfor blev regeringen angrebet i Fælledparken | Modkraft» (em dinamarquês). Modkraft.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  17. Af Søren Astrup. «SF'er: Ubehagelige oplevelser 1. maj» (em dinamarquês). Politiken.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  18. Af Peter Burhøi. «Under den røde fane». www.b.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  19. Af Søren Munch. «SF-minister: Jeg blev altså ikke slået» (em dinamarquês). Jyllands-posten.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  20. Af Rune Eltard-Sørensen. «Venstreradikale afviser politikeroverfald | Modkraft» (em dinamarquês). Modkraft.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  21. Af Jesper Friis. «Politiken.dk's reporter midt i pibekoncerten: "Thorning fik ikke en chance"» (em dinamarquês). Politiken.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  22. «2013 · Modkraft.dk». Spip.modkraft.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  23. https://web.archive.org/web/20130508173350/http://hvidbog.revo1maj.dk/. Consultado em 20 de julho de 2013. Arquivado do original em 8 de maio de 2013  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  24. «Libertære Socialister » Direkte Aktion». Libsoc.dk. 21 de fevereiro de 2011. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  25. «Direkte Aktion, No 1 - Vol.1». Anarkismo. 22 de fevereiro de 2011. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  26. «DIREKTE AKTION – på tryk!». autonom infoservice. 25 de junho de 2013. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  27. «About Us». Anarkismo. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  28. «Libertære Socialister » Fra vores egen verden: LS' 2. ordinære kongres». Libsoc.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  29. «Features». Anarkismo. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  30. https://web.archive.org/web/20130530205243/http://www.anarchistblackcat.org/. Consultado em 20 de julho de 2013. Arquivado do original em 30 de maio de 2013  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  31. «Who we are | EuroAnarkismo». Europa.anarkismo.org. Consultado em 1 de agosto de 2013. Arquivado do original em 5 de maio de 2013 
  32. «Libertære Socialister » Europæisk Anarkismo-konference 2011». Libsoc.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  33. «Libertære Socialister » De europæiske Anarkismo-organisationers konference i London». Libsoc.dk. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  34. «Conference of European Anarkismo organizations in London». Anarkismo. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  35. «Anarchism and the Platformist Tradition | An Archive of Writings on the Platformist Tradition within Anarchism». Anarchistplatform.wordpress.com. Consultado em 1 de agosto de 2013