Abrir menu principal

Literatura classicista

O Classicismo teve início na Itália no século XIV e apogeu no final do século XVI.

Índice

Contexto históricoEditar

O classicismo espalhou-se rapidamente pela Europa, com a criação da imprensa as informações eram divulgadas com maior rapidez. O classicismo ocorreu dentro de um grandioso momento histórico social, o Renascimento, como o próprio nome sugere, o Renascimento foi um período de renovação, momento de grandes transformações culturais, políticas e econômicas. A Europa saía da idade das trevas(visão depreciativa da idade média) como ficou conhecida a Idade Média, para encontrar-se com a luz, representada pelo conhecimento, que foi extremamente difundido no Renascimento, principalmente após a invenção da imprensa, que possibilitou a divulgação dos autores gregos e latinos.

Esse período foi marcado pelas grandes navegações, o desenvolvimento da matemática, o estudo das línguas e o surgimento das primeiras gramáticas, com isso, o homem passou a achar-se poderoso, o centro do universo, originando, assim, antropocentrismo (homem em evidência), em substituição ao teocentrismo, (Deus em evidência) da Idade Média.

IMPORTANTE:O Classicismo è uma tendência artística que revitalizou a tradição clássica de afirmar a superioridade humana.

Antropocentrismo, equilíbrio das composições, harmonia das formas e a idealização da realidade. Promoveu uma transformação radical no modelo medieval, valorizando o esforço individual e as conquistas humanas, buscando a felicidade terrena.

A Igreja Católica, antes absoluta, começou a perder espaço, o que aconteceu especialmente após a reforma protestante. A crise religiosa afetou a visão do homem, que não se desligou totalmente da religião, mas passou a enxergá-la de forma diferente, com mais equilíbrio. É uma literatura antiga que sofreu várias influências principalmente greco-latinas, devido à criação das primeiras universidades que surgiram nesta época, com isto disseminando outras culturas. Surgimento dos mecenas, que é uma troca de interesses entre burgueses e artistas.

Classicismo literárioEditar

Os escritores classicistas retomaram a ideia de que a arte deve fundamentar-se na razão, que controla a expressão das emoções. Por isso, buscavam o equilíbrio entre os sentimentos e a razão, procurando assim alcançar uma representação universal da realidade, desprezando o que fosse puramente ocasional ou particular. Os versos deixam de ser escritos em redondilhas (cinco ou sete sílabas poéticas) – que passa a ser chamada medida velha – e passam a ser escritos em decassílabos (dez sílabas poéticas) – que recebeu a denominação de medida nova. Introduz-se o soneto, 14 versos decassilábicos distribuídos em dois quartetos e dois tercetos. Que tem como exemplo uns dos nossos grandes poetas Luís de Camões.

CLASSICISMO E O PÙBLICO: Burguesia em ascensão, cultura para os filhos dos ricos comerciantes pois precisam de qualificação social , já que não tem sangue nobre.

Características do classicismo: Criação e imitação( retomaram os princípios de Aristóteles)

Razão: tentativas de explicar os sentimentos e as emoções humanas

Resgate da poesia clássica: temas amorosos, ou seja , amor puro de absoluta devoção a mulher amada ,dona de uma beleza perfeita OU bucólica, em que a natureza é caracterizada como espaço em que a harmonia a simplicidade e o equilíbrio são expressão da natureza.

IMPORTANTÌSSIMO: uso de paradoxo, ou seja , uma associação de idéias contraditórias , ex: ´´viva a morte´´,usado na tentativa de conciliar razão e sentimento.

uso de antítese: expressa modos diferentes e opostos de caracterizar um mesmo elemento, ex , ´´ coisa boa `` e coisa má(referindo-se do amor).

Perspectiva humanista, ou seja, compreender a mecânica dos movimentos, representar o corpo humana de modo harmônico ,proporção entre as partes do corpo, beleza, e simetria. EX: escultura do corpo de DAVI ,REPRESENTA A BELEZA DA PERFEIÇÃO HUMANA, de Michelangelo-expressividade no olhar, representação minuciosa de músculos e véias ,proporção entre os membros.

Tendência a UNIVERSALIDADE: em lugar de esperar que o conhecimento do mundo lhe seja dado por revelação divina , o novo indivíduo procura observar a natureza ,documentar e analisar o que vê.

LINGUAGENS E FORMAS: Predomínio de sonetos

versos de 10 sílabas métricas -decassílabas-chamadas de medidas nova substituindo a preferencia medieval e humanista de 5 a 7 sílabas métricas(REDONDILHAS) chamadas de medida velha.

Uso de antíteses e paradoxos.

Influência greco-latina. Mitologia greco-romana, aborda temas com lendas e mitos clássicos ,sereias, monstros, reis , reis.Ex:O Triunfo de Galateia de Rafael Sanzio.

Literatura portuguesa classicistaEditar

Em 1527, quando Francisco Sá de Miranda(Ele marca o momento inicial do classicismo em Portugal) retornava a Portugal( educado com uma mentalidade medieva,l), vindo da Itália, trazendo o doce estilo novo (soneto + medida nova).

Clóvis Monteiro [1] assinala que o classicismo em Portugal durou três séculos de atividades literárias: iniciado em 1527 e encerrado em 1825, quando da publicação do poema Camões, de Almeida Garrett. Esse longo tempo pode ser dividido em três períodos: o primeiro, encerrado em 1580, quando a literatura do país recebeu influências da Itália e da França; o período Cultista, até 1756, data da fundação da Arcádia Lusitana, influenciado por Petrarca e com influência de Gôngora e Quevedo, na Espanha, e Marini, na Itália; e o último período, encerrado com o advento do romantismo no país.

No Brasil Colônia, o classicismo português do período cultista também influenciou a literatura, como por exemplo na obra Prosopopéia de Bento Teixeira, que imitava os versos de Camões, até meados do século XVIII, quando surgiria uma literatura nacional ou brasileira.

Características geraisEditar

  • Imitação dos autores clássicos gregos e romanos da antiguidade
  • Uso da mitologia dos deuses e o uso de musas como inspiração
  • Racionalismo: Predomínio da razão sobre os sentimentos
  • Universalismo: Abordagem de temas universais como, por exemplo, os sentimento humanos.
  • Antropocentrismo: o homem como o centro do Universo
  • Perfeição formal (rigor em busca da pureza formal)
  • Busca do equilíbrio entre razão e sentimento.
  • Influência do pensamento humanista

AutoresEditar

Referências

  1. MONTEIRO, Clóvis - Esboços de História Literária - Livraria Acadêmica - Rio de Janeiro - 1961, pgs. 31-39

Ver tambémEditar